Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo

Até Eduardo Cunha ser preso o hoje presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) era um dos seus fiéis escudeiros. Rodrigo homenageou Eduardo Cunha na hora de votar no microfone pelo impeachment de Dilma: "Senhor presidente, o senhor entra para a história hoje". Também foi um dos 231 deputados que assinaram um documento de desagravo a Cunha quando ele enfrentava o processo no Conselho de Ética que resultaria na sua cassação. E foi Rodrigo Maia quem Eduardo Cunha escolheu para ser o relator da Comissão Especial da Reforma Política. O atual presidente da Câmara também atuou ao lado de Eduardo Cunha para aprovar medidas provisórias que beneficiaram empreiteira e empresas do setor de petróleo, aliás é investigado na Lava Jato por isso. Além disso depois que se elegeu presidente da Câmara, com a renúncia de Cunha, Maia agiu para protelar o processo de cassação de seu amigo e mentor. Hoje Rodrigo Maia apagou da memória sua amizade com Eduardo Cunha.