Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

Desde o início de março, Michel Temer, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles e os comentaristas econômicos de sempre, que fazem o jogo do sistema, comemoram o fim da crise econômica. No mês passado, Temer chegou a dizer que a economia vivia uma "onda excepcional", e Meirelles decretou o fim da recessão e a retomada da criação de empregos. Foram aplaudidos efusivamente pela mídia tradicional, que mais uma vez se desmoralizou. Agora temos aí os números oficiais do emprego no mês de março. E mais um mês termina com o desemprego aumentando. No balanço entre contratados formais e demitidos o saldo foi negativo: o desemprego aumentou. São 63 mil desempregados a mais, que se somam aos 13,5 milhões, de acordo com a metodologia oficial, porque na prática há mais de 20 milhões de pessoas sem emprego.

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira é otimista: "Em que pese os números de março serem negativos, comparando com o mesmo período do ano passado, os números são melhores". Sim, em março do ano passado mais gente ficou desempregada. Porém o que os números mostram é que o desemprego segue aumentando e a crise econômica continua se agravando. Não adianta tentar tapar o sol com a peneira.