O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, concedeu a Adriana Ancelmo o direito de prisão domiciliar para poder cuidar dos filhos de 11 e 14 anos. Alegou que seguiu as Regras de Bangkok (acordo da ONU), que recomendam que mulheres infratoras não sejam separadas dos filhos. O problema é que as Regras de Bangkok não serviram até hoje para beneficiar outras mães presas.

O MPF recorreu ainda na sexta-feira de decisão do juiz Marcelo Bretas. Hoje caberá ao desembargador Abel Gomes, da Tribunal Regional Federal decidir sobre o recurso do Ministério Público Federal. Se ele acatar o recurso, Adriana Ancelmo terá que permanecer em Bangu. Adriana está desesperada porque está previsto para o final da próxima semana a transferência de Cabral e sua quadrilha para o novo presídio vip de Benfica, reformado especialmente para ele ter mais conforto. Com isso Adriana pode ficar sozinha em Bangu, sem ter mais acesso a Cabral quase todos os dias, regalia que lhe é facultada, à margem da lei, pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária.

Nas redes sociais a revolta e as ironias estão a todo o vapor. A decisão do desembargador do TRF sai agora à tarde.