Reprodução da capa do Extra
Reprodução da capa do Extra



O comandante da PM, Erir da Costa Filho anunciou que só escolheria para funções de comando oficiais que não estivessem respondendo por crimes ou conduta irregular. Não é o caso do subcomandante do 6º batalhão (Tijuca), tenente-coronel Max Fernandes dos Santos que responde por homicídio triplamente qualificado. Ele estava na “geladeira” desde que a juíza Patrícia Acioli tirou da gaveta o processo contra ele, em 2009 e foi denunciado pelo MP. Saiu agora da geladeira embora continue respondendo ao processo. Foi promovido pelo novo comandante da PM. Dá para entender?