Cabral posando de comandante de navio no lançamento do Porto Maravilha; ao lado o Costa Concordia adernado
Cabral posando de comandante de navio no lançamento do Porto Maravilha; ao lado o Costa Concordia adernado



Um amigo meu que me chamou a atenção para as semelhanças entre Cabral e o capitão Schettino, o covarde que comandava o navio Costa Concórdia que naufragou na costa da Itália. Na hora da tragédia Schettino estava na farra, já se sabe que estava na sua cabine com uma bela “ragazza”, assim como Cabral que nos momentos de catástrofe no Rio de Janeiro estava fazendo turismo internacional. E na hora de assumir as responsabilidades tanto um quanto o outro fogem das responsabilidades e se escondem.

Mas as semelhanças param por aí como lembrei ao meu amigo, a grande diferença é que o capitão Schettino foi chamado à responsabilidade e já está preso na Itália. Aliás, o chefe da Capitania do Porto de Livorno, comandante De Falco virou herói nacional italiano por conta da sua reação no diálogo telefônico com o capitão covarde, mandando que ele voltasse para o navio e assumisse a sua responsabilidade. A frase “Vada a bordo, cazzo!”, que numa tradução light seria “Volte a bordo, cacete!” virou camiseta usada por milhares de italianos. Infelizmente por aqui ninguém se dispõe a fazer Cabral assumir as suas responsabilidades no naufrágio do governo estadual e nas “catástrofes” provocadas pelo assalto aos cofres públicos.


Italianos desfilam com camisa com a frase "Volte a bordo, cacete!"
Italianos desfilam com camisa com a frase "Volte a bordo, cacete!"