O proprietário da Folha da Manhã, Cristiano Abreu para continuar enganando seus leitores publicou ontem que pagou o boleto do IPTU falsificado por ele próprio, e pergunta: Como pode?

Muito simples meu caro Cristiano, o que foi adulterado foi o nome do contribuinte e o número da inscrição, quando você paga no banco o que vale é o código de barras, e ao pagar você confirmou que adulterou mesmo, porque a quitação saiu em nome de outra pessoa, ou seja, o boleto que possui aquele código de barras correspondente a outro nome.

Para dar um exemplo mais simples para todo mundo entender. Se você pega sua conta de luz e altera o nome vai ao banco e paga: o banco não recebe? É claro que sim, desde que o código de barras seja válido independente do nome que esteja como titular da conta.

Cristiano quanto mais tenta se explicar mais se afunda na lama da fraude que praticou. Quanto às ofensas que ele e o irmão vêm fazendo contra mim, como vocês puderam ver acima, ingressei na Procuradoria Parlamentar da Câmara com uma representação para processá-lo.

Aliás, espero que ele não faça o mesmo que Marco Antônio Cabral, filho do governador que depois de ter me ofendido na Folha de S. Paulo, eu o processei, e agora desesperado tenta de todas as formas que eu aceite a sua retratação para não ser condenado. A audiência vai ser na sexta-feira, na 9ª Vara Federal do Rio de Janeiro.

Comentários