Reprodução do Globo
Reprodução do Globo



Só na joalheria Antonio Bernardo foram compradas 460 joias, em dinheiro vivo e sem nota fiscal, por Cabral e Adriana Ancelmo. Ainda tem as joias da H. Stern. E falta o resultado da investigação em outras joalheiras famosas que também receberam isenções fiscais de Cabral e de Pezão. Não será surpresa se a coleção de joias da família Cabral ultrapassar as mil peças. Nem rainhas têm tantas joias. É uma afronta ao povo do Rio de Janeiro. É por causa dessa roubalheira que o Estado do Rio hoje está quebrado e os servidores agonizam.

Isso me lembra um caso que ficou famoso, o de Imelda Marcos, mulher do ditador das Filipinas, Ferndinando Marcos, que foi deposto em 1986 e causou revolta da população do país ao se descobrir que a primeira-dama tinha uma coleção de 3 mil pares de sapatos. No caso da ex-primeira-dama do Rio, a coleção é de joias.

Está mais do que claro que o casal Cabral lavava dinheiro da corrupção também através da compra de joias luxuosas, como o par de brincos de R$ 612 mil.