Visitantes online: 1373
logo topo

quarta-feira, 26 de abril de 2017

27/03/2017

11:58

Encontro Marcado com Garotinho (Segunda - 27/03)

Parte 1



Parte 2


Parte 3

27/03/2017

11:07

Lula e a honestidade

Reprodução do site da Rádio Gaúcha
Reprodução do site da Rádio Gaúcha

Cada um diz aquilo que quer, mas Lula, na sua verborragia, volta e meia passa dos limites. Vocês devem lembrar que no início de 2016, já na mira da Lava Jato saiu-se com essa: "Não existe viva alma mais honesta do que eu”. Agora Lula apregoa mais uma vez sua honestidade em detrimento das posturas do juiz Sérgio Moro e do procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol. "Nem o Moro, nem o Dallagnol, nem nenhum deles tem a honestidade e a lisura que eu tenho nos meus 70 anos de vida", disse Lula. Para Lula as ações que tramitam na Justiça não são contra ele, mas sobre o seu jeito de governar, e provocou mais Moro e Dallagnol: "Eles não estão me julgando. Estão julgando um jeito de governar. Eles que se candidatem e ganhem a eleição".

Bem, uma coisa é certa, nunca antes na história deste país um político fez tantos auto-elogios à sua honestidade.

27/03/2017

08:54

Fala Garotinho - 27 de março de 2017



27/03/2017

08:01

Pezão usa calamidade financeira para fazer farra de contratos sem licitação

Reprodução do Extra
Reprodução do Extra

Nos dois primeiros anos de mandato, Pezão conseguiu superar Sérgio Cabral em contratos sem licitação. Em 2015 e 2016 Pezão gastou mais de R$ 1,5 bilhão em contratos de emergência, sem haver licitação. Uma farra que vem beneficiando empresários amigos. É o descontrole total da administração pública. Segundo funcionários de várias secretarias muitos dos contratos têm preços muito acima do mercado. Ou seja, em vez de economizar porque não tem dinheiro, gasta-se ainda mais com superfaturamentos e o Estado segue afundando e sem dinheiro para pagar os servidores. Até quando o TCE, o Tribunal de Justiça, o MP Estadual e a ALERJ vão permitir que Pezão continue destruindo o Rio de Janeiro?

26/03/2017

18:13

A encruzilhada dos movimentos das redes sociais

Reproduções do Globo e do Dia
Reproduções do Globo e do Dia

Os principais movimentos que emergiram das redes sociais na época do impeachment de Dilma devem estar passando por uma crise de consciência. Se afastaram do pensamento predominante na opinião pública para apoiar o governo Temer, que passou a lhes destinar verbas, e tenta transformá-los em tropa de choque, como funcionaram CUT, MST, UNE e outros movimentos nos governos Lula e Dilma. O problema é que apoiam um governo que é reprovado pela esmagadora maioria da população e age com as mesmas práticas políticas do governo Dilma, que condenavam ardorosamente. Para a manifestação de hoje a pauta inicial incluía o apoio à Reforma da Previdência, que diante das reações indignadas de seus seguidores nas redes sociais acabou suprimida. No decorrer da semana passada comemoraram a aprovação da terceirização, que resultou em mais uma enxurrada de críticas contundentes. O resultado das manifestações de hoje, que pouparam Michel Temer, foi uma adesão mínima às manifestações. No Rio os organizadores contavam com 30 mil pessoas, só apareceram 300, cem vezes menos. Em Brasília foram 500 pessoas. Está na hora desses movimentos entenderem que cresceram porque estavam em sintonia com o sentimento da população. Ao escolherem "aliviar" um governo cada vez mais desmoralizado, que não conta com um apoio mínimo da opinião pública, minguam e perdem a capacidade de mobilização. É bom que reflitam sobre isso.

26/03/2017

14:54

Romário driblou Eduardo Cunha

Nota do Globo; ao lado Romário
Nota do Globo; ao lado Romário

Todo mundo sabe que Eduardo Cunha já mandou muito em Furnas, empresa estatal que sempre mereceu também o apreço de Aécio Neves. Cunha indicava diretores, controlava até o fundo de pensão, o Real Grandeza. Mas agora, atrás da grades, no Paraná, perdeu grande parte do seu poder, embora suas ameaças provoquem arrepios no Palácio do Planalto e, em função disso, ainda lhe rendam nomeações em cargos importantes, um "cala a boca" para comprar seu silêncio. Por isso seu espólio político passou a ser disputado.

A diretoria de Administração de Furnas já foi indicação de Eduardo Cunha, agora passando para as mãos de Romário, assim como uma diretoria da Eletronuclear. Pelo visto Romário está preocupado com a área de geração de energia.

26/03/2017

12:28

Com a conivência de Pezão, Cabral continua desafiando a lei e afrontando a sociedade

Reproduções do blog do Lauro Jardim e do G1
Reproduções do blog do Lauro Jardim e do G1

É impressionante o que está acontecendo em Bangu 8. Sérgio Cabral, com a ajuda de Pezão e do secretário estadual de Administração Penitenciária, coronel Erir Ribeiro, ex-comandante da PM na gestão do ex-governador, tem todas as regalias possíveis. Causa perplexidade que seu filho, o deputado federal Marco Antonio Cabral, tenho o desplante de usar as prerrogativas de parlamentar, alegar que vai a Bangu 8 a trabalho, como se fosse fiscalizar alguma coisa, e entre no presídio para visitar o pai na hora que quer, fora dos dias e horários de visitas. E o coronel Erir Ribeiro finge que Marco Antonio vai ao presídio a trabalho. Ali dentro de Bangu 8 não está prevalecendo a lei, mas sim a "lei de Cabral e de Pezão", mais uma vez associados para burlar a legislação. E Pezão, mesmo sem dinheiro para nenhuma obra, está tocando a reforma de um presídio vip em Benfica para alojar seu comparsa com mais conforto. É preciso dar um basta nessa farra em Bangu 8. Agora a mulher de Cabral, Adriana Ancelmo, vai para casa cuidar dos filhos menores, privilégios que nenhuma outra mãe presa recebe. Mesmo atrás das grades, Cabral continua rindo da nossa cara. E ninguém faz nada para acabar com a festa em Bangu 8. Aliás, vale a pena lerem o artigo de Guga Noblat sobre a afronta de Cabral e seus amigos, Jorge Picciani, Paulo Melo, Cidinha Campos, Washington Reis, além de Marco Antonio Cabral.

Reprodução do Blog do Noblat
Reprodução do Blog do Noblat


PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 PróximoÚltimo