Visitantes online: 617
logo topo

sábado, 21 de julho de 2018

26/06/2018

13:09

MPF denuncia Marcello Miller, Joesley Batista e advogados por corrupção

O Ministério Público Federal denunciou por corrupção o ex-procurador Marcello Miller, os delatores da JBS Joesley Batista e Francisco de Assis e a advogada Esther Flesch.

Segundo a denúncia, Joesley e Assis ofereceram vantagens indevidas a Miller, aproveitando-se da condição dele de membro auxiliar do grupo de trabalho da Lava Jato, para conseguir um bom acordo de colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República, envolvendo imunidade para seus crimes.

A peça de acusação diz que uma fatura de R$ 700 mil emitida pelo escritório de advocacia contratado pela JBS mostra que Miller receberia pelas horas trabalhadas para os delatores quando ainda era membro do MP.

Na semana passada, a Polícia Federal indiciou os quatro e, também, a advogada Fernanda Tórtima. A omissão de envolvimento de Miller durante a negociação da delação premiada para ajudar os executivos foi um dos principais pontos apontados pelo delegado da PF Cleyber Malta Lopes. O delegado é o mesmo que conduz a investigação sobre a edição do Decreto dos Portos, assinado pelo presidente da República Michel Temer, em tramitação no Supremo Tribunal Federal.

26/06/2018

10:35

Alerj atropela TCE e vota contas do governador Pezão

Reprodução coluna Justiça e Cidadania - O Dia
Reprodução coluna Justiça e Cidadania - O Dia

.

26/06/2018

08:03

Para reduzir pena, Cabral e mulher abrem mão de R$ 14,5 milhões em bens

Sérgio Cabral e a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo decidiram abrir mão dos bens e imóveis bloqueados pela Justiça Federal, avaliados em R$ 14,5 milhões.

Em troca de eventuais benefícios judiciais, o casal desistiu de continuar lutando pela posse de um patrimônio alentado que teria sido adquirido com propinas pagas a Cabral durante seus dois mandatos.

Entre os bens que Cabral e Adriana decidiram colocar à disposição da Justiça estão jóias, lanchas, carros de luxo e até a mansão de Mangaratiba, no Rio, avaliada em R$ 8 milhões. Essa casa chegou a ser levada a leilão, que acabou suspenso.

Eles autorizaram o leilão antecipado dos bens e a destinação dos recursos na forma a ser decidida pelo juiz Marcelo Bretas.

Sérgio Cabral é réu em 24 processos e as penas que lhe foram impostas pelos juízes Marcelo Bretas, do Rio, e Sérgio Moro, de Curitiba, ambos da Lava Jato, somam 100 anos de prisão.

25/06/2018

14:18

Liminar suspende tramitação da ação contra Garotinho e Rosinha (Operação Caixa D’Água)

O Ministro do Supremo Tribunal federal, Dias Toffoli, acolheu o pedido de liminar e suspendeu o andamento da ação penal oriunda da Operação Caixa D’Água. O processo que tramita na 98ª Zona eleitora de Campos dos Goytacazes tem como base a delação de um fornecedor da Prefeitura de Campos ao mesmo juiz e ao mesmo delegado federal da operação Chequinho, também suspensa pelo STF - esta segunda pelo ministro Ricardo Lewandowski. Desta feita, o pedido de liminar foi impetrado pelo ex-senador Antônio Carlos Rodrigues que era presidente do PR em 2014. Ele teria repassado recursos que não teriam sido declarados na prestação de contas de 2014 de Garotinho ao Governo do Estado.

Conforme eu sempre afirmei, as perseguições que venho sofrendo do Judiciário Estadual, especialmente em Campos dos Goytacazes, após ter denunciado a organização criminosa liderada por Sérgio Cabral, vem sendo desfeitas pelo Supremo Tribunal Federal. É muito duro passar pelas humilhações que passei, ser preso injustamente, assim como Rosinha, ser torturado dentro de uma cela como mostram as câmeras no extenso laudo pericial feito pelo Ministério Público, sabendo que tudo se trata de vingança daqueles que, de fato, usaram o dinheiro público para enriquecimento pessoal e faliram o estado do Rio de Janeiro.

Ainda falta grande parte da verdade vir à tona, mas ela virá. Eu tenho fé em Deus que os verdadeiros corruptos serão punidos, não importa o cargo que ocupem.

25/06/2018

13:55

Cabral afirma que ex-secretário mentiu ao dizer que estavam afastados




Reprodução do Radar - Veja

25/06/2018

07:00

Delúbio recorre ao STF para tentar regime semiaberto em Brasília

O ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF), neste sábado, para tentar cumprir sua pena em Brasília, em regime semiaberto. Condenado no âmbito da Lava Jato, Delúbio está preso em Curitiba (PR), em regime fechado, após ser condenado a seis anos por lavagem de dinheiro.

Delúbio começou a cumprir no fim de maio, em São Paulo, mas foi transferido na última quarta-feira para o Complexo Médico-Penal, em Pinhais, região metropolitana de Curitiba, por ordem da 12ª Vara Federal da capital paranaense.

Segundo a defesa do ex-tesoureiro, Delúbio tem família em Brasília, local também próximo a cidade onde residem seus filhos e irmãos. Ao pedir para cumprir pena no semiaberto, a defesa afirma que não há fundamentação para manter Delúbio em regime fechado.

Delúbio teve a condenação confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), que negou, em maio, os últimos recursos do ex-tesoureiro na segunda instância.

Após a rejeição do apelo decisivo de Delúbio, o juiz federal Sérgio Moro mandou prender o ex-tesoureiro do PT. Ele foi sentenciado pelo suposto envolvimento em empréstimo de R$ 12 milhões tomado pelo pecuarista José Carlos Bumlai junto ao Banco Schahin, em outubro de 2004.

23/06/2018

16:14

Temer vai desembolsar até 190 000 para remover a gordura do Planalto





Reprodução da coluna Radar - Veja

23/06/2018

16:01

Palocci continuará preso após delação homologada

Quem acompanhou o processo adianta que Antonio Palocci não fez a “delação do fim do mundo”. Motivo: nos acordos fechados com a PF, os benefícios só são concedidos depois de comprovadas as informações. O que o obriga a contar apenas o que pode realmente provar.

Dessa forma, Palocci não será solto até que a PF comprove as informações que delatou e que só agora, com a homologação, serão investigadas.

Nas delações do MPF, o delator recebe o benefício de antemão. A PF acha que seu modelo é mais eficaz. “Se eu pagar antes, o pedreiro não termina a obra”, diz um delegado.

Fonte: Coluna da Andreza Matais - Estadão

23/06/2018

12:04

Com mais 25 policiais, PF faz esforço para finalizar inquérito que investiga Temer

A Polícia Federal está realizando um último esforço para finalizar o inquérito dos portos, que envolve o presidente Michel Temer, aliados dele e empresas do setor portuário. Entre os policiais estão “alguns ligados à área de crimes cibernéticos e de inteligência, além de três peritos, e o serviço de perícia de informática do Instituto Nacional de Criminalística”.

O inquérito apura se a Rodrimar, que opera no porto de Santos, foi beneficiada pelo decreto assinado por Michel Temer em maio de 2017, que ampliou de 25 para 35 anos as concessões do setor, prorrogáveis por até 70 anos.

Além do presidente, são investigados Rodrigo Rocha Loures, Antônio Celso Grecco e Ricardo Mesquita.

22/06/2018

16:56

Fachin arquiva citação a Temer em documentos de Ciro Nogueira

O ministro Edson Fachin arquivou uma investigação sobre um manuscrito encontrado no gabinete de Ciro Nogueira, no fim de abril, que citava o presidente Michel Temer.

O senador é investigado por suposto envolvimento na compra de silêncio de uma testemunha, seu ex-assessor Jose Expedito Almeida. No documento encontrado pela Polícia Federal no gabiente de Nogueira, estava escrito: “Fundo 1.000 Imp 200 RT 200 2 Temer 300 300”.

Ao arquivar a investigação, Fachin acolheu pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Em seu despacho ele diz que, se novas provas surgirem, nada impede que a investigação seja retomada.

22/06/2018

14:34

Que timaço!

Reprodução do Informe do Dia
Reprodução do Informe do Dia

.

22/06/2018

12:18

Temer e Aécio se reúnem e querem anular provas da delação da JBS

Alvos da delação da JBS, o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves querem usar o indiciamento pela Polícia Federal do ex-procurador Marcelo Muller para contestar o acordo firmado pelo executivo da empresa, Joesley Batista, e o ex-executivo Francisco de Assis.

De acordo com a investigação, Marcelo Miller ajudou os executivos da J&F (da qual a JBS faz parte). Mas não interferiu na produção de provas, nem orientou Joesley Batista durante as gravações espontâneas realizadas antes da autorização judicial para execução de ações controladas.

Segundo publicação do G1, Temer e Aécio discutiram o assunto na noite passada. Eles se reuniram, fora da agenda oficial, na noite da quinta, na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Também passou por lá o ministro Moreira Franco.

A linha deles é a de que o indiciamento reforça a ideia de que Muller fez jogo duplo durante a negociação da delação da JBS. Portanto, querem anular as provas do acordo. Cabe ao ministro Fachin a decisão final sobre a rescisão do acordo.

Nesta sexta-feira, Temer vai a São Paulo conversar com o seu advogado Antonio Claudio Mariz sobre as investigações que o miram.

O presidente é alvo de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal.

22/06/2018

08:35

Após ser fechado por Pezão, restaurante popular é saqueado

Reprodução do blog do Ancelmo Gois
Reprodução do blog do Ancelmo Gois

.

21/06/2018

12:13

Coaf vê indícios de lavagem de dinheiro em movimentações financeiras de Romário

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão do Ministério da Fazenda, encontrou indícios de lavagem de dinheiro em operações bancárias envolvendo o senador Romário (Podemos-RJ), pré-candidato ao governo do Rio. Um relatório, do dia 2 de maio, indica que ele administra uma conta em nome da irmã, Zoraidi de Souza Faria, com o “intuito de ocultar” a sua própria movimentação financeira. O senador tem uma procuração, entregue por Zoraidi, que dá a ele poderes específicos sobre recursos depositados no Banco do Brasil. Segundo o Coaf, o fluxo financeiro da conta é “incompatível com a capacidade financeira” da irmã de Romário.

A conta de Zoraidi foi aberta em uma agência no Congresso Nacional, em Brasília, onde Romário exerce mandato parlamentar desde 2011 — primeiro na Câmara e depois no Senado. Já a sua irmã vive em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Com rendimento anual declarado de apenas R$ 8 mil, Zoraidi recebeu na sua conta, segundo o Coaf, R$ 8 milhões, entre agosto de 2016 e abril de 2017. Já as saídas da mesma conta totalizaram R$ 7,5 milhões no mesmo período.

Fonte: O Globo

21/06/2018

10:07

Câmeras de vigilância espalhadas pelo Rio ficam uma semana sem mandar imagens

Reprodução do blog do Ancelmo Gois
Reprodução do blog do Ancelmo Gois

.

21/06/2018

08:01

STJ limita o foro de governadores a crimes cometidos no mandato

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu, nesta quarta-feira, restringir sua competência para julgar casos relativos a governadores, desembargadores e outras autoridades, conforme previsto na Constituição.

Com a decisão do tribunal, governadores e membros de tribunais de contas dos estados vão continuar respondendo a processos no STJ somente se o crimes que lhe são imputados ocorreram quando estavam no cargo ou relacionados com o mandato. Caso contrário, as acusações serão enviadas para a primeira instância da Justiça.

A medida foi tomada a partir da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que, no mês passado, restringiu o foro por prorrogativa de função, conhecido como foro privilegiado, para deputados e senadores.

PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 PróximoÚltimo