Numa mesa de um famoso restaurante do Rio, dois importantes políticos do PMDB estadual analisavam a última pesquisa feita pelo partido nas principais cidades do estado. O quadro não era nada animador, a popularidade do governador Cabral está despencando nas cidades acima de 200 mil eleitores, o que trará prejuízo aos candidatos por ele apoiados. Quando chegou o município de Campos, uma pessoa na mesa ao lado registrou o seguinte diálogo:

- Aqui a eleição está perdida, além da Rosinha estar muito bem avaliada a oposição é fraca.

No que o seu interlocutor respondeu:

- É, só mesmo no tapetão. E o governador está trabalhando firme para nos próximos dias deixar a prefeita inelegível ou tirá-la da prefeitura.

Seu colega indagou:

- Mas isso é possível?

Resposta:

- É a única chance que temos e Cabral está jogando todas as fichas nisso, inclusive pediu ao Régis (Fichtner) para cuidar diretamente do assunto. Eu acho que vai dar.


Não acredito que o governador tenha o poder de decidir por juízes, desembargadores ou outras autoridades. Mas pelo menos é o que ele anda espalhando. Quem garante é alguém que ouviu e prestou bastante atenção na conversa dos influentes políticos do PMDB.

Vamos aguardar, e é claro, se acontecer levar o caso aos tribunais superiores denunciando a manobra como já fizemos outras vezes.

Comentários