Conforme vocês devem ter tomado conhecimento durante o feriadão através da mídia o nosso blog vem divulgando uma série de fotos e vídeos mostrando as farras milionárias de Cabral e seus secretários com o dono da Delta, Fernando Cavendish. Se vocês ainda não viram as imagens, abaixo desta postagem está a sequência de matérias e revelações. Mas antes reproduzo matéria do Radar online, da Veja, que ontem divulgou um vídeo inédito cedido pelo nosso blog que mostra que além das farras em festas e jantares, a turma de Cabral e Cavendish também foi apostar com o dinheiro do povo no cassino de Monte Carlo.





Reprodução do Radar online, da Veja
Reprodução do Radar online, da Veja


A moral da história da sequência de fotos e vídeos que revelaram para o Brasil as farras de Cabral, Cavendish e sua turma em Paris, Cannes e Mônaco, salta aos olhos, não deixa qualquer dúvida. O governador do Rio, Sérgio Cabral mais quatro secretários, Régis Fichtner (Casa Civil), Wilson Carlos (Governo), Sérgio Côrtes (Saúde) e Julio Lopes (Transportes) em festas e jantares nos lugares mais sofisticados e caros da Europa levando vida de milionários em companhia de Fernando Cavendish, dono da Delta, a empreiteira que tem mais contratos com o governo do Rio, ultrapassam mais de R$ 1,5 bilhão, além de outros empresários amigos que também recebem dinheiro do Estado. A relação promíscua, as bebedeiras, as farras, as mordomias, as compras de artigos de luxo, comprovam uma verdadeira orgia com o dinheiro público.

O nosso blog está prestando um serviço à sociedade e fazendo história. Digo isso, não para me vangloriar ou porque Cabral foi finalmente desmascarado por completo e sua verdadeira face exposta ao público, sem blindagens. Mas porque pela primeira vez na história do jornalismo brasileiro foram reveladas imagens (fotos e vídeos) das festas particulares, das farras opulentas de um governador e seus secretários com empresários que vivem de negociatas corruptas com o dinheiro público.

Muito já se ouviu falar de festas de arromba com a participação de políticos e de viagens internacionais do governador A ou B. O nosso blog mesmo noticiou em primeira mão, várias das viagens de Cabral, que ele tentou manter escondidas. Agora mesmo no caso Cachoeira já se falou muito de vídeos que o contraventor tem guardados mostrando as festas que bancava para políticos e empresários. Mas é a primeira vez que as pessoas vêm com seus próprios olhos. Por isso a repercussão extraordinária. As imagens que mostramos foram como um tapa na cara da hipocrisia daqueles que vinham protegendo Cabral ao longo dos últimos anos. A contundência das cenas que mostramos, o flagrante deboche que ofende as pessoas honestas, fez com que até veículos de comunicação que sempre ignoraram as denúncias do nosso blog se rendessem.

Os desdobramentos das revelações das farras de Cabral

E agora o que vai acontecer? Essa com certeza é uma pergunta que deve estar na cabeça da maioria dos leitores. Pois bem, a nova postura da mídia ao noticiar com destaque as farras de Cabral, sem poupá-lo e o questionando, deixa um recado claro. Se não forem dadas respostas efetivas, se quem tem o dever de investigar e de zelar pelo dinheiro público se omitir será desmoralizado perante a opinião pública. E agora não será apenas o Blog do Garotinho e mais meia dúzia a mostrarem isso à população.

A comissão de sindicância criada por Cabral para investigar os contratos da Delta, presidida pelo secretário Régis Fichtner, um dos que participou das farras com Fernando Cavendish, em Paris está desmoralizada. Não tem nem mais razão de existir. É uma farsa que está desmontada.

Na semana passada, o Procurador do Ministério Público Estadual, Cláudio Lopes mandou arquivar um procedimento relativo às ligações de Cabral com a Delta e seu dono Fernando Cavendish, sob o argumento de que não havia nenhum indício de favorecimento ou improbidade. De acordo com a legislação, o Conselho do MP Estadual tem poder para rever a decisão do Procurador-Geral e mandar abrir um inquérito. O que vai acontecer ninguém sabe, mas a esta altura diante de tudo o que as pessoas tomaram conhecimento, é difícil de acreditar que o MP esteja disposto a se desmoralizar e socorrer Cabral sendo arrastado para o fundo do poço.

E qual será a postura da Assembléia Legislativa? Não se iludam que na ALERJ não sairá CPI nenhuma. Paulo Melo não vai deixar e Cabral tem maioria construída com base em favorecimentos a deputados, que por isso mesmo estão na mão do governador. Mas confesso que estou curioso em saber o que os defensores ardorosos de Cabral na ALERJ, como Cidinha Campos, por exemplo, vão dizer para defendê-lo. Que argumentos a esta altura podem usar para defender Cabral?

Mas com certeza o principal questionamento da sociedade é sobre a CPI do Cachoeira. Cabral vai ou não ser convocado para depor na CPI e se explicar? É uma incógnita, mas há duas situações que é preciso observar. Claro, que Cabral já está movimentando a poderosa tropa de choque do PMDB e seus aliados do PT para o blindarem e impedirem que seja convocado a depor. Essa é uma face da moeda. Mas a outra face coloca um dilema diante do Congresso Nacional. É incontestável, e o nosso blog provou isso, que há muito mais elementos sobre as relações promíscuas de Cabral com Fernando Cavendish, da Delta, do que as suspeitas e indícios que atingem os governadores Marconi Perillo (Goiás) e Agnelo Queiroz (Distrito Federal). Se pouparem Cabral de ir à CPI, não terão argumentos para convocar Marconi Perillo e Agnelo Queiroz. E se fizerem isso acabou a CPI e o Congresso Nacional estará desmoralizado.

Uma coisa é certa eu estarei na CPI e vou mostrar muito mais do que já revelamos através do blog. Está na hora de dar um basta no maior assalto aos cofres públicos da história do Rio de Janeiro. Não adianta Cabral fazer ameaças porque não vou recuar.

Daqui a pouco detalhes sobre Georges Sadala e seu enriquecimento vertiginoso, o homem que dirige o Poupa Tempo, do governo do Estado, mas arranja tempo pra fazer muito dinheiro. Ele é um dos integrantes do “Bando dos Guardanapos”.