Visitantes online: 288
logo topo

sábado, 30 de maio de 2020

02/01/2019

09:52

Foi dada a largada!



Mesmo com a diferença entre a visão que tenho com os novos governantes que assumem o país e o estado, não esperem de mim uma oposição raivosa, nem mesmo torcida para dar errado.O povo brasileiro e do nosso Estado do Rio de Janeiro não aguentam mais!

Viramos uma página no Estado ao desmontar a máquina de corrupção liderada pelo PMDB, que destruiu os serviços públicos, que corrompeu instituições e levou a população a vivenciar níveis impensáveis de desemprego, falência estatal, corrupção generalizada, desmonte das polícias, desmotivação do funcionalismo, caos na saúde, educação e abandono total de nossas universidades.

Nosso Estado virou terra sem lei, onde o patrimônio dos políticos ligados ao grupo no poder cresceu na proporção inversa da renda da população e das finanças públicas. Governantes ricos de um povo pobre! Estado falido, endividado, embora cheio de riqueza e oportunidades!
É preciso retomar uma política de segurança séria, recuperando o programa delegacia legal, implantar os batalhões de defesa social, recuperar a credibilidade do Instituto de Segurança Pública, e não cair na tentação do discurso fácil do faroeste, que levará mais policiais e inocentes a morte!

Bandido bom é bandido preso, essa é a lei e deve ser cumprida, fazendo com que o sistema penitenciário volte a colocar para trabalhar a maioria da população carcerária.
Ensino integral, reduzir ao máximo a participação de organizações sociais na gestão dos hospitais públicos e estimular a arrecadação do estado com programas como o gol de placa, que trocava notas fiscais por ingressos para os jogos de futebol.

O desemprego deve ser combatido com a revisão dos incentivos fiscais desnecessários e a implementação de uma política de atração de indústrias com incentivos ao trabalho e não corrupção, como ocorreu nos governos Cabral e Pezão.
Nossas oportunidades são imensas e me vem à memória o dia primeiro de janeiro de 1999, quando assumi um estado falido, renegociei a dívida, geramos milhares de empregos e a renda per capta do Rio pela primeira vez na história, superou São Paulo.

Existe caminho enquanto existir esperança, embora a tarefa do novo governador seja dura, pois além das dificuldades do quadro descrito, é sua primeira experiência como gestor público, os nomes de sua equipe, mesclam inexperiência com gente até pouco tempo participante do esquema demolidor do Estado!

Mas sua postura será decisiva no primeiro desvio de finalidade, ditará o tom e devemos acreditar e crer no melhor resultado possível.

No plano nacional as dificuldades também são gigantescas e não serão fáceis os desafios do novo presidente. Os números da economia brasileira são terríveis. O desemprego próximo a 13 milhões de cidadãos e mais 19 milhões vivendo de trabalho precário, bico. O déficit público anunciado de R$ 130 bilhões é falso e em poucos dias o número real será mostrado, está próximo a R$ 200 bilhões. A dívida pública passa de R$ 5 trilhões e a concentração de renda no país atinge níveis recordes.

O Brasil está doente, moral e economicamente!
Além de estar doente no sentido literal da palavra, doenças que já haviam sido banidas como o sarampo voltaram. Dengue, doenças cardiovasculares em massa e os hospitais e a prevenção não funcionam.
A violência fez mais de 63 mil pessoas vítimas de homicídio, sistema carcerário explosivo dominado por facções,educação no limbo, um caos!

Não podemos acreditar em soluções simplistas, pois já vimos no que resulta. A elite brasileira fracassou e o país vive níveis de desigualdade de períodos trágicos de sua história.
Somos hoje uma nação sequestrada pelo sistema financeiro e o piloto da economia designado pelo novo presidente é parte dele, do mesmo sistema que nos levou a essa situação insustentável.

Vamos evitar oposição cega, chamar o governo à realidade e jogar o único caminho aceitável, mudar dentro da democracia, criticando com propostas, apresentando caminhos e devolvendo esperança a todos os brasileiros, especialmente os mais pobres. Fé no futuro é o que nos resta.

Anthony Garotinho

26/12/2018

14:24

O ESTADO E SEUS ENIGMAS



Com a inesperada derrota de E.P., os poderosos G e Z trabalham harmonicamente para manter territórios e poder no outrora reinado de S.C ,onde os 3 Ps (o poderoso, o grande e o meloso) têm visto o sol nascer quadrado da Barra a Bangu.
Gostaram tanto da jornada nacional e estadual sem adversário que Z, com o apoio G, atravessou o grande lago para abrir horizontes em NIT, fuzilando R.N afim de formar uma aliança militar Judaica para novos voos, pagando a gratidão de eliminar C.L do caminho de G, deixando WW sem saída.

WW que se cuide.O grande M mentor dos dois vem agindo nas sombras com Z para que o seu T não perca poder para o outro T. Os últimos dias do grande M, de Z e G tem sido tensos, pois S.C. resolveu soltar a língua presa. O P poderoso já se entendeu com a arbitragem, o apóstolo é amigo do seu sócio. Se M e Z perderem o controle sobre G e S.C a queda da Babilônia será completa.

WW que ore ao Espírito Santo para que MP contenha sua insaciável paixão por castelos italianos. Vai dar problema... a não ser que oração seja “O Senhor é o meu pastor e nada me faltará.”

Aguardemos!

23/12/2018

07:35

Programa Fala Garotinho - 23 de Dezembro 2018

21/12/2018

12:12

Negócio da CHINA!



Sempre achei muito estranha a contratação de Eduardo Paes como executivo de uma empresa fabricante de veículos elétricos. Sei lá, pode ser que os chineses tenham visto alguma coisa que eu não percebi.
Ocorre que a BYD, empresa que contratou Eduardo Paes, saiu vitoriosa para a construção do monotrilho de Salvador pelo valor de R$ 1,5 bilhões de reais. Nada demais, se o prefeito da cidade não fosse o cacique do Democratas ACM Neto, partido de Eduardo Paes e Rodrigo Maia, escolhido por ele após deixar o MDB.

O negócio na Bahia vem dando confusão faz algum tempo, desde da época, coincidentemente, da troca de partidos!

"Publicada semana passada (24) pela imprensa da Bahia, notícia sobre a empresa vencedora da licitação do VLT de Salvador causou certa confusão entre os leitores, já que nota citava a solução de monotrilho e a vencedora como o consórcio formado pela Metrogreen e a chinesa BYD, conhecida por produzir caminhões e ônibus. Para esclarecer as questões, fomos conversar com Alexandre Liu, Diretor de Negócios da BYD, empresa que venceu o leilão realizado na Bolsa B3, de São Paulo.”

Agora passada a eleição Eduardo Paes volta para a BYD.

“Consórcio Skyrail Bahia, formado pelas empresas BYD e Metrogreen, venceu negócio de R$ 1,5 bilhão.”

Os jornais baianos noticiam...

“O diretor da fabricante chinesa BYD no Brasil, Alexandre Liu, disse à Revista Ferroviária que o Consórcio Skyrail Bahia tem até o dia 10 de outubro para assinar o contrato de Parceria Público-Privada do leilão do monotrilho de Salvador.”

Só por coincidência, nada a ver com o negócio, outra empresa chinesa comprou a empresa que construiu a ciclovia cai-cai((TIM MAIA) em São Conrado!

Um prato chinês para quem entender a charada acima!
Quem tem olho grande não entra na CHINA!

18/12/2018

14:22

Diplomação de Clarissa e Wladimir Garotinho



Faço minhas as palavras de Rosinha:

Hoje foi a diplomação de Clarissa e Wladimir no Rio de Janeiro. Agora eles têm um caminho a percorrer ao lado do povo, a quem agradeço pela votação dada a eles! Agradeço a Deus e peço que dê discernimento para que sejam sal e luz em todos os seus passos. Filhos amados, honrem sempre os seus nomes , ainda que o caminho seja difícil. Mais vale o sofrimento pela correção do que a alegria do caminho turvo e sombrio. A luta com a verdade sempre vale a pena. Nunca se esqueçam, vocês são Garotinho! Felicidades e parabéns pela conquista.

14/12/2018

17:39

O ano ainda não acabou



Muitas surpresas 2018 tem guardadas para alguns supostos poderosos. A agenda legislativa pode ter encerrado para alguns espertos, mas não a agenda policial.
Vou deixar mais uma vez a pergunta no ar:quem protege Eduardo PAES com tantas provas de corrupção e enriquecimento ilícito? Quem? Ele pode disputar a eleição com liminar e eu perdi meus direitos políticos por crime de calúnia contra um juiz!

A limpeza no Brasil tem sido seletiva. Contra quem enfrenta de peito aberto a máfia que ajudei a tirar do poder no Estado vale tudo. Vale até ser julgado sem advogado e intimação,como fizeram para me tirar da eleição. Será que a máfia das Organizações Sociais só atuou no governo Cabral?Eduardo PAES fez tudo o que Cabral fez e mais...

Lamento que o trabalho da força tarefa do MPF que ajudou a tirar o Estado das mãos da quadrilha do MDB e seus aliados, deixe andando pelos corredores da ALERJ gente como André Lazaroni, entre outros.
Sei que a população muitas vezes julga pelas notícias manipuladas que recebe.
Quero porém refletir com você que me acompanha há tantos anos seja no rádio,na política ou no meu blog.
As fazendas e milhões da família Picciani que denunciei estão aí... As mansões, jóias, contas no exterior de Cabral já foram em parte conhecidas da população.
Pelo menos 87 políticos e empresários corruptos que denunciei estão presos ou respondendo pelos crimes em liberdade,mas todos com muito dinheiro ou patrimônio.

Agora pergunto:onde está minha mansão? Digam onde estão minhas fazendas ? Apontem contas minhas no exterior, como mostrei as de Eduardo PAES!
Tenho sido injustamente perseguido. Infelizmente hoje até para honrar meus compromissos pessoais dependo da ajuda de meus filhos. Não tenho vergonha de dizer isso. Muitos que se diziam amigos sumiram, pois o medo do poder faz algumas pessoas virarem sombras. Minha vida e de Rosinha já foi revirada 200 vezes, não acharam nada,pois felizmente o patrimonialismo não nos contaminou.

Esse ano está sendo doído, mas é da dor que nasce a esperança e brota a força para continuar acreditando que a fé vence o medo,o sonho vence a ingratidão,que a verdadeira justiça não treme diante de poderosos e melhor é ter mãos e corações para servir ao pobre, ao faminto, ao necessitado que riquezas que o tempo consome.

Aguardem, os próximos dias serão reveladores!

13/12/2018

11:16

Compromisso com a verdade

Todos os que têm idade para lembrar,sabem que meu primeiro ato como governador do Estado foi diminuir o preço das passagens intermunicipais.

Melhor que acreditar nas mentiras de um delator que nutre ódio por mim,basta assistir ao debate da Veja em 2014 e lembrar do que disse a respeito dele.



Confira no link abaixo:

13/12/2018

07:05

Deputados federais recebiam propina para barrar investigações feitas por Garotinho sobre Cabral

Reprodução da Tribuna NF
Reprodução da Tribuna NF

12/12/2018

07:30

Garotinho e Rosinha comemoram 37 anos de casamento

Eu e Rosinha completamos hoje, dia 12 de dezembro, 37 anos de casados. Nossa célula, que se reúne todas as terças na nossa residência sob a orientação do pastor ELIEZER, da Igreja batista de Laranjeiras, antecipou a comemoração das bodas de AVENTURINA e realizamos a renovação de nossa aliança de amor na presença de Deus, de amigos da igreja e alguns filhos que estão no Rio.

Luciana Haddad fez um lindo bolo com fotos de momentos da nossa vida e cada amigo que veio trouxe doces e salgados.

Obrigado Senhor pela esposa que me deste, um tesouro de valor infinito.









11/12/2018

14:39

Polícia Civil e MP fazem busca e apreensão na Prefeitura de Mesquita

Reprodução do site Agenda do Poder
Reprodução do site Agenda do Poder

10/12/2018

13:10

Advogado é preso suspeito de pedir destruição de provas do caso Pezão

Segundo a matéria do portal G1, o advogado Tony Lo Bianco foi preso, na manhã desta segunda-feira (10), a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR). Ele é suspeito de tentar atrapalhar a investigação do esquema criminoso que envolve o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), pedindo a destruição de provas. A prisão foi determinada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). A ligação telefônica suspeita foi feita no dia da prisão de Pezão, no último dia 29, entre Tony Lo Bianco e Cézar Amorim.

Lo Bianco é advogado da empresa Kyocera, que venceu a licitação para as obras do Arco Metropolitano. Cézar Amorim é sócio da High Control Luiz, que realizou a obra de iluminação do Arco Metropolitano. Segundo as investigações, as obras foram feitas em troca de propina.

Vai complicar o Arco Metropolitano
— Tony Lo Bianco a Cézar Amorim, em interceptação telefônica
Na ligação interceptada, Tony Lo Bianco deixa um recado na secretária eletrônica de Cézar Amorim. Cézar, que já havia sido preso na Operação Boca do Lobo, não atendeu ao telefonema. No recado, Tony pede para Cézar procurar Sérgio Beninca e apagar provas.

Além da prisão, houve busca e apreensão nas residências de Tony e de Sérgio Beninca.


“Verifica-se, assim, um quadro de intricadas relações envolvendo membros da Orcrim (Organização Criminosa) e, pior, com a destruição de provas a demonstrar a necessidade da custódia cautelar”, pontua Raquel Dodge, em um dos trechos da petição.

10/12/2018

11:03

Força-tarefa no RJ faz operação para prender Rodrigo Neves por desvio de dinheiro

Preso, o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, chega à Cidade da Polícia Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo
Preso, o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, chega à Cidade da Polícia Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo

09/12/2018

07:04

Programa Fala Garotinho - 09 de Dezembro 2018

07/12/2018

16:45

Garotinho ao vivo no Facebook

06/12/2018

23:58

MPF confirma movimentação financeira suspeita na ALERJ



De acordo com o documento citado pelo jornal, as transações foram informadas ao Coaf porque são “incompatíveis com o patrimônio, a atividade econômica ou ocupação profissional e a capacidade financeira” de Fabrício José Carlos de Queiroz, que foi assessor do gabinete de Flávio Bolsonaro até outubro deste ano, com salário de R$ 8.517. Uma das transações listadas é um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, mulher de Jair Bolsonaro. Flávio Bolsonaro é o filho mais velho do presidente eleito.

Em nota, o MPF informou que o relatório do Coaf faz parte da investigação, mas não citou o nome de nenhum funcionário da Alerj que faça parte da lista. O relatório, segundo o jornal, também cita movimentações de dinheiro em espécie. No período de um ano analisado (janeiro de 2016 a janeiro de 2017), o Coaf identificou R$ 320 mil em saques feitos por Fabrício José Carlos de Queiroz, dos quais R$ 159 mil foram sacados numa agência dentro do prédio da Alerj.

Ao todo, o Coaf rastreou R$ 200 milhões em transações financeiras envolvendo 22 funcionários da Alerj. A análise foi feita a pedido dos procuradores que investigam o esquema de corrupção envolvendo deputados e servidores da Assembleia. No início de novembro, sete deputados estaduais foram presos sob suspeita de receberem propina de receberem propina de empresários de ônibus para votarem a favor de temas de interesse do setor e integrarem a base do governo de Sérgio Cabral. Outros três parlamentares que já estavam presos foram alvos de novos mandados de prisão.

O MPF afirmou que “o aproveitamento das informações na operação Furna da Onça se deve ao fato de existirem indícios de movimentações financeiras ilícitas envolvendo deputados estaduais suspeitos de prática do crime de corrupção e lavagem de dinheiro”. Ainda segundo o Ministério Público, “nem todos os nomes ali citados (no relatório) foram incluídos nas apurações, sobretudo porque nem todas as movimentações atípicas são, necessariamente, ilícitas”.

Ao jornal “O Estado de S. Paulo”, Fabrício José Carlos de Queiroz afirmou que desconhecia o assunto. Flávio Bolsonaro disse, em nota, que o assessor trabalhou com ele por mais de dez anos e sempre foi de “confiança”. O deputado acrescentou que “nunca soube de algo que desabonasse sua conduta”. Ele acrescentou que tem “certeza de que ele dará todos os esclarecimentos”.

06/12/2018

19:26

Esclarecimento

Na tarde desta quinta feira (06/12) fui surpreendida com nota publicada pelo colunista Lauro Jardim trazendo insinuações de que teria apresentado projeto de lei para beneficiar o Governador Anthony Garotinho.
Gostaria primeiro de afirmar que meu mandato sempre foi pautado pela razoabilidade e principalmente pela impessoalidade.
Em resumo, a constituição federal, no seu art. 15, diz que qualquer cidadão com condenação transitada em julgado terá seus direitos políticos suspensos durante a execução da pena. Esta suspensão de que trata a constituição não é uma pena a mais imposta, mas apenas consequência da condenação do réu que geralmente ia preso após ser condenado e por isso não conseguia exercer seu direito a voto.
Porém ao longo dos anos o nosso código penal foi sendo aperfeiçoado e o instituto de penas alternativas passou a ser amplamente utilizado. Prisões passaram a ser substituídas por pagamento de multa ou prestação de serviços comunitários. Não tem razão retirar o direito político de alguém que foi condenado a pagar somente uma multa de mil reais.
Imaginem uma pessoa que acidentalmente atropela outra e é condenada por homicídio culposo (quando não há a intenção de matar). Justamente por se tratar de um acidente a justiça condena o motorista mas substitui a pena por serviço comunitário e multa. Este motorista ficará no mínimo por 2 anos sem seus direitos políticos por consequência de um acidente.
Engana-se quem acredita que a suspensão dos direitos políticos acarreta somente a proibição de votar e ser votado. Por muitas das vezes fica-se sem conseguir um emprego, já que as empresas pedem a certidão de quitação eleitoral na hora da contratação. Ficam também proibidas de prestar concurso público, ficam sem poder tirar alguns documentos, dentre outras consequências.
O projeto que apresento vem corrigir injustiças como esta que acontecem mais do que a gente imagina em todo o Brasil, inclusive com o Governador Garotinho que foi impedido de disputar uma eleição porque foi condenado, sem sequer apresentar defesa, por perda de prazo do advogado, por “Calúnia”, ou seja, por emitir uma opinião contra um juiz da tribuna da Câmara quando era Deputado Federal.
A aprovação desta proposta pacificará discussão que hoje ocorre em tribunais de justiça de diversos estados e que inclusive já teve repercussão geral reconhecida pelo STF, através do ministro Marco Aurélio.
O tribunal de Justiça de Minas Gerais já garantiu a manutenção de direitos políticos de pessoas que tiveram a sua condenação convertida em medidas restritivas de direito.
No distrito federal também já encontramos réus solicitando o mesmo benefício.
Somente após tomar conhecimento de todos estes fatos decidi apresentar a proposta que é de amplo interesse público e em nada tem a ver com conceder benefícios específicos a apenas uma ou outra pessoa.
Neste momento em que o Brasil passa por grandes transformações seria muito útil que os veículos de informação pudessem oferecer ao cidadão brasileiro o bom debate sobre os temas discutidos na Câmara dos Deputados e não apenas insinuações com o mero intuito de depreciar uma iniciativa justa.

Deputada Federal Clarissa Garotinho