Visitantes online: 1857
logo topo

sexta-feira, 24 de março de 2017

13/03/2017

10:15

A lista do fim do mundo

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

Hoje deverá ser entregue ao STF a segunda lista de Janot, como está sendo chamada a relação de pedidos de inquérito de políticos com foro especial com base nas delações da Odebrecht. Será uma bomba de muitos megatons que explodirá em Brasília. Atingirá ministros do governo Temer, senadores e deputados, de quase todos os partidos. O Palácio do Planalto está apreensivo, principalmente porque no dia 26 acontecerão manifestações em todo o país para defender a Lava Jato. É imprevisível qual vai ser o tamanho da reação da sociedade, mas a temperatura vai subir e o governo Temer vai afundar ainda mais.

13/03/2017

08:11

Garotinho estreia às 9 horas na Rádio Tupi

.

12/03/2017

19:40

Garotinho: “Quem não deve, não teme”

É difícil no momento em que a classe política brasileira passa por uma crise de credibilidade acreditar em alguém. Por isso, como venho reafirmando, é preciso tomar cuidado para não jogar todos os políticos na vala da corrupção, do patrimonialismo, do enriquecimento ilícito. É preciso separar daqueles que não transformaram o serviço público num balcão de negócios, como fez Sérgio Cabral. Há pelo menos 10 anos venho combatendo, denunciando a quadrilha que destruiu o nosso estado e outras que atuam pelo país afora.

As quadrilhas têm um traço em comum, enriqueceram enquanto o país empobreceu. Alguns políticos compraram ilhas, como Roseana Sarney, outros adquiriram fazendas, como Jader Barbalho e Romero Jucá, alguns montaram esquemas em paraísos fiscais, como Eduardo Cunha e Ricardo Teixeira, há ainda os espertos, como Palocci e José Dirceu que montaram consultorias e receberam verdadeiras fortunas, e os mais ousados, como Cabral, compraram barras de ouro, diamantes, joias, mansões, lanchas, além de negociar com doleiros pelo mundo afora.

Pergunto: Quem sabe informar onde fica a mansão que possuo? Ninguém, porque ela não existe.

Quem sabe informar as contas que tenho no exterior? Ninguém, porque elas não existem.

Quem sabe informar a lancha que comprei ou as fazendas, as joias? Ninguém, porque não usei dinheiro público em benefício próprio ou de terceiros.

Fiquei oito anos, de 2002 a 2010, sem foro privilegiado, como estou atualmente. Todos sabem que minha vida foi revirada de cabeça para baixo, especialmente pelos amigos de Cabral na Polícia Federal, entre eles José Mariano Beltrame, e o que encontraram? Nada!

Sei que todo o administrador público tem erros e acertos. Coloquei as contas do Estado em dia, criei programas sociais, consolidei a fusão do estado e fiz grandes obras em todos os 92 municípios fluminenses. Na segurança pública, apesar dos problemas, implantamos as Delegacias Legais, construímos a sede do BOPE e os últimos batalhões que foram inaugurados, na Linha Vermelha, em Copacabana e em Belford Roxo, e tornei transparentes os índices de criminalidade com a criação do Instituto de Segurança Pública.

Não vou ficar aqui, já que terei outras oportunidades, expondo tudo o que fizemos. Tenho defeitos, provavelmente tive erros, apesar de ter elegido a minha sucessora no primeiro turno, Rosinha. Mas quero afirmar que entre esses defeitos não estão corrupção, enriquecimento ilícito, uso indevido de dinheiro público em benefício próprio ou de terceiros.

Sei separar o que é público do que é pessoal e privado. Há pouco tempo um delator, segundo a imprensa, teria citado meu nome. Cobrei publicamente que ele dissesse em que contas ele teria depositado dinheiro para mim, Rosinha ou Clarissa. Não tive resposta até hoje, e nenhuma ação judicial resultou deste fato. Não sou contra delação desde que venha acompanhada de provas, como ocorreu no caso de Sérgio Cabral, que confirmaram as denúncias que venho fazendo há muitos anos.

Digo isto porque com os inimigos que tenho acumulado nestes anos defendendo o povo e combatendo essa quadrilha de malfeitores que assaltou o Rio e o Brasil, podem querer – por vingança - me meter no meio. Podem me investigar, aliás, como já fizeram inúmeras vezes. A frase é antiga, mas não fica velha: quem não deve, não teme.

12/03/2017

18:31

Garotinho fala da volta à Rádio Tupi e sobre sua trajetória no rádio



12/03/2017

16:00

Retratos de Garotinho no rádio

Garotinho no estúdio da Tupi (Imagem do YouTube)
Garotinho no estúdio da Tupi (Imagem do YouTube)

Minha vida se confunde com o rádio. Desde os 16 anos, portanto há mais de 40 anos, atuo na profissão na qual minha carteira de trabalho foi assinada. Foi através do rádio que conheci o sofrimento do povo e passei então a lutar em defesa, principalmente, dos mais necessitados. Sofri perseguição em Campos, onde num período fiquei proibido de trabalhar em todas as emissoras de rádio. Depois no Rio passei o mesmo dissabor na era Sérgio Cabral, onde nos microfones das principais emissoras de rádio meu nome só poderia ser citado para falar mal, e nunca pude me defender das mentiras que lançavam contra mim. Mas agora tudo isso é passado. Estou voltando pra casa, para a Super Rádio Tupi.

Para que não reste dúvida de que sou radialista, aí estão duas fotos da minha primeira carteira de trabalho, com data de assinatura em 1978.



No rádio já fiz tudo, como vou mostrar no live que farei mais tarde e postarei no blog. Fui locutor de corridas de cavalos, repórter e locutor esportivo, apresentador de programas de debates, disc jockey, e depois da minha conversão, apresentador de programa gospel.

Minha volta para a Tupi é como se fosse um recomeço da minha vida. Separei algumas fotos para lembrar alguns desses momentos que são retratos da minha vida.

Como repórter de campo, entrevistando Luizinho, do Flamengo.
Como repórter de campo, entrevistando Luizinho, do Flamengo


Nos estúdios da Rádio Cultura, de Campos, apresentando o Show das Donas de Casa.
Nos estúdios da Rádio Cultura, de Campos, apresentando o Show das Donas de Casa


Como repórter de rua, na Rádio Campos Difusora, entrevistando uma foliã no carnaval.
Como repórter de rua, na Rádio Campos Difusora, entrevistando uma foliã no carnaval


Apresentando o programa de debates A Cadeira Elétrica, no estúdio da Rádio Continental, de Campos
Apresentando o programa de debates A Cadeira Elétrica, no estúdio da Rádio Continental, de Campos


Minha estreia na Tupi, em 1993
Minha estreia na Tupi, em 1993


De volta para Campos, na Rádio Diário FM
De volta para Campos, na Rádio Diário FM


Ao lado de Rosinha, na implantação da FM O Dia
Ao lado de Rosinha, na implantação da FM O Dia


A partir de agora, de segunda a sexta, de 9h às 10h, estarei no seu radinho, através da Super Rádio Tupi, nas redes sociais (Facebook e YouTube) e através do blog, atendendo o povo, levando carinho, amizade e sinceridade que sempre marcaram minha vida no rádio.

12/03/2017

12:40

Eduardo Cunha cobra a conta de deputados que ajudou com dinheiro de propinas

Reprodução do Radra online, da Veja
Reprodução do Radra online, da Veja

Eduardo Cunha não está pobre, mas não tem como mexer no dinheiro escondido no exterior em contas ainda não descobertas pela Operação Lava Jato. No Brasil seu dinheiro está bloqueado pela Justiça, assim como o que foii encontrado em contas na Suíça. O problema é que o restante do dinheiro, ainda não achado, está em contas que só Eduardo Cunha pode movimentar. Como está atrás das grades não pode movimentar.

Agora sintam a situação constrangedora em que Cunha colocou a filha. Ela é que está passando a sacolinha. Segundo ouvi de um deputado, os 140 parlamentares que receberam dinheiro de Cunha para suas campanhas, dentro do plano para ele se eleger presidente da Câmara, estão se sentindo chantageados, mas não têm escapatória. Temem que Cunha os inclua numa eventual delação premiada. O papo é na base de que Cunha gosta muito deles, não quer prejudicá-los, mas está precisando que eles o ajudem. Qual desses 140 vai ter coragem de negar dinheiro à família de Eduardo Cunha? É por aí que a coisa funciona.

12/03/2017

11:54

A devolução do dinheiro roubado por Sérgio Cabral

Nota da coluna de Ancelmo Gois, do Globo
Nota da coluna de Ancelmo Gois, do Globo

Esses R$ 270 milhões são apenas o começo. No ritmo que as investigações vão, com as delações premiadas que estão em andamento, muito mais dinheiro de Sérgio Cabral será descoberto pelo mundo afora. E respondendo a pergunta que a coluna deixa no ar, é elementar que Pezão, por constrangimento, vai mandar um representante. Mas Pezão e Jorge Picciani podiam se adiantar e também devolver a parte que lhes coube no butim, no saque aos cofres públicos e nas propinas cobradas a empresários.

11/03/2017

15:41

Na cozinha com Garotinho

Por Luis Filipe Melo

Sábado é dia de descontração, por isso vale uma brincadeira. Durante a semana, no programa Encontro Marcado com Garotinho, no Facebook, duvidei que o Garotinho soubesse fazer alguma coisa na cozinha, além de comer, é claro. Garotinho prometeu, na presença de Rosinha, que no sábado iria para a cozinha fazer uma farofa, segundo ele, espetacular. Realmente é um homem de palavra, prometeu e cumpriu. Conheçam os dotes culinários de Garotinho e sua receita de farofa de banana. Não é uma Ana Maria Braga, não chega a ser um Masterchef, mas a cara da farofa ficou ótima. Parabéns, Garotinho! Só faço uma ressalva, fiquei preocupado com o jeito dele cortar a cebola, um pouco arriscado. Depois do desafio, só me resta amanhã ir para a cozinha fazer alguma coisa para a Thereza Godinho, e isso vale também, como podem ver no vídeo, para os maridos das nossas colegas Lucyana Mesquita e Aline Diniz. Vamos fazer um concurso culinário dos maridos. Assistam Garotinho na cozinha.



11/03/2017

14:32

O doce Michel Temer

Reprodução da Folha de S. Paulo
Reprodução da Folha de S. Paulo

Ele não é um doce de côco, como se dizia antigamente, está mais para um vaselina, usando outra expressão do tempo de Temer. A única coisa que o diferencia de Lula e Dilma é na linguagem, de fato, mais serena que a de seus antecessores, mais empolada, com suas mesóclises. Mas no fundo é a mesma conversa fiada, e o pior, as práticas do governo, os métodos políticos, praticamente iguais. Os trabalhadores brasileiros, vendo as reformas previdenciária e e trabalhista, além do desemprego não estão achando Temer nada doce, pelo contrário, é de amargar.


11/03/2017

13:11

Rebelião na quadrilha de Cabral

Reprodução do blog de Lauro Jardim, do Globo
Reprodução do blog de Lauro Jardim, do Globo

Sérgio Cabral não é mais o "xerife" da sua cela em Bangu 8. Chegou ao presídio ainda tratado pelos seus comparsas como chefe da quadrilha. Escolheu primeiro qual seria o seu beliche, dava ordens, mas não manda mais. A quadrilha se rebelou contra ele. Agora cada um cuida da sua delação premiada e Cabral que se vire como quiser. Depois de discutir feio com Braguinha e trocar sopapos com o Avestruz, Cabral foi destituído do último poder que tinha. Dizem que o novo "xerife" da cela é o Avestruz, que teria se dado bem na briga com o ex-chefe e ex-amigo. Essa, aliás, é lógica das relações internas no sistema prisional, o mais forte é o que manda.

11/03/2017

11:51

O jogo de cena de Jorge Picciani

Reprodução do Extra
Reprodução do Extra

Todo mundo sabe que quem manda hoje no Estado do Rio é o presidente da ALERJ, Jorge Picciani, ele é o governador de fato. O desgovernador Pezão não manda mais nada. Tem secretário estadual que nem despacha com Pezão, só com Picciani. Agora o Rei do Gado manda novo recado a Pezão. Insiste que só vai marcar a votação do aumento da contribuição previdenciária dos servidores estaduais quando Pezão colocar os salários em dia. Acontece que Pezão precisa do empréstimo de R$ 3,5 bilhões que só será liberado se o aumento da contribuição previdenciária for aprovado. Pezão está na quela situação de que se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Picciani voltou a falar na possibilidade de intervenção federal, que eu defendo há muito tempo. Mas Michel Temer empurrar o problema com a barriga. Enquanto isso o nosso estado segue afundando, a crise se aprofunda a cada dia. A omissão de Temer está custando muito caro à população fluminense e, principalmente ao funcionalismo. Mas pelo jeito vão esperar uma convulsão social acontecer para tomarem alguma providência.

10/03/2017

14:50

A partir de segunda-feira nova programação do Garotinho

.

10/03/2017

13:35

Governo Fanfarrael Diniz: "Minha mentira, meu amor"

Rafael Diniz, Fred e Sérgio Mendes
Rafael Diniz, Fred e Sérgio Mendes

O governo do prefeito interino de Campos, Fanfarrael Diniz é um desastre. Com R$ 100 milhões em caixa não paga fornecedores, tirou direitos de vários trabalhadores, parou as obras, a cidade está às escuras, e o mato tomando conta do que era jardim. Ele governa como se ainda fosse oposição, esquece que tem que cumprir as promessas que fez à população. A seguir vocês terão noção do que é falar uma coisa e fazer outra. O governo que fala em transparência é o que está há mais tempo com o Portal da Transparência, onde se vê as contas da prefeitura, fora do ar. Seu secretário de Controle acaba de lançar um vídeo, mentindo à população, sobre dívidas do governo Rosinha. Que tal nomear um estelionatário para tomar contas da folha de pagamento da prefeitura? Abaixo vejam as fotos e os vídeos e cheguem vocês mesmos à conclusão que muita gente já chegou, o povo de Campos foi enganado, e nas novas eleições, que acontecerão em breve, vai dar a resposta.



Chafariz da Pelinca abandonado
Chafariz da Pelinca abandonado


Mato toma conta da Beira Valão
Mato toma conta da Beira Valão


Praças entregues ao abandono
Praças entregues ao abandono


Falta comida para os funcionários nos postos de saúde
Falta comida para os funcionários nos postos de saúde


Shopping Popular é uma das mais de 60 obras paradas
Shopping Popular é uma das mais de 60 obras paradas


Vejam como o povo está sofrendo nos hospitais.



Assistam como rebato o secretário de Descontrole de Fanfarrael.


10/03/2017

12:33

Os diamantes de Sérgio Cabral

Joias de Adriana Ancelmo apreendidas pela PF; ao lado Sérgio Cabral; abaixo reprodução do Globo
Joias de Adriana Ancelmo apreendidas pela PF; ao lado Sérgio Cabral; abaixo reprodução do Globo

Em setembro do ano passado, depois que Fernando Cavendish foi preso e começou a negociar a delação premiada, Sérgio Cabral mandou os doleiros Renato e Marcelo Chebbar esvaziar uma conta no BSI (Bahamas) e comprar tudo em diamantes. Tudo indica que Cavendish tinha conhecimento dessa conta de Cabral. Foram comprados R$ 3,3 milhões em diamantes, que estão guardados, segundos os irmãos Chebbar, num depósito de valores no zona franca do aeroporto de Genebra, na Suíça. A cada dia vai aparecendo mais patrimônio de Cabral. E como disse ontem no meu programa no Facebook, Encontro Marcado com Garotinho, o ex-governador, preso em Bangu 8, não tem apenas 15 contas em 7 países, como já foi revelado. Tem muito mais, só falta chegarem nelas.

10/03/2017

10:54

Encontro Marcado com Garotinho (Sexta - 10/03)

10/03/2017

08:29

Papo do Blog

O Rio é viável

Pezão cada vez mais perdido na sua incompetência
Pezão cada vez mais perdido na sua incompetência

Venho afirmando que o nosso estado é viável apesar da situação de calamidade financeira, administrativa e moral deixada pelo governo Cabral – Pezão. Ontem duas notícias tomaram espaço no jornalismo.

A primeira foi um levantamento feito pela Secretaria do Tesouro Nacional mostrando que o Estado do Rio tem a pior situação fiscal entre todos os estados do país, e tomando todas as medidas necessárias só conseguirá encontrar equilíbrio fiscal em 2029. Não concordo e em outra postagem tratarei disso.

A segunda notícia repete uma informação que já dei aqui no blog, que o Rio tem créditos a receber junto ao governo federal, aliás, por sugestão minha, o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) entrou na Justiça contra a União, propondo encontro de contas há mais de seis meses. A informação dá conta que o Rio de Janeiro tem R$ 56 bilhões a ser ressarcido por conta da Lei Kandir. O levantamento foi feito pelo deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB) e repete os números que já havia divulgado.

Somadas a todas as outras medidas já propostas por mim o Estado não demoraria mais que um ano para encontrar equilíbrio fiscal. Não iria além de alguns meses para ter um novo calendário de pagamento dos servidores em dia e dentro do mês. E pelo menos teria fôlego para quitar dívidas de curto prazo e trazer segurança aos fornecedores do Estado.

O que falta é planejamento, conhecimento real da situação, comprometimento com o fim do desperdício, com o fechamento das torneiras da corrupção, e, acima de tudo, é necessário ter uma equipe técnica competente, e não um secretariado mambembe, que o mínimo que se pode afirmar é que cabe dentro de qualquer piada.

PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 ProximoUltimo