Visitantes online: 1401
logo topo

quarta-feira, 26 de abril de 2017

18/04/2017

10:34

Eduardo Cunha manda dizer que Temer mentiu sobre reunião da propina

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247

Direto do presídio em São José dos Pinhais, Eduardo Cunha mandou um bilhete onde refuta a versão de Michel Temer de que sua participação na célebre reunião com a Odebrecht teria se limitado a atender um pedido de aperto de mão dos executivos da empreiteira. Diz Eduardo Cunha que foi Temer que marcou a reunião com a Odebrecht: "A referida reunião não foi por mim marcada. O fato é que estava em São Paulo, juntamente com Henrique Alves e almoçamos os três juntos no restaurante Senzala, ao lado do escritório político dele, após outra reunião e fomos convidados a participar dessa reunião já agendada diretamente com ele". Bem, não posso falar do que aconteceu na reunião, se foi ou não pedida propina de US$ 40 milhões, afinal não estava lá. Só Temer, Cunha, Henrique Eduardo Alves e Márcio Garcia, da Odebrecht podem falar. Mas, como já firmei aqui no blog, soa inverossímil a versão de Temer de que só entrou na reunião para atender um pedido de aperto de mão do executivo da empreiteira.

18/04/2017

08:56

Fala Garotinho - 18 de abril de 2017



18/04/2017

06:10

Garotinho fala da manipulação da delação da Odebrecht



17/04/2017

21:21

TV Globo esconde propina de Paes, engana seus telespectadores e ataca Garotinho

Mais uma vez a TV Globo, no RJ TV 2ª edição, mentiu aos seus telespectadores. Mostrou uma série de irregularidades cometidas pela empreiteira Odebrecht, com pagamentos de propina e corrupção a várias prefeituras do estado, as maiores delas à dupla Cabral – Pezão, e não conseguindo nenhuma palavra do delator de que eu e Rosinha teríamos recebido propina ou praticado corrupção, fez uma reportagem fantasiosa, e ainda por cima se negou a me entrevistar, cerceando o meu direito de resposta, e além disso editou uma nota que enviamos no lugar da entrevista que se recusaram a fazer. Vamos às mentiras de hoje da Globo.

1 – Afirma que o governo Rosinha pagou por casas que não foram feitas. Mentira. A Prefeitura de Campos só pagou pelas casas que foram construídas e entregues, e há, inclusive, uma ação judicial entre a prefeitura e a Odebrecht tratando do assunto, porque Rosinha se recusou a pagar faturas que a empreiteira queria.

2 – Disse que eu ligava para o secretário de Fazenda pedindo pagamento para a Odebrecht sem ocupar cargo nenhum na prefeitura, quando todo mundo sabe que eu ocupei por quase dois anos a secretaria de Governo do município.

3 – Por fim, como a Globo não quis nem me entrevistar, nem ler minha nota completa, vou publicar a nota que enviei para a Globo, e convido vocês a assistirem mais tarde no meu Facebook a transmissão (live) que irei fazer sobre esse assunto.

Nota enviada à TV Globo

O ex-governador Anthony Garotinho diz que a delação da Odebrecht contra ele é movida por vingança, pois foram de sua autoria as denúncias das obras da Odebrecht que geraram propina no governo Sérgio Cabral, e que resultaram na prisão dele e de outros corruptos.

O ex-governador ressaltou ainda o ressentimento do diretor-presidente e delator Benedicto Júnior, cuja esposa é sócia, numa joalheria em Ipanema, da esposa do ex-secretário de Saúde de Sérgio Cabral, também preso por corrupção. A denúncia que a joalheria da mulher do ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura servia para lavagem de dinheiro através de joias foi feita ao Ministério Público Federal em 2012 pelo ex-governador.

A ex-prefeita de Campos, Rosinha Garotinho ressaltou que não pagou nenhuma casa que não tenha sido construída, e que a informação dada pela atual gestão do município é mentirosa.

E reafirmamos mais uma vez que não recebemos nenhum dinheiro ilegal da Odebrecht.


Numa clara demonstração de manipulação, a TV Globo escondeu as notícias do seu parceiro de negócios, Eduardo Paes, ex-prefeito do Rio. Nenhuma menção foi feita a ele, embora os delatores tenham dito que ele recebeu R$ 16 milhões de propina, sendo mais de R$ 5 milhões em contas no exterior.

17/04/2017

18:28

A ética na visão de Michel Temer

Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

Temer reafirmou que não vai demitir nenhum ministro investigado na Lava Jato. Só se virar réu no STF. Em caso do MPF apresentar denúncia será afastado temporariamente até a Corte decidir se aceita ou não. Mas é um "código de ética" que lembra aquele criado por Sérgio Cabral. Um "código" de ocasião. Sim, porque o ministro do Turismo, Marx Beltrão (PMDB-AL) é réu no STF, por falsidade ideológica, e Temer nem cogita demiti-lo. Mas diz que algum dos nove ministros pode se sentir incomodado e pedir para sair. Ora, isso só mesmo se houver pressão das ruas, que no momento estão silenciosas, aliás, amanhã vou falar sobre esse tema.

O presidente da República também jura de pés juntos que não pretende formar uma "tríplice aliança" com Lula e FHC para fazer um "acordão" para preservar PMDB, PT e PSDB nas eleições de 2018.

Da mesma forma garante que a reunião que teve com executivos da Odebrecht, onde segundo delações teria pedido R$ 40 milhões para o PMDB, foi apenas porque eles queriam lhe dar um "aperto de mão", afinal na época era presidente do PMDB, nem vice-presidente da República ainda era. Essa é ótima! E pelo jeito o "aperto de mão" de Temer, em 2010, valia muito.

A verdade é se tem uma coisa que não é seguida pelo atual governo é a ética. Quanto às versões de Temer, que acredite quem quiser.

17/04/2017

17:16

Os tentáculos da quadrilha de Sérgio Cabral

O historiador Marco Antonio Villa, comentarista da TV Cultura, de São Paulo fez uma análise muita grave da situação das instituições do Rio de Janeiro em recente comentário no Jornal da Cultura. Se for verdade o que ele diz a coisa é pior do que imaginávamos.



17/04/2017

15:29

Há um ano impeachment de Dilma era aprovado na Câmara de Deputados

Comemoração na Câmara dos Deputados.
Comemoração na Câmara dos Deputados.

Quem não lembra daquele espetáculo quase circense de homenagens à família, em nome da qual, incontáveis deputados disseram votar pelo impeachment de Dilma. A partir dali estava selado o destino da então Presidente Dilma Rousseff, que foi sacramentado depois no Senado. Eduardo Cunha ainda era presidente da Câmara e foi agraciado com um sem número de citações elogiosas de colegas parlamentares. Um sem número de deputados, hoje acuados por delações que apontam pagamento de propinas e contas no exterior, dizia que o Brasil seria passado a limpo. Um ano depois desse fato histórico, aqui para nós, Michel Temer melhorou o país? Para a grande maioria dos brasileiros a resposta é não. Pouco são os que dizem que o país melhorou. O próprio Temer amarga uma aprovação de 9%, muito perto dos 7% que Dilma tinha na época do impeachment. Um governo com nove ministros, inclusive o núcleo político, sob suspeição, além do próprio Temer, que só não será investigado porque a Constituição não permite que um Presidente da República responda por fatos anteriores ao cargo. Centenas de milhares de brasileiros foram às ruas, de boa fé, protestar contra o governo Dilma, pedindo sua saída, mas hoje, com certeza, devem estar arrependidos de ter colocado Temer no comando dos destinos da nação. A maioria dos que diziam "Tchau, querida" hoje deve ter um grito atravessado na garganta: "Tchau, querido".


17/04/2017

14:02

A lista dos políticos com contas secretas no exterior

Reprodução do Radar online, da Veja
Reprodução do Radar online, da Veja

O que a sociedade aguarda ansiosamente é a lista dos políticos que esconderam dinheiro lá fora, seja em contas pessoais ou de familiares, ou através de recursos como fundos de investimento e empresas offshore. Só na Suíça, mais de 1.000 contas estão bloqueadas, que teriam recursos provenientes da Lava Jato. Nós já sabemos que Eduardo Cunha, Sérgio Cabral, Eduardo Paes, Jorge Picciani, Aécio Neves, José Serra, entro outros, têm contas no exterior. Mas existem dezenas e dezenas de políticos que ainda não tiveram suas contas reveladas. Espera-se que a investigação do MPF, como a colaboração de autoridades de outros países, como é o caso da Suíça que já vem contribuindo para a Lava Jato, mapeie a turma que roubou e escondeu o dinheiro no exterior.

17/04/2017

12:02

Encontro Marcado - 17 de abril de 2017

17/04/2017

10:52

Odebrecht: “Generalização é salvação dos canalhas”, diz ex-ministro do STF

O Brasil inteiro comenta a lista da Odebrecht. Uma verdadeira confissão dos crimes que eles cometeram em sociedade com agentes públicos. E ainda tem gente que aplaude dar redução de pena para quem diz que corrompeu mais de 400 políticos.

Boa parte da imprensa, como afirmou o patriarca da empreiteira, Emílio Odebrecht, sabe disso há muito tempo. A mesma imprensa que sonega impostos, que recebe verbas publicitárias altíssimas para não falar de políticos corruptos, de repente, começa a atirar como se fosse “soldadinho do bem” e todos os políticos homens do mal. Alto lá, não é bem assim. Pelo menos no caso do Estado do Rio, se não fossem minhas denúncias alguém acredita que Sérgio Cabral teria sido desmascarado e a “fábrica de corrupção” instalada no governo dele teria sido descoberta?

Todas as denúncias merecem ser investigadas. Mas é necessário, como bem afirmou o ex-ministro do STF, Célio Borja, separar fatos para que a generalização não seja a salvação dos canalhas.

Reafirmo: nem eu ou Rosinha cometemos nenhuma irregularidade, como reportagens maldosas tentam induzir.

Diferente de políticos que tiveram reveladas contas no exterior, como Sergio Cabral, Aécio Neves, José Serra, Eduardo Paes, Jorge Picciani, Júlio Lopes e outros, nós não temos, nem nunca tivemos.

Também diferente de políticos que tiveram evolução patrimonial incompatível com sua renda, ou adquiriram riquezas sem lastro financeiro, nós não estamos nesse rol.

Como alguém minimamente inteligente pode acreditar nas afirmações feitas contra mim por parte de delatores, que muito antes de seus depoimentos, foram denunciados por mim ao Ministério Público Federal em 2012 por superfaturamento de obras?

Os casos do Maracanã, Linha 4 do metrô, Região Serrana, Arco Rodoviário, PAC do Alemão, e outras obras da Odebrecht, são alvo de reportagens do meu blog há anos, denunciando superfaturamentos gigantescos. Cabral recebeu de propina, segundo os delatores, R$ 50 milhões só na Linha 4 do metrô, cujo superfaturamento ultrapassa R$ 2,3 bilhões.

As delações da Odebrecht envolvem verdades e mentiras. Algumas delas, como no meu caso, é vingança pura, a fim de prejudicar alguém que denunciou o esquema do qual eles faziam parte. Afinal, como diz Marcelo Odebrecht em sua delação, Benedicto Júnior, um dos delatores era “padrinho” de Sérgio Cabral dentro da empresa, meu inimigo declarado, que fez tudo para me destruir politicamente.

Aliás, a delação, além de não trazer nenhuma prova, é confusa até nos números. Um afirma que teria dado por fora para ajudar quatro campanhas, duas minhas, duas de Rosinha, R$ 12 milhões, outro delator diz que teriam sido R$ 20 milhões, uma diferença grande, difícil de ser um erro de contabilidade. Parece que esqueceram de combinar o mesmo depoimento.

Por fim é bom lembrar que desde que denunciei a sociedade da mulher de Benedicto Júnior (presidente da Odebrecht Infraestrutura) com a mulher de Sérgio Côrtes, na Blume Joalheria, que fica em Ipanema, usada por Sérgio Cabral para lavar dinheiro, virei persona non grata do delator e sua família. A denúncia está na notícia-crime protocolada por mim na Procuradoria Geral da República em 2012.

Enquanto alguns jornais hoje ocupam suas manchetes para tentar me atingir sem nenhuma prova, não há uma linha sequer sobre a quadrilha de Sérgio Cabral. Esqueceram a Gangue dos Guardanapos, que deixou os servidores sem salários, que fechou os restaurantes e as farmácias populares, que destruiu as nossas escolas e universidades, que roubou descaradamente sob o silêncio da mídia local.

Não temo nenhuma investigação. O que sinto é que, mais uma vez, tentam atirar contra minha honra e de minha família porque sou um político nacionalista e sempre defendi os interesses do povo e dos mais humildes.

17/04/2017

08:54

Fala Garotinho - 17 de abril de 2017


16/04/2017

21:10

Antes da delação e do MPF, Garotinho já denunciava os escândalos envolvendo a Odebrecht

Nosso blog revelou em primeira mão os esquemas das obras da Odebrecht com os governos Sérgio Cabral - Pezão (Montagem do Brasil 247)
Nosso blog revelou em primeira mão os esquemas das obras da Odebrecht com os governos Sérgio Cabral - Pezão (Montagem do Brasil 247)

Alguns fatos importantes.

Um delator da ODEBRECHT diz que a empresa resolveu não dar dinheiro a Romário porque ele falava mal dos estádios de futebol.

Eu denunciei corrupção em várias OBRAS da ODEBRECHT muito antes da imprensa e da justiça. Desde 2008.

Só para citar algumas: LINHA 4 DO METRO, PAC DO ALEMÃO, OBRAS DA REGIÃO SERRANA, O PRÓPRIO MARACANÃ e outras. Está tudo registrado em denúncia crime ao MP FEDERAL e no meu blog.

Parece estranho não ajudar um e ajudar outro.

Hoje reportagem do jornal GLOBO mostra a evolução patrimonial dos políticos que enriqueceram.
Não existe a menor possibilidade de qualquer alteração patrimonial minha.

Por isso não falaram nada.

Porque não existe.

Outra situação intrigante intrigante.

A ex-corregedora do Conselho Nacional de Justiça Eliane Calmon afirmou em entrevista: "delação da ODEBRECHT sem membros do Judiciário não pode ser levada a sério."

Ela sabe muito bem o que está falando. Conhece a fundo seus colegas.

Também não mostram a gravação de um dos delatores dizendo."A imprensa sabia disse há muito tempo. Porque só agora?"

Encobriram tudo é só começaram a falar depois que mostrei a foto dos guardanapos na cabeça no meu blog?

Querem me desacreditar para não prender o restante da quadrilha de Cabral que saqueou o estado a ponto de deixar os funcionários passando fome.

Não conseguirão.

Falta muito mais gente poderosa ir para Bangu. Muita...

Não vou me intimidar.

A LUTA CONTINUA.

Tenho fé e coragem.

Preciso da confiança de vocês.

Abaixo vocês poderão ver um breve resumo, entre dezenas de postagens que foram feitas nos últimos anos (reparem as datas no alto de cada matéria), onde denuncio as roubalheiras envolvendo obras da Odebrecht, inclusive cobrando do Ministério Público e da Justiça que fossem investigadas.




E reproduzo novamente a transcrição da delação de Benedicto Júnior, da Odebrecht quando foi interrogado pelo Ministério Público sobre nós (eu, Rosinha e Clarissa), em que deixa claro que nós nunca beneficiamos a empreiteira:

Pergunta: Houve algum benefício concreto do senhor Anthony Garotinho para a Odebrecht?

Benedicto: "Pedidos por nós não. Nós acabamos conquistando no mercado foi uma obra de construção de casas populares em Campos".

Pergunta: Mas houve algum benefício?

Benedicto: "Não. Que eu saiba não. Tratados comigo, não".

Pergunta: Houve algum tipo de fraude?

Benedicto: "Não. Leandro me disse que não houve nenhuma fraude".

Pergunta: Algum benefício concreto da senhora Rosinha para Odebrecht?

Benedicto: "Não".

Pergunta: E da senhora Clarissa?

Benedicto: "Também não. A Clarissa eu só encontrei uma vez. Também não. Nenhum.

Pergunta: Nenhum benefício concreto dela?

Benedicto: " Não, nenhum".

15/04/2017

21:07

Odebrecht

Garotinho: Pode vir quente que eu estou fervendo

Mais uma vez o RJ TV da Globo mostrou a gravação de uma delator da Odebrecht sobre doação de campanha para mim e Rosinha. Desta vez foi o senhor Leandro Azevedo e, como o anterior, Benedicto Júnior, negou qualquer favorecimento a mim e à Rosinha, fraude na obra ou na licitação. Veja a transcrição do que o Benedicto Júnior falou ontem quando foi interrogado pelo Ministério Público:

Pergunta: Houve algum benefício concreto do senhor Anthony Garotinho para a Odebrecht?
Benedicto: "Pedidos por nós não. Nós acabamos conquistando no mercado foi uma obra de construção de casas populares em Campos".
Pergunta: Mas houve algum benefício?
Benedicto: "Não. Que eu saiba não. Tratados comigo, não".
Pergunta: Houve algum tipo de fraude?
Benedicto: "Não. Leandro me disse que não houve nenhuma fraude".
Pergunta: Algum benefício concreto da senhora Rosinha para Odebrecht?
Benedicto: "Não".
Pergunta: E da senhora Clarissa?
Benedicto: "Também não. A Clarissa eu só encontrei uma vez. Também não. Nenhum.
Pergunta: Nenhum benefício concreto dela?
Benedicto: " Não, nenhum".

Hoje a novela se repetiu. Nenhum documento foi apresentado. Repetiu que o apoio à minha candidatura era importante porque era a única oposição real a Cabral no Estado e que jamais recebeu propina. Ele, porém, aumentou os números das supostas doações que o seu chefe teria autorizado. Ou seja, nem eles sabem ou têm controle se o que estão falando é verdade ou não. Reafirmo: eu e Rosinha nunca recebemos nenhuma doação ilegal da Odebrecht.

Compreendo a indignação das pessoas ao tomarem conhecimento dessas versões falsas, mas faça o raciocínio lógico e frio. Eu que venho há dez anos denunciando as maracutaias de Cabral com a Odebrecht e outras empreiteiras seria louco de fazer a mesma coisa? Não seria mais lógico aproveitar o momento em que quase todos os políticos do Brasil estão enrolados com a Odebrecht para se vingar do Garotinho?

Não temo o julgamento da Justiça porque sei que lá será provado que não cometi nenhum crime mas receio que as pessoas, vendo o noticiário, não separem quem agiu de maneira honesta e aqueles que roubaram o dinheiro público e enriqueceram.

Já mostraram a conta de Eduardo Paes onde o dinheiro foi depositado no exterior.
Já mostraram a conta onde era depositada a propina do Metrô para Júlio Lopes no exterior.
Já mostraram as contas com depósitos milionários no exterior de Aécio Neves, José Serra, Eduardo Cunha, Sérgio Cabral, Pezão, Picciani e outras centenas de políticos.
Agora eu pergunto a você: Cadê as minhas contas no exterior?
Mostraram as mansões de Cabral e vários políticos. As fazendas de Picciani e vários políticos. A riqueza e a ostentação de centenas de políticos.
O que mostraram de mim até agora?

Sei que nessas horas o mais simples é achar que todo mundo é igual. Aliás, um jornalista da Globo News disse ontem à noite uma espécie de senha para o que está acontecendo hoje: “É, agora vai ficar ruim do Garotinho ficar denunciando os outros”.

Quem não deve não teme. Tenho consciência que muitos estão torcendo para que eu me acovarde ou me intimide.

Estão perdendo tempo. Não terão prova nenhuma contra mim e eu seguirei denunciando não só a corrupção, mas também a covardia que fizeram com os programas sociais que eu criei como os restaurantes e farmácias populares, os Jovens Pela Paz, o Cheque Cidadão. Todos extintos por essa gente que além de ladrão não gosta do povo.

Continuarei defendendo os servidores, que estão sem salários, combatendo as privatizações e a hegemonia dos bancos na economia brasileira.

Esta, certamente, não é a minha música preferida do Roberto Carlos mas aproveito o refrão para mandar um recado para os que pensam que eu vou me calar: “Pode vir quente que eu estou fervendo!”

15/04/2017

10:50

SOMENTE A VERDADE


Como já era esperado, o RJ-TV da GLOBO mostrou a gravação do delator da ODEBRECHT sobre doação de campanha para mim é Rosinha.Vamos ao resumo do que ele falou e do acontecido.

1-Não apresentou nenhum documento ou conta que comprove as doações.

2-Disse que não houve propina nem vantagem para Rosinha ou para mim,somente doação eleitoral.

3-Que apostou na minha candidatura pois eu era a única oposição real a Cabral no Estado.

4-Que não foi favorecido por mim ou por Rosinha em qualquer obra.

5-Que a deputada Clarissa nunca votou nenhum projeto a pedido da ODEBRECHT.

6-O próprio depoimento da ODEBRECHT comprova que sou muito diferente dos políticos que enriqueceram roubando o dinheiro público.

Mesmo assim reafirmo que eu e Rosinha nunca recebemos dinheiro ilegal.

ANTHONY GAROTINHO.

14/04/2017

11:15

Garotinho responde perguntas no Facebook

14/04/2017

10:52

PMDB-RJ: É tudo farinha do mesmo saco

Pedro Paulo e Eduardo Paes
Pedro Paulo e Eduardo Paes



Sente-se no ar, por uma parte da mídia, uma tentativa de proteger o ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes no caso das delações da Odebrecht. Mas o ex-prefeito do Rio está no mesmo patamar que Sérgio Cabral, Pezão e Jorge Picciani.

No caso de Paes só tem se falado do inquérito que vai responder no STF, junto com seu “queridinho”, o deputado Pedro Paulo. Trata-se do inquérito 4435, onde a delação de Benedicto Júnior aponta pagamento de propinas de R$ 16 milhões para a Odebrecht participar das obras olímpicas, sendo R$ 11 milhões pagos no Brasil, uma parte em dinheiro vivo, e mais R$ 6 milhões depositados em contas no exterior. Esse inquérito está no STF porque Pedro Paulo, como deputado, tem foro privilegiado.

Mas o que ninguém fala é que o ministro do STF, Edson Fachin enviou à Justiça Federal do Rio, mais três pedidos de inquérito sobre Eduardo Paes.

Petição 6714 – Trata de doações eleitorais na campanha de 2008, combinadas com a Odebrecht em troca de contratos futuros em obras da Prefeitura do Rio.

Petição 6814 – Trata de doações eleitorais por caixa dois na eleição de 2012.

Petição 6772 – Vantagens indevidas (propina) na duplicação da Avenida Salvador Allende, obras no entorno do Parque Olímpico, projeto Fábrica de Escolas do Amanhã e obras nas lagoas da Barra.

E além disso também aparecem pagamentos de recursos indevidos (propina) na obra do Porto Maravilha, obra de Eduardo Paes, em inquérito agregado ao ex-deputado Eduardo Cunha.

É bom lembrar que esses casos são só da Odebrecht, e que muitas outras empresas fizeram obras para as Olimpíadas.

Inclusive uma pergunta está até agora sem resposta: quem paga as despesas de Eduardo Paes em Nova Iorque, que giram em torno de US$ 50 mil por mês?

Outras curiosidade: que fim levaram as contas em nome da irmã e do pai de Eduardo Paes, denunciadas por este blog desde 2013, mostrando a existência de US$ 8 milhões sem comprovação de origem, depositados numa offshore no Panamá?

Como podem ver, os casos, na delação da Odebrecht, que envolvem Eduardo Paes, vão muito além da propina de R$ 16 milhões nas obras olímpicas, que a mídia vem veiculando. É por isso que afirmo que Paes é farinha do mesmo saco que Cabral, Pezão e Picciani.

PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 ProximoUltimo