Visitantes online: 19
logo topo

terça-feira, 22 de outubro de 2019

11/06/2018

08:30

Garotinho, ao vivo, no SBT Rio

11/06/2018

08:00

Garotinho no SBT

Daqui a pouco vou participar da sabatina com os pré-candidatos ao governo do Rio, promovida pelo SBT em parceria com o portal Uol e jornal Folha de S. Paulo. Acompanhe ao vivo, às 8h30, a transmissão pelo Facebook e sites do SBT Rio, Uol e Folha.

Não percam!

FACEBOOK:

https://www.facebook.com/UOLNoticias/

https://www.facebook.com/sbtriooficial/

SITES:

https://m.sbt.com.br/tv/rio/

https://www.uol.com.br

https://www.folha.uol.com.br

10/06/2018

23:00

Papo Reto com Garotinho

10/06/2018

09:00

Justiça do Rio obriga estado a pagar R$ 20 mil a sindicato

FONTE: JORNAL O DIA - COLUNA DO SERVIDOR
FONTE: JORNAL O DIA - COLUNA DO SERVIDOR

09/06/2018

08:09

A conta de Cabral não fecha

FONTE: G1
FONTE: G1

O ex-governador Sérgio Cabral admitiu ao juiz Marcelo Bretas que usou dinheiro de campanha para fins pessoais. Em depoimento na última sexta-feira, Cabral disse que a promiscuidade das doações foi muito grande e ele "se perdeu" com tanto dinheiro.
Cabral chegou a dizer que faria uma proposta ao Ministério Público para devolver parte deste dinheiro.
Só pode ser piada, não é?
O operador financeiro do ex-governador Carlos Miranda - o avestruz - já declarou que somente com a família os gastos de Cabral ultrapassavam os 4 MILHÕES DE REAIS por mês.
Em uma conta rápida, durante os 8 anos de governo, Sérgio Cabral teria gasto mais de 380 MILHÕES com a vida luxuosa em família.
Ou seja, essa conta não fecha e ele mais uma vez mente para a justiça.
Cabral já foi condenado a mais de 100 anos de prisão.

08/06/2018

13:09

Mantega diz que dinheiro na Suíça é de venda de imóvel

A defesa do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega apresentou à Justiça Federal do Paraná esclarecimentos sobre uma conta do cliente na Suíça e do recebimento de quase US$ 1,3 milhão, depositado em duas vezes por Victor Sandri. Segundo Mantega, o dinheiro é lícito.

Sandri foi apontado como intermediador de propina para o ex-ministro na delação de Joesley Batista, dono do grupo J&F.

Os documentos foram anexados na quarta-feira ao processo eletrônico, no âmbito da Operação Lava Jato, que está sob a responsabilidade do juiz Sérgio Moro.

Moro havia pedido à defesa de Mantega para explicar a origem desse dinheiro. O ex-ministro não é réu na Lava Jato.

A origem dos ativos mantidos na conta, de acordo com a petição apresentada pelos advogados do ex-ministro, é um negócio imobiliário realizado com a construtora de Sandri: “Referido negócio imobiliário consistiu na permuta de imóvel que o peticionário herdou de seu pai, Giuseppe Mantega, situado na rua Pequetita, Jardim Paulista, São Paulo-SP, por unidades do empreendimento imobiliário que veio a ser construído no local, denominado Edifício Atrium VII.”

08/06/2018

08:46

Rede de doleiros que serviu Cabral movimentou mais de R$ 6 bilhões

Uma rede de doleiros, que serviu ao ex-governador Sérgio Cabral movimentou em cinco anos 1,6 bilhão de dólares, o equivalente a mais de R$ 6,2 bilhões. O grupo montou um sistema de movimentação de dinheiro vivo proveniente de negociações envolvendo propinas pagas a agentes públicos, políticos por empresas, em uma espécie de banco paralelo no Brasil e em 52 países. A estrutura tinha direito a contas de mais de três mil offshores, empreendimentos de fachada, e até em nome de pessoas físicas. O sofisticado modelo surpreendeu até procuradores do Ministério Público Federal (MPF) que batizaram a operação de 'Câmbio, Desligo'.

Foram denunciados à Justiça Federal 62 suspeitos, entre eles, Dario Messer, apontado como o 'doleiro dos doleiros', que manobrava as transações financeiras do Uruguai. Eles foram acusados de 186 transações relacionadas aos crimes de quadrilha, organização criminosa, lavagem de ativos, evasão de divisas, corrupção passiva e operação de instituição financeira não autorizada. As penas variam de um a dez anos de prisão.

07/06/2018

14:13

Calote garantido

07/06/2018

11:45

PF pede ao Supremo quebra do sigilo telefônico de Temer, Moreira e Padilha

A Polícia Federal pediu a quebra do sigilo telefônico do presidente Michel Temer e dos seus ministros mais próximos: Eliseu Padilha, da Casa Civil e Moreira Franco, das Minas e Energia. A solicitação, feita ao Supremo Tribunal Federal é referente ao ano de 2014.

O objetivo é investigar um suposto pagamento de R$ 10 milhões que teria sido feito pela Odebrecht e acertado no Palácio do Jaburu, residência oficial de Temer, naquele ano. A Polícia Federal busca rastrear telefonemas feitos entre eles nas datas próximas das entregas de dinheiro em espécie relatadas pelos delatores da empreiteira.

Esta é mais uma investigação aberta contra o presidente, que é alvo de um inquérito em andamento por suspeita de ter editado um decreto que modificou regras do setor portuário, sob relatoria do ministro do STF Luís Roberto Barroso. Outros inquéritos contra o presidente que levaram a PGR a denunciá-lo por duas vezes estão suspensos após decisão da Câmara dos Deputados de barrar o prosseguimento até que Temer deixe o mandato presidencial.

07/06/2018

07:36

Operação em Jacarepaguá interdita autoestrada

O Comando Conjunto da Intervenção na Segurança do Rio realiza agora pela manhã uma operação em seis comunidades de Jacarepaguá, Zona Oeste da cidade. A ação conta com 4.600 militares das Forças Armadas, 420 policiais militares e 350 policiais civis, com apoio de meios blindados, aeronaves e equipamentos pesados de engenharia.

A operação envolve cerco, estabilização dinâmica da área e remoção de barricadas nas comunidades de Cidade de Deus, Gardênia Azul, Outeiro, Vila do Sapê, Parque Dois Irmãos e Morro da Helena. Revistas seletivas de pessoas e veículos também são realizadas. A Polícia Militar apoia a estabilização da área e bloqueia possíveis rotas de fuga de criminosos, e a Polícia Civil realiza a checagem de antecedentes criminais e cumprirá mandados judiciais.

Por causa da operação, a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá foi interditada nos dois sentidos por volta das 6h.

06/06/2018

16:01

PF vê indícios de mesada de R$ 340 mil a Temer na década de 90

A Polícia Federal informou ao Supremo Tribunal Federal que vê indícios de pagamento de R$ 340 mil mensais ao presidente Michel Temer, no fim da década de 90, por parte de empresas da área portuária, entre elas a Rodrimar, cujos dirigentes são investigados junto com o presidente em inquérito que apura se houve edição de decreto em 2017 para beneficiar empresas em troca de propina.

A informação consta no pedido de 69 páginas da Polícia Federal, do dia 15 de março, para a Operação Skala, com buscas e depoimentos sobre o caso. A operação foi deflagrada em 29 de março último, com prisões de dois amigos de Temer para prestar esclarecimentos e apreensões de materiais nos endereços dele e das empresas portuárias.

O delegado Cleyber Malta Lopes cita, no documento, uma planilha que relacionava pagamentos a "MT", que seria Michel Temer, a "MA", que seria Marcelo Azeredo, indicado por Temer para comandar a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) – estatal que administra o Porto de Santos, e a "L", que seria Lima, o coronel aposentado da Polícia Militar João Batista de Lima Filho, amigo de Temer e sócio da Argeplan.

Lopes destaca que "a planilha em questão surpreende pelo nível de detalhamento e divisão dos supostos valores pagos em propina mensal, já naquela época, em 1998, em contratos de arrendamento que variavam de 10 a 20 anos".

Afirmou que a planilha indica que "MT" recebia 50% dos valores referentes aos contratos e que "MA" e "L" tinham 25% cada. A tabela foi entregue à Justiça pela ex-mulher de Azeredo, que estava em processo de divisão de bens e queria comprovar que o marido tinha outras rendas.

06/06/2018

13:06

Alunos e professores se protegem de tiros em escolas em São Gonçalo

Alunos e professores de escolas municipais de São Gonçalo, tiveram que se abrigar no chão e nos corredores das unidades durante um intenso tiroteio na manhã desta quarta-feira.

Os casos aconteceram na Escola Municipal Pastor Haroldo Gomes, em Itaúna, e no CIEP Municipalizado Anita Garibaldi, no Jardim Catarina, ambas próximas ao Complexo do Salgueiro, onde ocorreu o tiroteio.

Segundo a Polícia Militar, uma operação estava sendo realizada na comunidade.

06/06/2018

09:55

Justiça retira mais de R$ 200 milhões da propaganda de Temer

O juiz Renato Borelli, da 20ª Vara do Distrito Federal, suspendeu uma portaria do governo Michel Temer que transfere R$ 203 milhões da área social para custear publicidade do Planalto.

“A situação apresentada atualmente beira o caos, e a retirada do orçamento de verbas destinadas para a concretização de políticas públicas, com o nítido caráter eleitoral, é patentemente um afronte à sociedade”, escreveu o juiz na sentença.

05/06/2018

16:01

Defesa de Lula apresenta novos pedidos de liberdade no STF e no STJ

A defesa do ex-presidente Lula pediu, nesta terça-feira, ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), a suspensão da prisão que o ex´presidente cumpre pela condenação no caso do triplex no Guarujá (SP).

Os pedidos buscam dar efeito suspensivo dentro de recursos já apresentados pela defesa contra a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que confirmou a condenação do petista na Operação Lava Jato e elevou a pena para 12 anos e 1 mês de prisão.

Nos pedidos, a defesa reitera argumentos já apresentados ao próprio TRF-4 que apontam supostas irregularidades no processo, como incompetência de Sérgio Moro para analisar o caso, falta de imparcialidade no julgamento e de isenção por parte dos procuradores do Ministério Público.

No novo pedido de liberdade, os advogados de Lula alegam que a soltura "não causará nenhum dano à Justiça Pública ou à sociedade" e que a manutenção dele na cadeia causa "lesão grave de difícil reparação".

"Trata-se de pré-candidato à Presidência da República que, além de ver sua liberdade tolhida indevidamente, corre sérios riscos de ter, da mesma forma, seus direitos políticos indevidamente cerceados, o que, em vista do processo eleitoral em curso, mostra-se gravíssimo e irreversível", diz a peça apresentada ao STF.

05/06/2018

12:30

Em depoimento de menos de 4 minutos, Pezão defende deputado preso

Pezão foi ouvido nesta segunda-feira, em audiência no Tribunal Regional Federal da 2ª Região, no processo da Operação Cadeia Velha que prendeu Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi.

Convocado pela defesa de Paulo Melo, o governador negou ter conhecimento sobre o correligionário de seu partido ter recebido "benefício pessoal", favorecimento do setor de transportes ou mesmo que tenha sido procurado por empresas. Em três minutos e 50 segundos, Pezão respondeu apenas "não" à maioria das perguntas, negando ter conhecimento de qualquer conduta ilegal do deputado.

Na primeira das duas únicas perguntas em que se estendeu, Pezão elogiou Melo, classificou o deputado como "pessoa competente" e disse que, "para uma pessoa que só tem ensino primário", impressionava o conhecimento que Melo tem sobre os procedimentos legislativos e o regimento da Assembleia Legislativa. Essa pergunta foi formulada pela defesa do deputado.

05/06/2018

10:21

Fachin autoriza nova perícia em celular de Eduardo Cunha

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, acolheu pedido do juiz Sérgio Moro para ter acesso a arquivos de mídia e ao aparelho celular do ex-deputado Eduardo Cunha de forma a viabilizar a realização de perícia requerida pela defesa.

Segundo a Polícia Federal, constam no aparelho mensagens em que Cunha cita o presidente Michel Temer. O diálogo, segundo interpretação dos agentes, trata do pagamento de propina pelo empresário Joesley Batista, do Grupo J&F.

A PF já fez uma perícia no aparelho, cujo laudo encaminhou a Fachin. Segundo os investigadores, Cunha e o então deputado Henrique Eduardo Alves (MDB-RN) conversaram, em 2012, sobre o repasse de propina por Joesley Batista a políticos do MDB na Câmara.

De acordo com a PF, em certo ponto do diálogo, Cunha disse a Alves que a distribuição de pagamentos combinada com Joesley não agradaria a Temer.
Entretanto, quando o inquérito foi remetido à primeira instância, somente o laudo foi encaminhado junto aos autos, motivo pelo qual a defesa de Cunha solicitou o envio do aparelho e das mídias com os arquivos extraídos para nova perícia.

Nesse inquérito da Lava Jato, Cunha é investigado por supostamente participar de um esquema de desvio de recursos na contratação de navios-sonda pela Petrobras. O ex-deputado nega qualquer participação. Condenado em dois processos a 39 anos de prisão, ele se encontra preso preventivamente no Complexo Médico-Penal de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.