Visitantes online: 289
logo topo

quinta-feira, 1 de outubro de 2020

21/05/2020

14:00

É bom relembrar...

21/05/2020

08:00

É bom relembrar...

20/05/2020

20:00

É bom relembrar...

20/05/2020

16:04

Vicente faz aniversário!

Esse garotinho está virando garotão. Hoje, Vicente, filho de Clarissa e Marcos, completa 4 anos. Vovô Garotinho e vovó Rosinha desejam que ele continue com esse coração lindo, cheio de saúde, amor e paz.
Parabéns, netão!

20/05/2020

14:00

É bom relembrar...

20/05/2020

08:00

É bom relembrar...

19/05/2020

23:31

Morre o deputado Gil Viana

Internado há alguns dias com covid-19, Gil Viana faleceu agora há pouco, no hospital da UNIMED em Campos dos Goytacazes.
À família, nossos sentimentos e que Deus console o coração dos amigos e parentes.

19/05/2020

20:00

É bom relembrar...

19/05/2020

14:30

Witzel se diz perseguido e promete ‘partir pra cima' de Bolsonaro e Bretas

Wilson Witzel disse a secretários e assessores mais próximos que a Operação Favorito, que prendeu na semana passada o maior fornecedor do governo do Rio, ligado a diversos integrantes de seu governo, é resultado de uma perseguição de Marcelo Bretas contra ele, com o objetivo de agradar Jair Bolsonaro.

Num dos momentos mais exaltados, Witzel disse que iria "partir para cima" de Bretas e Bolsonaro.

"Partir pra cima" de Bretas seria apontando o que considera exageros da operação.

Bretas é apontado como um possível nome para ser indicado ao STF por Bolsonaro, e se aproximou do presidente desde o ano passado, inclusive comparecendo a um evento do governo.

Mas o que mais perto chegou de Witzel nesta investigação não está nas mãos de Bretas — o que nem poderia, considerando que seu foro é no STJ.

Na quarta-feira 13, a Lava Jato do Rio, ou seja, o MPF, enviou à PGR o relatório de uma escuta telefônica da operação, em que há a citação ao "zero um do palácio", o que, na interpretação dos investigadores, poderia ser Witzel.

Procurado, Marcelo Bretas não quis comentar.

REPRODUÇÃO: ÉPOCA

19/05/2020

14:00

É bom relembrar...

19/05/2020

12:40

Covid-19: Witzel deu aval a instituto reprovado por serviços em UPAs

O governador Wilson Witzel, ao revogar, no dia 23 de março, a decisão que desqualificou o Instituto Unir Saúde como organização social (OS) apta a prestar serviço ao estado, desprezou dois pareceres jurídicos contrários a um recurso apresentado pela entidade. O Unir, conforme foi demonstrado pela Operação Favorito, desencadeada pela força-tarefa da Lava-Jato na semana passada, tem como sócio oculto o empresário Mário Peixoto, que foi preso. Procuradores do Rio enviaram na última quarta-feira à Vice-Procuradoria-Geral da República trechos da investigação com supostas menções ao governador Wilson Witzel.

Por causa dos indícios levantados, Witzel, que tem foro privilegiado, é alvo de uma investigação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) que corre em sigilo. Ele disse no domingo que teve seu nome envolvido em “negociações espúrias” e que dará todas as explicações à corte.

Além do Unir, empresas de Peixoto têm contratos com o Estado do Rio desde a gestão de Sérgio Cabral (MDB) e prestam serviços ao governo de Witzel. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), vários contratos foram renovados por meio de pagamentos de propina. A Unir Saúde é responsável pela administração de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). A OS tinha sido proibida de fechar contratos com o poder público em outubro do ano passado, após terem sido constatadas irregularidades. No entanto, Witzel revogou a proibição por decreto, em 23 de março deste ano. Para os procuradores da República, não há justificativa técnica para a medida.

Obtido pelo GLOBO, um dos pareceres ignorados pelo governador foi assinado pela assessora jurídica da Secretaria da Casa Civil Ana Carolina Souza Correia e ratificado pelo procurador do Estado Denis Moreira Monassa Martins em 10 de janeiro. Eles alegaram que as irregularidades do Unir “impactam sobremaneira na qualidade da assistência prestada à população, inclusive com risco à saúde, incolumidade e à vida dos pacientes, acompanhantes e colaboradores”. O outro parecer no mesmo teor, citado por Ana Carolina em sua análise, foi produzido pelo departamento jurídico da Secretaria estadual de Saúde.

Procurado, o governo do Rio informou que a “Governadoria do Estado discordou dos fundamentos e deliberou pela manutenção da qualificação da Organização Social, considerando a desqualificação uma medida desproporcional, que poderia impactar no adequado funcionamento das unidades de saúde mantidas pela OS”.

O parecer da assessoria jurídica da Casa Civil foi elaborado para colaborar na decisão de Witzel sobre um “recurso hierárquico” do Unir, do ano passado, com pedido de novo exame da questão que o afastaria da gestão das UPAs.

REPRODUÇÃO: O GLOBO

Clique aqui para ler a matéria completa de O GLOBO

19/05/2020

10:39

Muito bem, Wladimir!

19/05/2020

08:00

É bom relembrar...

18/05/2020

20:00

É bom relembrar...

18/05/2020

17:02

Um luxo só...

Quando for a Orlando, na Flórida, o governador Wilson Witzel pode economizar diárias de hotel. Basta pedir emprestada essa mansão de um secretário seu, avaliada em R$ 6 milhões de reais.
Vale a pena.

18/05/2020

15:08

Falta muita gente ainda...

REPRODUÇÃO: AGENDA DO PODER