Visitantes online : 757 quinta-feira, 27 de agosto de 2015
27/08/2015 16:15
Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online


No próximo ano, no final do primeiro semestre, quando as obras olímpicas estiverem concluídas 35 mil operários serão dispensados no Rio de Janeiro. Ao final das Olimpíadas, em agosto, outros milhares de trabalhadores de empresas que prestam serviço ao evento também perderão o emprego. E para onde vão? O que vão fazer? No caso dos operários milhares vieram de outros estados. É necessário que o governador Pezão e o prefeito Eduardo Paes comecem agora a articular com o governo federal um plano para depois das Olimpíadas. Senão as ruas do Rio de Janeiro vão ser a única alternativa de moradia para milhares de operários, que não vão ter nem como regressar aos seus estados. Mas infelizmente, Pezão e Paes só sabem falar de "legado olímpico", não planejam nada.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [0] | |


27/08/2015 15:01
Reprodução da Época online
Reprodução da Época online


Cunha tem 15 dias, a partir de ontem, para se defender da denúncia do MPF que o acusa de corrupção e lavagem de dinheiro. Mas os comentários nos bastidores do Congresso é que o Petrolão é o menor dos seus problemas. Dizem que Cunha está com medo mesmo é do Eletrolão, afinal em Furnas ele tinha vários indicados.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [0] | |


27/08/2015 12:24
José Dirceu saindo do Centro de Progressão Penitenciária, em Brasília; abaixo manchete da Folha de S. Paulo
José Dirceu saindo do Centro de Progressão Penitenciária, em Brasília; abaixo manchete da Folha de S. Paulo


Depois de Lula, agora a bancada do PT na Câmara também dá as costas a José Dirceu. Bem, essa convocação aprovada, deputados vão ouvir Dirceu em Curitiba não terá qualquer importância para a CPI da PETROBRAS, que vai terminar em pizza, e os advogados vão orienta-lo a ficar em silêncio. Mas cria o fato político para constranger ainda mais o PT e Dirceu. Mas é impressionante ver como os petistas tratam agora o antes todo-poderoso José Dirceu. É como se dissessem: "Se vira, companheiro Dirceu, que o problema não é nosso, é teu".

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


27/08/2015 10:58
Reprodução da Veja online
Reprodução da Veja online


Se Marco Polo Del Nero não tivesse nada a ver com os negócios da CBF antes de assumir a presidência este ano, como afirma, não estaria com tanto medo da quebra dos sigilos bancário e fiscal. Era só botar a culpa no seu antecessor, José Maria Marin e a questão estaria resolvida para ele. Só que não é assim, tanto que Del Nero não sai do país desde da operação que prendeu Marin e dirigentes da FIFA, em Zurique, na Suíça. Aliás, essa CPI da CBF por enquanto está em banho-maria. Vamos ver mais adiante. Mas volto a dizer: se não convocarem dirigentes da TV Globo envolvidos nas negociações de contratos com a CBF podem servir a pizza por antecipação. Será que vão ter coragem de enfrentar a poderosa Globo? Não acredito. Já seria alguma coisa se investigassem a fundo as negociatas da CBF, mas até isso, tenho cá minhas dúvidas. Tomara que queime a minha língua.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


27/08/2015 09:45
Reprodução de O Dia online
Reprodução de O Dia online


A inoperância, incompetência e omissão do governador Pezão ultrapassam todos os limites. Nenhuma intervenção foi feita pelo governo estadual para minimizar a crise hídrica do ano passado. Pezão disse em entrevista que ia "rezar para São Pedro trazer chuva". Mas a chuva não veio. Há três meses, Pezão ainda garantia que estava tudo sob controle. Agora estamos vendo a chegada de mais uma crise da água. Não foi por falta de aviso. Houve tempo para tomar medidas para o problema não se agravar. Mas nada foi feito por Pezão, para variar. Os municípios pequenos, que mais sofrem com a crise econômica, vão ter que fazer milagres para arrumar dinheiro para carros-pipas, pelo menos para garantirem o abastecimento de hospitais e escolas, porque se ficarem esperando pela CEDAE...

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


27/08/2015 08:33
Reprodução do Diário do Poder
Reprodução do Diário do Poder


Eduardo Cunha fez um recuo estratégico nos ataques ao governo e ao MPF, na figura do Procurador Geral da República, Rodrigo Janot. No caso do governo, Cunha está se segurando porque sofreu muito desgaste, começou a ficar isolado. No caso de Janot, foi orientado por seu advogado, o ex-Procurador Geral da República, Antônio Fernando de Souza a não guerrear com o MPF, porque só vai piorar sua situação. Mas para mostrar que continua forte e dizer que não está na defensiva, Cunha decidiu provocar Renan Calheiros, seu novo desafeto. Se sabe de alguma coisa deveria dizer, em vez de ficar de provocação.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [1] | |


27/08/2015 08:02
Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online


O chamado "imposto do cheque", a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), que taxa operações financeiras, com exceção da caderneta de poupança, pode voltar em 2016. Em junho o PT defendeu a volta da CPMF, mas sentiu que o clima no Congresso era desfavorável e desistiu da proposta. Agora o governo quer trazer de volta a CPMF. Como sabe que enfrentará forte resistência no Congresso a ideia é dividir o bolo da CPMF com estados e municípios. Dessa forma o Palácio do Planalto conta que terá o apoio de governadores, que por sua vez vão pressionar as bancadas dos seus estados pela aprovação. Em tempos de crise, pindaíba, no caso do Rio de Janeiro, qualquer dinheiro a mais é muito bem vindo. Vamos ver se vai colar.

Observem que a situação das contas do governo é crítica. O Palácio do Planalto sabe que sofrerá mais desgaste junto à opinião pública, mas mesmo assim quer ir em frente.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [2] | |


26/08/2015 19:09
Plenário da Câmara dos Deputados
Plenário da Câmara dos Deputados


Um levantamento feito por líderes do PSDB e do DEM aponta que hoje, o impeachment teria no máximo 200 votos na Câmara. Para ser aprovado precisa de 342 votos entre os 513 deputados. Ou seja, faltam pelo menos 142 votos. Por isso a oposição decidiu aguardar. É bom frisar que esse levantamento foi feito antes da liberação de R$ 500 milhões em emendas parlamentares, o que deve ter acalmado alguns deputados que se diziam favoráveis ao impeachment.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


26/08/2015 17:20
Reprodução da Época online
Reprodução da Época online


Essa cena ilustra bem às quantas anda o apoio a Cunha. Ninguém quer se comprometer. Alguns deputados dizem a Cunha que estão com ele, mas depois que ele passa confidenciam: "Por enquanto. Se o negócio complicar não posso me comprometer". Cunha sabe que a liberação da verba das emendas serviu para também para lhe tirar poder de barganha e o enfraqueceu mais. A situação de Cunha deve ficar em compasso de espera até o Supremo Tribunal Federal decidir se aceita ou não a denuncia do MPF por corrupção e lavagem de dinheiro.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [5] | |


26/08/2015 16:06
Reprodução do UOL
Reprodução do UOL


Alguns leitores estão perguntando se eu vou "censurar" a notícia da suposta propina que Aécio teria recebido de Furnas, do Eletrolão, que a Operação Lava Jato está começando a investigar. Por que esconderia? Não tenho nada rabo preso com ninguém, nem Aécio, nem quem quer que seja. Já disse aqui várias vezes que minha posição é de independência. Eu quero mais é que investiguem tudo, Mensalão, Petrolão, Eletrolão, etc. O povo brasileiro tem o direito de saber onde foram parar bilhões do dinheiro público. Quem não deve não teme, isso vale para Aécio como para qualquer outro político.





 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [12] | |


26/08/2015 14:46
Reprodução do G1
Reprodução do G1


Ontem parecia programa do Sílvio Santos, o Show do Milhão, na verdade show de R$ 500 milhões. Parlamentares foram comunicados pelo ministro Eliseu Padilha (Aviação Civil), que assessora Michel Temer na articulação política, de que a verba das emendas parlamentares finalmente está saindo do forno. Foram vencidas as resistências da equipe econômica. Ontem mesmo, alguns deputados que vinha votando contra o governo passaram a votar a favor. Liberação de verbas para obras nos redutos eleitorais a um ano da eleição soa como música nos ouvidos de pré-candidatos.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [5] | |


26/08/2015 13:28
Reprodução da BBC Brasil
Reprodução da BBC Brasil


No próximo ano teremos eleições municipais. Antes teremos as Olimpíadas em agosto. Mas ao longo de todo o ano enfrentaremos uma dura crise econômica. É certo que acontecerão protestos, em todas as Olimpíadas é assim. Só que no Rio há ingredientes explosivos, como lembra a matéria da BBC Brasil, citando o pesquisador Rafael Alcadipani, da FGV. O escândalo do superfaturamento nas obras, os aditivos, as informações escondidas por Eduardo Paes, tudo isso pode atropelar o marketing do legado olímpico, que o prefeito vende como se fosse um conto de fadas para a população do Rio de Janeiro. A paciência do povo já estará por um fio por conta das dificuldades econômicas. Se os protestos alcançarem uma grande dimensão no Rio de Janeiro vão criar um clima anti-Paes, que pode varrer as chances de eleger seu sucessor. E dará gás a candidatos de oposição ao prefeito do Rio.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [11] | |


26/08/2015 12:03
Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online


Pezão anunciou que refez as metas do seu governo até o final do seu governo. O que chama a atenção de cara é que a instalação de 50 UPPs e 65 UPAs, promessas de campanha, sumiram das metas. Evaporaram. As metas de Pezão é tudo conceitual, melhorar a posição do IDEB (Educação Básica), melhorar a cobertura de saúde (mesmo sem novas UPAs), reduzir a criminalidade, aumentar o número de usuários dos transportes públicos. É tudo genérico. Se alguém ainda acreditava que Pezão faria alguma coisa pode esquecer. Na prática, Pezão está anunciando metas vagas, quando a verdade é que pura enrolação. O nosso estado foi quebrado por Cabral e Pezão. Até o final de 2018, que ninguém espere nada do governo Pezão.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [10] | |


26/08/2015 10:54





Foi aprovado por unanimidade na Comissão de Transportes da Câmara, o relatório da minha filha, deputada Clarissa Garotinho, que regulamenta a profissão de aeronauta. Clarissa também é presidente da comissão. Há anos que os aeronautas vêm lutando pela regulamentação. Agora o relatório aprovado segue para as comissões de Trabalho e de Constituição e Justiça. Se for aprovado segue direto para o Senado. Esta nova lei é um marco na aviação. Além de garantir mais qualidade de vida para os aeronautas, também vai aumentar a produtividade das companhias aéreas e trazer mais segurança para os usuários da aviação brasileira.


 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [3] | |


26/08/2015 10:11
Reprodução da Veja online
Reprodução da Veja online


Podem estar certos que vamos assistir uma briga de foices, uma verdadeira batalha fraticida entre o PT e os aliados para garantir a manutenção dos atuais cargos que ocupam na estrutura federal. Agradar a todos é impossível, mas o mais provável é que quase todos fiquem insatisfeitos na hora de dividir o bolo menor. Ninguém quer perder ministério, nem cargos, mas 10 pastas devem ser extintas, assim como 1.000 cargos comissionados. Vocês que acompanham a política podem imaginar a confusão que isso vai dar. Como disse ontem, se Dilma tivesse iniciado o segundo mandato com menos ministérios tudo seria mais fácil. Agora em meio à pior crise política dos últimos tempos, a reforma, claro, necessária, deveria até cortar mais cargos, será um ingrediente a mais para agravar o cenário.

E onde entra o vice Michel Temer nessa história? Na verdade não entra, sai, escapa do desgaste inevitável, que sobrará para o Palácio do Planalto. Temer comandou a articulação política, negociou no varejo com parlamentares e partidos, garantiu a governabilidade e a aprovação do ajuste fiscal, enquanto os ministros petistas, pelas costas, jogavam contra ele. Temer cansou e anunciou que está fora do varejo político. Com isso também se livra de ter que negociar quem vai perder o quê. O ônus vai ficar com o Palácio do Planalto e o PT. Temer foi muito inteligente.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [6] | |


26/08/2015 08:52
Presidente Dilma; abaixo, manchete da Folha de S. Paulo online
Presidente Dilma; abaixo, manchete da Folha de S. Paulo online


De um lado o TCU, do outro o TSE, e no meio governistas, aliados e opositores travando batalhas no Congresso. Em jogo a sobrevivência do governo Dilma. Essa é a opção preferida do PSDB. Em caso de cassação da chapa Dilma - Temer, o TSE pode decidir entre dar posse ao segundo colocado nas eleições, Aécio Neves, ou marcar novas eleições. Na segunda hipótese por 90 dias o presidente da Câmara assumiria a Presidência da República interina até as eleições, no caso Eduardo Cunha. Já pensaram?

Mas antes vai acontecer o julgamento das contas do governo no TCU. Em caso de aprovação ou reprovação caberá ao Congresso apreciar a decisão do TCU. Mas se as contas forem reprovadas no TCU será inevitável a abertura do processo de impeachment. Se será aprovado ou não, aí depende de vários fatores, das ruas, do "toma lá, dá cá" do governo para garantir votos contrários ao afastamento da presidente Dilma, da articulação da oposição, fora os imprevistos.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [5] | |


26/08/2015 08:26
Reprodução de O Dia online
Reprodução de O Dia online


De uns tempos para cá temos assistido a disputa entre traficantes e milicianos por cada conjunto habitacional novo do Minha Casa, Minha Vida. Hoje todos os conjuntos, sem exceção, são dominados por traficantes ou milicianos. Mas agora surge essa novidade. O Morro do Jordão foi "vendido" por R$ 3 milhões pela milícia Liga da Justiça para o Comando Vermelho. E o Estado o que faz? Nada, simplesmente nada. O terror está se espalhando, a ousadia dos criminosos crescendo, mas enquanto isso o policiamento continua diminuindo por falta de dinheiro. Socorro!

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [5] | |


25/08/2015 18:22
Reprodução do Estadão online; ao lado, fachada do TCU
Reprodução do Estadão online; ao lado, fachada do TCU


Com todo o respeito, mas não há nenhuma justificativa plausível para o governo pedir mais 15 dias para apresentar a defesa das contas de Dilma de 2014 ao TCU. O tribunal já havia concedido 30 dias para apresentar defesa, na semana passada deu mais 15 dias, e agora o governo pede outros 15 dias. Está na cara que é para protelar o julgamento e ganhar tempo para tentar um clima mais favorável no Congresso.

 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [8] | |


25/08/2015 16:40
Pezão; ao lado a ALERJ; embaixo, reprodução do Globo online
Pezão; ao lado a ALERJ; embaixo, reprodução do Globo online


Pezão quer que a ALERJ o autorize a usar parte do Fundo Estadual de Habitação Social para pagar dívidas com fornecedores da área de saúde. O projeto de lei, que não tenho dúvidas, será aprovado só permitirá que sejam pagas dívidas contraídas após a aprovação na ALERJ. Mas Pezão não quer saber vai usar o dinheiro para pagar dívidas do ano passado com fornecedores de UPAs. Dane-se a lei.


 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [11] | |


25/08/2015 15:18


Numa recente sessão do Tribunal Superior Eleitoral, o ministro Gilmar Mendes, relator das contas da campanha da Presidente Dilma Rousseff, disse uma frase que deve ter deixado os petistas irados, especialmente aqueles ligados à CUT, o braço sindical do PT. Vejam o vídeo com atenção e percebam, e anotem a última frase dita por Gilmar Mendes, que reproduzo abaixo: "ladrões de sindicatos transformaram o país num sindicato de ladrões".




 |   Compartilhar no Twitter  |    Comente [12] | |


PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 ProximoUltimo

Facebook


Twitter


Vídeos

Busca
Histórico
Links
Todos os Direitos Reservado
Fotos Anthony Garotinho