Visitantes online : 844 terça-feira, 26 de maio de 2015
25/05/2015 18:36
Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247


Michel Temer está cobrando o apoio do PT do Senado às MPs do ajuste fiscal. Temer não está errado, se o PT não apoiar o ajuste fiscal como ele pode cobrar dos aliados alguma coisa. É aí que mora o perigo. Alguns senadores petistas já assinaram até manifesto contra o ajuste de Levy. Esta semana será decisiva para o ajuste fiscal, e porque não dizer, para a permanência de Joaquim Levy como ministro. Temer cuida da articulação política, mas está deixando o recado antecipado, os petistas que se entendam.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [0] | |


25/05/2015 14:55
Pezão; abaixo reprodução do Diário Oficial do Rio de Janeiro (Poder Legislativo)
Pezão; abaixo reprodução do Diário Oficial do Rio de Janeiro (Poder Legislativo)


Aquela máxima que diz "devo não nego, pago quando puder", não vale para Pezão. Em alguns casos Pezão deve, não nega, só que não quer pagar. Na próxima quarta-feira irá a votação na ALERJ mais um projeto altamente questionável enviado pelo Palácio Guanabara. Pezão deve à LIGHT, AMPLA e empresas telefônicas. Não paga as contas de luz e telefone desde o ano passado. A dívida é astronômica. O que Pezão quer é não pagar as dívidas e em troca dar benefícios fiscais para as empresas concessionárias, ou seja, elas não precisariam pagar ICMS no valor da dívida. Pezão quer estender essa vantagem também a empresas fornecedoras com contratos com o governo estadual. Isso é empurrar o problema com a barriga. Todas essas isenções fiscais, caso sejam aprovadas pela ALERJ vão provocar uma redução da arrecadação do ICMS, que já está em queda, e ainda tem a crise nacional se agravando. É uma política completamente irresponsável. Mas não tenho ilusões, o projeto de Pezão será aprovado na ALERJ, a não ser que aconteça um milagre.


Em tempo: E é bom não esquecer que cada isenção de ICMS também afeta os repasses feitos às prefeituras.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


25/05/2015 13:32
Reproduções da Folha de S. Paulo online e do Globo online
Reproduções da Folha de S. Paulo online e do Globo online


Descobertos mais dois requerimentos de informações, estes assinados pelo deputado Áureo (SDD-RJ), que na verdade vieram do computador do gabinete de Eduardo Cunha. Além disso o MPF suspeita que empresário Júlio Camargo, que fez delação premiada, pode ter mentido para proteger Cunha. Por enquanto Cunha é apenas investigado em inquérito autorizado pelo Supremo Tribunal Federal, mas até aliados acreditam que ele não escapará de virar réu em processo. Vamos aguardar.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [1] | |


25/05/2015 12:12
Pezão; abaixo, manchete da Folha de S. Paulo online
Pezão; abaixo, manchete da Folha de S. Paulo online


Na postagem anterior eu falava justamente da opção de Pezão em não cortar as mordomias e vantagens dos assessores e secretários. E também abordei a omissão da imprensa do Rio. Vejam aí a situação denunciada pela Folha de S. Paulo. Pezão prometeu cortar 35% das gratificações para cargos de confiança, mas só reduziu em 10%. Além disso assessores continuam com carros com motorista, celulares pagos pelo Estado, além de outras mordomias. Não é à toa que a crise financeira se agrava a cada mês.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [4] | |


25/05/2015 11:18
Reproduções do Globo online, O Dia online e Extra online
Reproduções do Globo online, O Dia online e Extra online


Se a imprensa e a mídia tivessem 10% do rigor e da cobrança que usavam na época do meu governo e no de Rosinha com certeza o Rio de Janeiro não estaria vivendo esse caos na segurança pública. Além das diversas guerras em comunidades com UPP e nos conjuntos do Minha Casa, Minha Vida, temos as balas perdidas e agora os assaltos com facas. Só esse quadro por si só já é assustador. Mas o pior é que em meio a esse cenário de explosão da violência, o policiamento ostensivo foi reduzido e a PM não tem dinheiro nem para colocar os helicópteros para voar.

A imprensa do Rio só fica batendo na tecla da redução da maioridade penal e na criminalização do uso de facas. Mas ignora deliberadamente duas questões cruciais que são responsabilidade do Estado. Primeiro a ausência de programas sociais para a juventude que afastem adolescentes do crime. E claro, a opção inaceitável de Pezão, que prefere cortar verba da segurança pública do que tirar mordomias de secretários e assessores. Semana passada mostrei aqui que se a PM não tem dinheiro para colocar os helicópteros no ar, o mesmo não se pode dizer das aeronaves usadas pelos secretários para se deslocarem até em curtos percursos dentro do Grande Rio.

Como não há cobrança, os deputados na ALERJ sentem-se à vontade para não fazer nada. E assim a violência vai se expandindo e espalhando terror. Até quando a imprensa vai continuar escondendo a verdade e se omitindo diante da barbárie que assola do Rio de Janeiro?

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [4] | |


25/05/2015 09:54
Foto do Brasil 247 mostrando o congresso estadual do PT - SP; abaixo, manchetes da Folha de S. Paulo e da Folha de Vitória
Foto do Brasil 247 mostrando o congresso estadual do PT - SP; abaixo, manchetes da Folha de S. Paulo e da Folha de Vitória


Nunca um congresso do PT em São Paulo teve um quórum tão baixo. Segundo o site Brasil 247 não havia nem 500 pessoas. Esse deve ter sido o motivo de Lula ter cancelado em cima da hora sua participação no congresso. Para completar os poucos petistas presentes fizeram coro: "Fora Levy". Tá feia a coisa! A militância petista que já foi tão aguerrida e era temida por sua força nas ruas, hoje sumiu, nem se animou a fazer o prometido "barulhaço" quando foi ao ar o programa de televisão do PSDB. A força da militância do PT diminui na mesma proporção com que cresce a rejeição ao partido. O PT está descendo a ladeira.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


25/05/2015 09:20
Juiz Sérgio Moro e Ricardo Pessoa (UTC)
Juiz Sérgio Moro e Ricardo Pessoa (UTC)


A semana começa com novo sobressalto para a turma do Petrolão. Ricardo Pessôa, dono da UTC e coordenador do "clube das empreiteiras" começa hoje a contar o que sabe ao MPF dentro do acordo de delação premiada. A UTC, integrante do consórcio do COMPERJ, seria uma das empresas que Paulo Roberto Costa apontou como doadoras de propinas para a campanha de reeleição de Cabral e Pezão, em 2010.

A boa notícia para a turma do Petrolão é que o juiz Sérgio Moro está embarcando para os Estados Unidos de férias. Ou seja, nos próximos dias não deverão acontecer novas operações dentro da Lava Jato, nem mandados de prisão.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


24/05/2015 11:32
Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247


Quem inaugurou a debandada foi a senadora Marta Suplicy (SP), outros senadores e deputados federais já sinalizaram que vão seguir pelo mesmo caminho. Agora cinco prefeitos do interior de São Paulo querem trocar o PT pelo PSB. Além do PT estar desmoralizado, o governo enfrenta crise e os prefeitos sabem que pertencer ao mesmo partido da presidente não lhes garantirá ajuda financeira adicional, pelo contrário, os cortes vão diminuir os investimentos nos municípios. Daqui a três semanas o PT realiza seu congresso nacional, em Salvador. Lula quer conter a debandada, mas está difícil, ainda mais se for aprovada a janela de dois meses para troca de partido sem perda de mandato. As eleições municipais do próximo ano com certeza enfraquecerão ainda mais o PT.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [6] | |


24/05/2015 11:06
Reprodução do Radar online
Reprodução do Radar online


O ajuste fiscal do governo quer rever a desoneração das folhas de pagamento para arrecadar mais. Mas a turma do PMDB - RJ, sob o comando de Eduardo Cunha e Leonardo Picciani, manobra para preservar as vantagens da desoneração para o setor de transporte de passageiros. Atendem aos interesses dos empresários de ônibus do Rio, parceiros do PMDB, de Cabral, Pezão e Paes. É um lobby vergonhoso.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [5] | |


24/05/2015 10:58
Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online


Deputados veem risco de pizza na CPI da PETROBRAS? Mas alguém tinha alguma dúvida? O primeiro ato da CPI foi emblemático do que viria. Eduardo Cunha compareceu espontaneamente para uma sessão de homenagens e elogios. Só Clarissa Garotinho e mais uns dois deputados questionaram Cunha, o restante bateu palmas. Nem os deputados que estão sendo investigados nos inquéritos da Lava Jato foram chamados para depor. Tudo não passa de um grande circo. Podem servir logo a pizza.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [4] | |


23/05/2015 16:05
Reprodução do Globo
Reprodução do Globo


Muitas foram as especulações sobre a ausência do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, ontem, na coletiva que anunciou os cortes do governo, da ordem de R$ 69,9 bilhões. As versões oficiais foram desde gripe forte, a cansaço pelas negociações dos cortes, passando por problema de agenda. Ninguém se convenceu. Mas como disse são especulações. De certo mesmo só duas coisas: seu lugar estava preparado na coletiva, seria recomendável sua participação (embora orçamento seja da alçada do Planejamento), e a insatisfação de Levy com as mudanças no ajuste fiscal aprovadas na Câmara, que reduziram a tesourada, o ministro queria cortes perto de R$ 80 bilhões.

Mas tem outro problema que está incomodando bastante Joaquim Levy. Trata-se da reação de uma parte representativa do PT ao ajuste fiscal. Levy está apanhando de deputados e senadores petistas. Hoje mesmo, na abertura do congresso estadual do PT - SP, militantes pediram a saída do ministro.

Faço aqui um parênteses para um exercício de ficção, que deve estar muito próximo da verdade. Quando Levy foi convidado para o ministério da Fazenda, para implantar um plano de ajuste fiscal, deve ter indagado à Presidente Dilma: "E o PT como vai ficar nessa história? Vai aceitar medidas impopulares necessárias?" Deve ter ouvido do ministro Mercadante, porque Dilma não fala pelo PT, e depois de Lula também, algo do tipo: "Não se preocupe, do PT nós cuidamos." Só que o desenrolar dos fatos dentro do PT fugiu ao controle até de Lula.

Por isso e pelas alterações feitas pela Câmara nas MPs do ajuste fiscal, Levy anda incomodado. Por isso sua ausência ontem no anúncio dos cortes deu margem a especulações. Se fosse em horário de funcionamento do mercado financeiro teria tido consequências na Bolsa e na cotação do dólar.

Não creio que Levy esteja para pedir o boné. Pedido de demissão de ministro da Fazenda quando a economia está sólida é uma coisa. Em tempos de crise, com a economia instável e o governo enfraquecido no Congresso, quando até espirro provoca abalo, a saída do ministro seria uma tragédia. Levy tem consciência que hoje é o fiel da balança na economia, goste-se ou não das suas medidas.

Só que é bom ter em mente que Levy não tem apego a cargos e sua paciência tem limites. Basta lembrar da sua passagem pelo primeiro governo Cabral, quando foi secretário da Fazenda. Em 2010, quando todos já davam como certa a reeleição de Cabral, Levy inconformado com a política irresponsável de isenções fiscais e o descontrole dos gastos (que culminaria na crise estadual atual) pediu o boné e foi trabalhar na iniciativa privada.

Resta saber qual vai ser o limite da paciência de Levy, afinal o PMDB e parte do PT querem impor novos reveses ao ajuste fiscal. E verdade seja dita - não estou defendendo Levy - mas uma eventual saída do ministro agora cairia como uma bomba na economia, agravaria a crise trazendo mais incertezas e abalaria a confiança do setor privado.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [10] | |


23/05/2015 11:37
Reproduções do Diário do Poder e de O Dia online
Reproduções do Diário do Poder e de O Dia online


Mais uma vez tudo se resume aos cargos no governo. O PDT tem o ministério do Trabalho, mas das quatro secretarias da pasta só uma lhe pertence. Os pedetistas querem o ministério de "porteira fechada", como se diz, mas com mais um ou duas secretarias dentro do ministério já ficarão satisfeitos. A ameaça de deixar o governo, por enquanto não passa de pressão pelos cargos. É mais uma missão para o Super Temer.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [11] | |


23/05/2015 10:04
Paulo Roberto Costa aplaudindo Cabral e Pezão no tempo em que rolava a propina do Petrolão
Paulo Roberto Costa aplaudindo Cabral e Pezão no tempo em que rolava a propina do Petrolão


O ex-diretor da PETROBRAS Paulo Roberto Costa disse que arrumou R$ 30 milhões em propinas para a campanha à reeleição de Cabral e Pezão, em 2010. Segundo ele, R$ 20 milhões vieram das empresas do consórcio que constrói o COMPERJ. Pois agora Pezão quer dar mais uma "ajuda" a essas mesmas empresas envolvidas no Petrolão, e acusadas de terem dado propinas a Cabral e ao atual governador. Pezão quer estender as isenções fiscais concedidas a essas mesmas empresas. O benefício fiscal vai até 2019, mas Pezão quer que a ALERJ aprove a extensão da isenção até 2025, mais seis anos. É muita cara de pau!

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [8] | |


23/05/2015 09:18
Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online


No Palácio do Planalto todos se queixam do Congresso, principalmente do PMDB. E o que faz o governo? Decide cortar fundo no orçamento de ministérios ocupados pelo PMDB e meter a tesoura nas emendas individuais de deputados e senadores. O ministério do Turismo dado de presente a um afilhado de Eduardo Cunha sofreu corte de 73% dos recursos para este ano. Já o ministério da Pesca ocupado pelo filho de Jader Barbalho perdeu 78% do orçamento. Para completar o governo cortou mais R$ 3 bilhões em emendas individuais de deputados e senadores, só terão executados este ano praticamente metade do valor do ano passado em obras e apoio a suas regiões. O que se pode esperar? Ora, não é preciso ter bola de cristal. Na próxima semana, quando precisa dos votos do Senado para aprovar o ajuste fiscal, o governo enfrentará nova turbulência. O vice Michel Temer, responsável pela articulação política, vai ter que fazer malabarismos e contorcionismos para garantir a aprovação do ajuste fiscal no Senado.

E falando dos cortes gerais, o PAC e o Minha Casa, Minha Vida também levaram uma boa tesourada. Só foi poupado o Bolsa-Família.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [5] | |


22/05/2015 18:43
Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247


Claro que não concordo com tudo aquilo que Ciro Gomes diz, mas é inegável que ele é um dos poucos que fala o que acha, doa a quem doer. Só quero ver se alguém vai colocar a carapuça. A minha expectativa é que, mesmo com a demora inevitável decorrente dos ritos jurídicos, no final da Operação Lava Jato, quando for a julgamento no Supremo Tribunal Federal e no Superior Tribunal de Justiça alguns "gatunos" sejam varridos do poder.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [14] | |


22/05/2015 15:16
Eduardo Paes; abaixo manchete do UOL
Eduardo Paes; abaixo manchete do UOL


Hoje uma turista chilena foi esfaqueada durante tentativa de assalto na Glória. Mas Eduardo Paes diz que não está preocupado com a segurança na Olimpíada. Deveria, mas prefere falar bobagens para não ter que criticar a política de segurança de Pezão e Beltrame. Um prefeito que está vendo o descontrole da segurança pública, a explosão da violência e redução policiamento e não se preocupa com nada disso, só pode ser irresponsável.


Reprodução de O Dia online
Reprodução de O Dia online


 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [14] | |


22/05/2015 14:46
Eduardo Cunha e Renan Calheiros; abaixo, manchete da Folha de S. Paulo online
Eduardo Cunha e Renan Calheiros; abaixo, manchete da Folha de S. Paulo online


Em qualquer país democrático existem coalizões para formar governo. Mas isso é muito diferente do jogo de toma lá, dá cá entre o PMDB e o governo federal. O pior é que quanto mais cargos são dados ao PMDB, mais o partido pede sob o comando de Cunha e Renan. O governo está apressando as nomeações do PMDB para garantir a aprovação do ajuste fiscal no Senado. Pois bem, cargos não dão em pé de árvore, existe um limite, uma hora acabam, vão estar todos preenchidos. Por outro lado a sede por cargos de Cunha e Renan não tem limite e querem o governo aos seus pés. Cada vez mais o governo Dilma é refém dos interesses de Cunha e Renan, que comandam o Congresso.
 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [7] | |


22/05/2015 12:09
Reprodução do Diário do Poder
Reprodução do Diário do Poder


A reforma política vai transformar o Congresso num balcão de trocas. Do jeito que está o projeto que será votado os partidos nanicos perderão direito ao dinheiro do fundo partidário. Além disso os deputados insatisfeitos nos atuais partidos terão dois meses para mudar sem risco de perder o mandato. Podem imaginar a movimentação que vai acontecer no 2º semestre.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


22/05/2015 11:30
Quatro vítimas sem rosto; abaixo, manchete do Globo online
Quatro vítimas sem rosto; abaixo, manchete do Globo online


A morte do médico esfaqueado durante assalto na Lagoa provocou a indignação da sociedade, não poderia ser de outra forma. A polícia iniciou uma caçada aos dois assaltantes, a imprensa cobra soluções e publica editoriais contra a barbárie, os moradores da Zona Sul vão fazer manifestação no domingo, na Lagoa, os políticos desengavetam projetos de diminuição da maioridade penal e sobre o porte de facas, além de Pezão e Beltrame dizerem que o fato é inadmissível. É uma grande mobilização. Pena que todos esses personagens sociais não repudiem, nem se solidarizem com outras quatro famílias que perderam entes queridos mortos à faca, durante assaltos que aconteceram este ano em outras áreas da cidade, longe da Zona Sul. Os outros quatro casos a imprensa ou nem noticiou ou não deu o menor destaque. Ninguém cobrou nada, ninguém tomou conhecimento do drama das famílias, viraram estatística sem rosto. O Rio de Janeiro não se resume à Zona Sul.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [10] | |


22/05/2015 10:39
Maquete virtual do shopping que Cunha quer construir; ao lado, Eduardo Cunha
Maquete virtual do shopping que Cunha quer construir; ao lado, Eduardo Cunha


Febeapá, para os mais novos, era o Festival de Besteira que Assola o País, criado pelo saudoso cronista Stanislaw Ponte Preta, que ironizava os absurdos da política durante a ditadura militar. Se estivesse vivo não lhe faltaria material para continuar o Febeapá. Vejam essa sobre a aprovação do projeto de Eduardo Cunha para construir um shopping num novo anexo da Câmara dos Deputados.

A pérola vem do deputado Edson Moreira (PTN-MG), que delirou ao enaltecer o shopping de Cunha: "Quando JK veio construir Brasília foi criticado por todo mundo. Quase todo Parlamento criticou JK. Ele teve um ato de coragem. E Vossa Excelência está mostrando a mesma coragem que JK mostrou nos anos 60. Futuramente o senhor será aplaudido. Com certeza."

Francamente! Comparar Eduardo Cunha a Juscelino Kubitschek, comparar o shopping da Câmara à construção de Brasília é o cúmulo da bajulação e da falta de bom senso.


Em tempo: Apenas para registrar, minha filha, a deputada Clarissa Garotinho (PR-RJ) votou contra o projeto da construção do shopping.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [4] | |


PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ProximoUltimo

Facebook


Twitter


Vídeos

Busca
Histórico
Links
Todos os Direitos Reservado
Fotos Anthony Garotinho