Reprodução da Veja
Reprodução da Veja

Parece oportunismo, e é, a entrevista concedida pelo vice-governador Francisco Dornelles à Veja. Aos 82 anos, com a saúde debilitada, anuncia sua aposentadoria da vida pública. E agora que não almeja mais nada põe-se a criticar os governos Cabral e Pezão, dos quais foi figura proeminente, agora inclusive como vice-governador. Critica a política de segurança, defende o que eu venho dizendo há longo tempo, que não faz sentido manter milhares de policiais nas UPPs onde não têm efeito prático nenhum, e deveriam vir reforçar o policiamento nas ruas. Condena Sérgio Cabral e a obra do Maracanã.

Tenho que destacar também uma pérola: "Olha, vai chegar a um ponto no Brasil que se o sujeito não estiver citado na Lava-Jato vai até perder valor na política." Então, tá!

Dornelles fazer críticas agora é fácil, passou mais de 10 anos participando do governo, batendo palmas para tudo que hoje todos sabem que foi o maior assalto aos cofres públicos da história do Rio de Janeiro. Agora quer ficar bem na fita, mas não convence ninguém. Sua biografia será marcada por essa mancha.