Visitantes online: 2671
logo topo

quinta-feira, 25 de maio de 2017

19/05/2017

09:00

Fala Garotinho - 19 de maio de 2017



19/05/2017

08:01

Pezão, o sem noção, defende Temer

Reprodução do Diário do Poder
Reprodução do Diário do Poder

Somente um governador entre as 27 unidades da federação defendeu ontem o presidente Michel Temer. Claro que tinha que ser Pezão. Até os governadores mais próximos do presidente ficaram na muda, não quiseram se comprometer. Mas, convenhamos, tem lógica. Para Pezão, o presidente não fez nada errado, basta ver as práticas do governador no campo da corrupção. É um caso de identificação. Patético!

18/05/2017

18:49

Temer já decidiu renunciar, só está negociando condições para fazer anúncio oficial

Pronunciamento de Michel Temer
Pronunciamento de Michel Temer

O Brasil vive hoje uma profusão de notícias que acaba criando dificuldade para as pessoas entenderem o que está ocorrendo. Vamos fazer agora um resumo dos fatos que ocorreram e as nossas impressões.

1 – Michel Temer fez pronunciamento dizendo que não vai renunciar. Mas segundo várias pessoas com quem conversei durante a tarde, ele já renunciou. Só não o fez ainda formalmente porque quer certas garantias de Rodrigo Maia (presidente da Câmara) e Eunício Oliveira (presidente do Senado). Pesou em sua decisão de renunciar a posição do PSDB, que já avisou que vai para a oposição. Seu discurso foi uma mera encenação combinada com Eliseu Padilha e Moreira Franco.

2 – Na Operação Patmos foram expedidos 49 mandados, sendo oito de prisão. Dois deles contra pessoas que já estão presas: Eduardo Cunha e Lúcio Funaro. Os demais presos são:

Andréa Neves (irmão de Aécio)
Frederico Pacheco de Medeiros (primo de Aécio)
Willer Tomaz (presidente da Comissão de Assuntos Constitucionais da OAB-DF)
Ângelo Goulart Vilella (procurador da República no TSE)
Roberta Funaro (irmã do operador Lúcio Funaro)
Mendherson Souza Lima (assessor do senador Zeze Perrela (PTB-MG)

A irmã de Aécio Neves, Andréa Neves, já se encontra na Penitenciária Estevão Pinto, no bairro Horto, em Belo Horizonte. Em sua chegada foi saudada com os gritos de “bandida”.

3 – Na operação de hoje, nos diversos locais onde foi feita busca e apreensão, a Polícia Federal afirma ter contabilizado até agora o recolhimento de R$ 2 milhões em espécie.

4 – Paralelamente a tudo o que ocorria nesta operação, o ministro Edson Fachin autorizou a abertura de mais um inquérito contra o presidente do Senado, Eunício Oliveira. A quantidade de material é imensa e a Polícia Federal vai fazer diligências, ou seja, novas operações.

5 – O ministro Edson Fachin também autorizou a abertura de inquérito contra o presidente da República. Se ao final do inquérito houver denúncia e for transformada em ação penal pelo Supremo Tribunal Federal, o presidente será afastado imediatamente. Diferente do crime de responsabilidade, cujo rito exige votação das duas Casas Legislativas (Câmara e Senado), a simples aceitação de ação penal obriga o presidente a se afastar do cargo.

6 – Dez entre dez políticos com quem conversei hoje à tarde têm a convicção de que Joesley e Wesley Batista agiram por orientação de ex-deputado Eduardo Cunha. Todos concordam que Eduardo cansou de esperar um movimento de Temer para ajudá-lo.

7 – Embora a animação do PT seja grande, as revelações que virão à tona com a quebra do sigilo, as denúncias contra Lula, Dilma e outros petistas vão complicar o jogo. Contra Dilma o delator afirma que, via caixa 2, deu R$ 30 milhões para a campanha de Fernando Pimentel ao governo de Minas Gerais. E contra Lula, que pagou várias palestras fictícias para esquentar dinheiro.

8 – Outro crime atribuído a Michel Temer por Joesley Batista é o fato de que o presidente teria avisado um dia antes ao empresário que a taxa de juros Selic seria reduzida em 1%. A quantidade de crimes cometidos por Aécio e Temer, como obstrução de justiça, informação privilegiada, além de corrupção, é de espantar. O deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), que também está com o mandato suspenso pelo STF, assim como Aécio, vendia nomeações para cargos estratégicos em órgãos do governo e estatais. Os diálogos são chocantes.

9 – Diferente da versão oficial, a operação não seria hoje. Havia, inclusive, um evento no domingo, que seria filmado pela Polícia Federal.

Ouçam o áudio da delação de Temer:

Clique ouça a conversa de Temer com Joesley Batista (a partir de 11 minutos)

18/05/2017

16:26

Temer anuncia que não vai renunciar

18/05/2017

15:45

Sem condições de governabilidade, Temer vai renunciar

Reprodução da Veja online
Reprodução da Veja online

Seis partidos vão protocolar daqui a pouco mais um pedido de impeachment. Líderes de partidos aliados admitem que não há mais condições de Temer permanecer na Presidência. PPS e PSB preparam-se para deixar o governo. PSDB também fala em entregar os cargos, aliás, se os tucanos saírem o governo desmorona. Imagens reveladas confirmam gravidade da delação. STF determina abertura de inquérito para investigar o presidente. Acabou! Não adianta Temer tentar adiar o desfecho. A sobrevivência no cargo, além de impossível, só agrava a situação do país em todos os aspectos. A qualquer momento, Temer anunciará sua renúncia.

18/05/2017

15:14

E a família Cabral também aparece na delação da JBS

Reprodução do blog do Lauro Jardim
Reprodução do blog do Lauro Jardim

Impressionante como Sérgio Cabral aparece em todos os grandes esquemas de corrupção, até no nível nacional, como o caso da JBS - Friboi. E como podem ver acima, o deputado Marco Antonio Cabral também teria recebido propina. A pergunta que todos fazem hoje é: existe algum grande esquema de corrupção onde Cabral não levou propina?

18/05/2017

13:49

Manifestações vão pedir renúncia de Temer e defender Diretas Já

Crescem no país a convocação de manifestações ainda hoje exigindo a renúncia do presidente Michel Temer. Nas redes sociais há uma tsunami de postagens cobrando a mesma coisa. Há muito tempo que falo que só faltava uma faísca para o "Fora Temer" explodir nas ruas. Acabou que foi uma bomba atômica atingindo em cheio o presidente. Não há mais como segurar a revolta da população.

E para domingo já estão sendo convocadas grandes manifestações em todas as capitais e grandes cidades.

18/05/2017

11:55

Encontro Marcado com Garotinho (Quinta - 18/05)

18/05/2017

11:23

Não percam o Encontro Marcado com Garotinho especial, ao meio-dia, no Facebook



18/05/2017

11:02

O triste fim de Aécio Neves

Aécio Neves, na sessão de ontem do Senado, confere no celular a notícia da delação de Joesley Batista
Aécio Neves, na sessão de ontem do Senado, confere no celular a notícia da delação de Joesley Batista

Afastado do Senado por ordem do ministro do STF, Edson Fachin, com a irmã, Andréa Neves, presa, suas residências e gabinete vasculhados pela Polícia Federal, Aécio Neves deverá ter seu pedido de prisão (solicitado pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot) autorizado pelo plenário do Supremo esta tarde.

A gravação feita por Joesley Batista mostra Aécio pedindo R$ 2 milhões, mas o empresário contou na sua delação que em 2014 deu R$ 60 milhões ao senador agora afastado, inclusive ajudando-o a comprar o apoio de partidos à sua candidatura à Presidência.

Agora vejam a ironia. Aécio tomou a linha de frente do impeachment de Dilma, discursou inúmeras vezes em nome da "moralidade", e agora está destroçado, talvez a poucas horas de ir para a prisão. Segundo informações da imprensa mineira, Aécio está tão certo que o STF decretará sua prisão que já estaria negociando uma forma de se apresentar à Polícia Federal sem a presença da mídia para que as imagens da prisão não sejam documentadas.

Aliás, o diálogo gravado de Aécio com Joesley Batista é chocante quando ele diz se refere a quem apanharia em seu nome os R$ 2 milhões pedidos:

Joesley: Se for você a pegar em mãos, vou eu mesmo entregar. Mas se você mandar alguém de sua confiança, mando alguém da minha confiança".

Aécio: Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred (primo) com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho".


Aécio Neves, protegido pela mídia, chamado por muitos, carinhosamente, como Aecinho, revela a sua verdadeira face, que está mais para Aécio Malvadeza.

18/05/2017

08:57

Fala Garotinho - 18 de maio de 2017

18/05/2017

08:01

Acabou! Só o Palácio do Planalto não quer acreditar

Reprodução do twitter de Eliseu Padilha
Reprodução do twitter de Eliseu Padilha

Alguém precisa avisar o presidente Michel Temer e os seus ministros palacianos que o governo acabou. Não há mais condições para Temer continuar. Mas o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha quer que o país acredite que o governo vai trabalhar normalmente. Vejam o vídeo postado no Twitter por Eliseu Padilha por volta de 6h, onde afirma: "O Poder Judiciário se encarregada das delações. Nós do governo temos que nos encarregar de governar. Os brasileiros não querem parar, não vão parar. O Brasil não vai parar".

Para passar a sensação de normalidade o Palácio do Planalto divulgou a agenda normal de Temer para hoje. Por ela, Temer estaria agora reunido com o senador Sérgio Petecão, coordenador da bancada do Acre, para tratar da reforma da Previdência. Alguém acredita que Temer amanheceu querendo tratar de reformas?




18/05/2017

07:00

Povo vai às ruas pedir renúncia de Temer

Protestos pedem a saída de Temer em frente ao Palácio do Planalto e na Avenida Paulista
Protestos pedem a saída de Temer em frente ao Palácio do Planalto e na Avenida Paulista

Duas horas depois da divulgação da notícia sobre a delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista e a gravação da conversa com o presidente Michel Temer dando aval para a compra do silêncio de Eduardo Cunha milhares de pessoas foram para as ruas, em frente ao Palácio do Planalto e na Avenida Paulista. Houve buzinaços e panelaços em algumas capitais. Para hoje já estão programadas várias manifestações em capitais. O povo vai às ruas exigir a renúncia de Temer e a convocação de Diretas Já.

17/05/2017

22:58

Como foi a delação que abalou a República

Os irmãos Wesley e Joesley Batista
Os irmãos Wesley e Joesley Batista

Na tarde de quarta-feira passada, Joesley Batista e o seu irmão Wesley entraram apressados no STF e seguiram direto para o gabinete do ministro Edson Fachin. Os donos da JBS, a maior produtora de proteína animal do planeta, estavam acompanhados de mais cinco pessoas, todas da empresa. Foram lá para o ato final de uma bomba atômica que explodirá sobre o país — a delação premiada que fizeram, com poder de destruição igual ou maior que a da Odebrecht. Diante de Fachin, a quem cabe homologar a delação, os sete presentes ao encontro confirmaram: tudo o que contaram à Procuradoria-Geral da República em abril foi por livre e espontânea vontade, sem coação.

É uma delação como jamais foi feita na Lava-Jato:

Nela, o presidente Michel Temer foi gravado em um diálogo embaraçoso. Diante de Joesley, Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley. Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: "Tem que manter isso, viu?".

Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley. O dinheiro foi entregue a um primo do presidente do PSDB, numa cena devidamente filmada pela Polícia Federal. A PF rastreou o caminho dos reais. Descobriu que eles foram depositados numa empresa do senador Zeze Perrella (PSDB-MG).

Joesley relatou também que Guido Mantega era o seu contato com o PT. Era com o ex-ministro da Fazenda de Lula e Dilma Rousseff que o dinheiro de propina era negociado para ser distribuído aos petistas e aliados. Mantega também operava os interesses da JBS no BNDES.

Joesley revelou também que pagou R$ 5 milhões para Eduardo Cunha após sua prisão, valor referente a um saldo de propina que o peemedebista tinha com ele. Disse ainda que devia R$ 20 milhões pela tramitação de lei sobre a desoneração tributária do setor de frango.

Pela primeira vez na Lava-Jato foram feitas "ações controladas", num total de sete. Ou seja, um meio de obtenção de prova em flagrante, mas em que a ação da polícia é adiada para o momento mais oportuno para a investigação. Significa que os diálogos e as entregas de malas (ou mochilas) com dinheiro foram filmadas pela PF. As cédulas tinham seus números de série informados aos procuradores. Como se fosse pouco, as malas ou mochilas estavam com chips para que se pudesse rastrear o caminho dos reais. Nessas ações controladas foram distribuídos cerca de R$ 3 milhões em propinas carimbadas durante todo o mês de abril.

Se a delação da Odebrecht foi negociada durante dez meses e a da OAS se arrasta por mais de um ano, a da JBS foi feita em tempo recorde. No final de março, se iniciaram as conversas. Os depoimentos começaram em abril e na primeira semana de maio já haviam terminado. As tratativas foram feitas pelo diretor jurídico da JBS, Francisco Assis e Silva. Num caso único, aliás, Assis e Silva acabou virando também delator. Nunca antes na história das colaborações um negociador virara delator.

A velocidade supersônica para que a PGR tenha topado a delação tem uma explicação cristalina. O que a turma da JBS (Joesley sobretudo) tinha nas mãos era algo nunca visto pelos procuradores: conversas comprometedoras gravadas pelo próprio Joesley com Temer e Aécio — além de todo um histórico de propinas distribuídas a políticos nos últimos dez anos. Em duas oportunidades em março, o dono da JBS conversou com o presidente e com o senador tucano levando um gravador escondido — arma que já se revelara certeira sob o bolso do paletó de Sérgio Machado, delator que inaugurou a leva de áudios comprometedores. Ressalte-se que essas conversas, delicadas em qualquer época, ocorreram no período mais agudo da Lava-Jato. Nem que fosse por medo, é de se perguntar: como alguém ainda tinha coragem de tratar desses assuntos de forma tão desabrida?

Para que as conversas não vazassem, a PGR adotou um procedimento inusual. Joesley, por exemplo, entrava na garagem da sede da procuradoria dirigindo o próprio carro e subia para a sala de depoimentos sem ser identificado. Assim como os outros delatores.

Ao mesmo tempo em que delatava no Brasil, a JBS mandatou o escritório de advocacia Trench, Rossi e Watanabe para tentar um acordo de leniência com o Departamento de Justiça dos EUA (DoJ). Fechá-lo é fundamental para o futuro do grupo dos irmãos Batista. A JBS tem 56 fábricas nos EUA, onde lidera o mercado de suínos, frangos e o de bovinos. Precisa também fazer um IPO (abertura de capital) da JBS Foods na Bolsa de Nova York.

Pelo que foi homologado por Fachin, os sete delatores não serão presos e nem usarão tornozeleiras eletrônicas. Será paga uma multa de R$ 225 milhões para livrá-los das operações Greenfield e Lava-Jato que investigam a JBS há dois anos. Essa conta pode aumentar quando (e se) a leniência com o DoJ for assinada.

17/05/2017

20:29

A República estarrecida: Temer é gravado mandando pagar Eduardo Cunha para ficar em silêncio

Aécio Neves também é gravado pedindo R$ 2 milhões

Michel Temer com Joesley Batista, com Aécio Neves, e com Eduardo Cunha
Michel Temer com Joesley Batista, com Aécio Neves, e com Eduardo Cunha

Joesley Batista, do grupo JBS - Friboi, dentro de acordo de delação premiada monitorado pela Procuradoria Geral da República e a Polícia Federal, gravou o presidente Michel Temer acertando pagar dinheiro a Eduardo Cunha, preso em Curitiba, para ficar em silêncio. Temer ainda diz a Joesley sobre o acordo com Cunha: ""Tem que manter isso, viu?".

Em outro ato controlado pela PGR e pela PF, Joesley Batista gravou o senador Aécio Neves pedindo R$ 2 milhões. O dinheiro das duas operações foi monitorado. Os fatos foram revelados pelo jornalista Lauro Jardim, do Globo.

Está tudo gravado, foi tudo monitorado pela Procuradoria Geral da República e pela Polícia Federal, com o conhecimento do ministro do STF, Edson Fachin.

É uma bomba atômica que explode no centro do Palácio do Planalto, no colo do presidente Michel Temer, além do líder do principal partido aliado na sustentação do governo, o senador Aécio Neves.

Brasília está em chamas. Temer não tem mais condições de presidir o país. Vamos acompanhar o desenrolar dos fatos.


17/05/2017

18:23

Compra de partidos para a eleição de Pezão

Reprodução da Época online
Reprodução da Época online

Não sei se vocês lembram, mas em 2014, o deputado federal Áureo (Solidariedade) denunciou que Sérgio Cabral tinha acertado a compra do apoio do Solidariedade à candidatura de Pezão por R$ 13 milhões, que viriam da Odebrecht. Isso foi amplamente noticiado na imprensa. Agora o MPF descobriu que R$ 500 mil do esquema de corrupção na Saúde, comandado por Sérgio Côrtes, também teriam ido para o partido.

Se o MPF for fundo na compra de partidos que apoiaram a candidatura de Pezão vão chegar aos diretórios estaduais de vários outras siglas políticas. Não custa lembrar que a coligação de Pezão era formada por 17 partidos.

PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 ProximoUltimo