A Primeira Turma do STF, presidida por Rosa Weber, pautou para o dia 2 o julgamento de Eduardo Paes e do deputado Pedro Paulo. Ambos foram delatados por Benedicto Júnior, ex-presidente da Odebrecht, e outros dois colaboradores.

Na delação revelou-se que o apelido dado a Paes era “Nervosinho”, por ter, segundo Junior, um "estilo muito impositivo".

Junior afirma ter pago R$ 3 milhões a Pedro Paulo para sua campanha a deputado em 2010, tendo a transação sido facilitada por Paes.

REPRODUÇÃO: COLUNA DO LAURO JARDIM - O GLOBO

Comentários