A família do ex-governador Anthony Garotinho repudia veementemente as insinuações da Seap de que Garotinho teria se autolesionado, usando isso como pretexto para lhe impor “punições”.

A Seap alega que as imagens do circuito interno de TV não detectaram ninguém entrando na cela para agredir o ex-governador, mas essas mesmas câmeras também não flagraram inúmeras irregularidades que beneficiaram o grupo de Sérgio Cabral.

Cadê as imagens de entrada no presídio de home theater? Ninguém viu? Cadê as imagens da entrada de alimentos como camarão e produtos importados entregues por fornecedores? Ou pior: onde estão as imagens do uso frequente de celular por políticos do grupo do Cabral que estão presos ali? Ninguém viu também. E em nenhuma dessas ocasiões vimos nenhum tipo de punição. Será que alguém do sistema prisional está sendo conivente com as regalias de Cabral e sua turma?

É necessário que haja apuração séria e isenta das filmagens envolvendo a agressão a Garotinho. Afinal, é possível afirmar categoricamente que nada aconteceu no intervalo de duas horas em que não houve filmagens até Garotinho ser visto chamando os guardas?

Por fim, a família vem a público manifestar a sua indignação com esse episódio e com toda a injustiça. E mais uma vez perguntar: onde estão a mansão, a fazenda, as contas no exterior de Garotinho e Rosinha? Nossa família não enriqueceu na política.

Postado pela Equipe Garotinho

Comentários

25/11/2017

12:19

Cristiano Costa - Rio

A justiça da terra e a de Deus prevalecerá

25/11/2017

12:34

Leandro Varela - Rio de Janeiro

A Familia, os eleitores e leitores desse blog Repudiam as insinuações da Seap.

25/11/2017

12:38

Reinaldo - RJ

Que Deus o proteja. E falando da situação do home theater, o pior é que a Seap, para esconder quem fez a doação do home theater, tentou incriminar duas igrejas, induzindo missionários a se declararem responsáveis pela doação, covardia tentar incriminar dois idosos missionários.http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/10/1931949-prisao-de-cabral-ganha-home-theater-sob-gestao-de-ex-secretario-condenado.shtml

25/11/2017

12:50

Jose Carlos de Carvalho - Itaquaquecetuba SP

Estou indignado com as pessoas que zelam pela justiça. Pelo jeito a justiça é o que a Globo e homens de dinheiro determinam. Muitas pessoas estao colocando Garotinho no mesmo nivel de Cabral. Pelo jeito ser politico honesto e a favor dos mais pobres sofrem mais que os corruptos. Muitas pessoas comem o que a globo noticia como verdade absoluta e saem julgando sem a consciencia de que pode estar entrando no JOGO DA PODRE REDE GLOBOj. LAMENTAVEL.Mas existe um Deus no Céu. Ai das falsas testemunhas terao a mao de Deus contra eles

25/11/2017

12:58

Reinaldo - RJ

E o governo Pezão, que providenciou home theater para Cabral e comparsas, vai dizer também que os missionários que foram induzidos por Cabral para assinar a doação do home theater, que já estava lá e foi doada não sei por quem, estão mentindo?

26/11/2017

09:39

Julia Dias - Vassouras

Tem que pedir as imagens horas antes do Garotinho chamar os Guardas, porque a Globo so mostra o mpmento que ele esta chamando. Se mostra se as imagens de 1 hora atras veriamos a pessoa que entrou .

28/11/2017

04:05

Anonimo - RJ

Se tivesse um objeto contundente na cela, seria apreendido em flagrante na hora dentro da cela, no momento em que Garotinho pediu socorro. Então já está provado que o Garotinho foi agredido e o principal suspeito é um agente penitenciário que tem a chave da cela.

29/11/2017

08:24

Anonimo - RJ

Foi criado todo o cenário para que acontecesse o fato que aconteceu com Vladimir Herzog. O Garotinho foi colocado sozinho num corredor inteiro e não tinha nem um guarda próximo para testemunhar. Aí se criou toda a condição para dizer que o Garotinho se auto lesionou, uma fonte disse que o Garotinho bateu com o joelho na parede. Se tivesse um guarda próximo, ouviria o barulho imediatamente. Agora que o laudo confirmou que o Garotinho foi agredido por um objeto contundente, querem dizer que o Garotinho tinha o objeto na cela, algo que seria apreendido em flagrante.