Estava lendo uma reportagem do jornal EXTRA, quando me deparei com essa notícia que desconhecia, sobre o espantoso aumento de patrimônio do ex-secretário municipal de Ordem Pública, Rodrigo Bethlem, que agora é candidato a deputado pelo PMDB de Cabral.

Olha, sem dúvida chego à conclusão que o prefeito Eduardo Paes colocou Bethlem no cargo errado. Mas não é porque o Choque de Ordem não funcionou e não passou de uma farsa para enganar a população, e porque perseguiu os pobres e humildes trabalhadores e fez vista grossa para as irregularidades dos ricos e das grandes empresas. Isso todo mundo sabe.

Me refiro ao fato de que Bethlem deveria estar no lugar da secretária de Fazenda, Eduarda La Rocque. Sim, porque esse rapaz é um prodígio das finanças que Paes desperdiçou.

Vamos raciocinar juntos: Bethlem declarou há 4 anos, nas eleições de 2006 ter um patrimônio de R$ 230 mil. Nesse período ele ocupou durante um ano uma subsecretaria no governo de Cabral. No ano seguinte foi coordenar a campanha de Paes. Em 2009 foi secretário de Ordem Pública, cargo que deixou em abril deste ano, para ser candidato. Então, se conclui que trabalhou dois anos e 3 meses e nesse curto período conseguiu multiplicar seu patrimônio de forma espetacular. Que faro invejável para investir o dinheiro!

Sim, porque talvez muitos não lembrem, mas há um ano e meio, quando assumiu o cargo de secretário de Paes, a imprensa denunciou que ele não pagava impostos e o INSS de sua academia de ginástica na Barra e também devia o IPVA e multas do carro. Quer dizer que há um ano e meio, não tinha dinheiro e hoje, aparece com um patrimônio de R$ 1,2 milhão, um aumento no patrimônio de 421%.

Realmente em 4 anos, Bethlem deu um grande “choque de ordem” nas suas finanças pessoais – poderia ensinar o segredo de tanto sucesso e sorte nos negócios – só espero que agora pelo menos, cheio de dinheiro no bolso, esteja pagando as contas e tenha saldado as dívidas com INSS, a Receita e a do IPVA. Dinheiro não lhe falta!