Visitantes online: 2667
logo topo

quinta-feira, 25 de maio de 2017

02/05/2017

10:39

O choque de realidade de Eduardo Cunha

Eduardo Cunha comemorando a eleição como presidente da Câmara e lavando marmitas (montagem do Globo)
Eduardo Cunha comemorando a eleição como presidente da Câmara e lavando marmitas (montagem do Globo)

Em fevereiro de 2015, o então deputado Eduardo Cunha se elegia presidente da Câmara dos Deputados. Achou que tinha a República a seus pés, que era inatingível. Mas veio a Lava Jato e começou a afundar. Em julho de 2016, investigado por quebra de decoro, não resistiu e renunciou à presidência da Câmara. Em setembro do ano passado foi cassado, e um mês depois preso por ordem do juiz Sérgio Moro, que acabaria condenando-o a 15 anos e quatro meses de prisão, em fevereiro deste ano. Cunha aina é réu em mais dois processos da Lava Jato, além de responder mais cinco inquéritos. Ou seja, a situação ainda vai piorar.

Hoje Cunha lava as marmitas do Complexo Médico-Penal de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, onde está preso, porque para cada três dias de trabalho a pena é reduzida em um dia. Quem diria, o todo-poderoso Eduardo Cunha, frequentador dos hotéis e restaurantes mais luxuosos do mundo, adepto de vinhos caríssimos e pratos sofisticados, lavando marmitas no presídio.

02/05/2017

09:02

Fala Garotinho - 02 de maio de 2017

02/05/2017

07:54

"A greve do dia 28 de abril continua"

Reprodução da Veja
Reprodução da Veja

A manchete acima é o título de um documento divulgado ontem, 1º de Maio, pelas seis maiores centrais sindicais: CUT, CTB, CSB, UGT, Força Sindical e Nova Central. Anunciaram que se o governo insistir com a aprovação das reformas trabalhista e previdenciária, da forma que estão os projetos, vão fazer uma greve geral de dois dias e "invadir" Brasília para pressionar o governo e o Congresso. A greve geral que o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, em nome do governo, classificou de apenas uma "baderna generalizada", vai continuar. E a pesquisa Datafolha, divulgada no domingo mostrou que 75% dos brasileiros estão contra a reforma da Previdência, enquanto 61% são contrários à reforma trabalhista, onde o índice menos expressivo se explica porque muita gente não compreendeu bem o que muda nas regras trabalhistas.

01/05/2017

11:04

Garotinho e a Carta-testamento de Getúlio Vargas

01/05/2017

10:16

Trabalhador brasileiro não tem nada para comemorar

Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

O presidente Michel Temer anunciou que a crise "está começando a terminar", mas os números do IBGE mostram que o desemprego continua aumentando, agora pela metodologia oficial chegou a 14,2 milhões, mas na prática deve estar beirando os 25 milhões de desempregados. A reforma trabalhista, aprovada pela Câmara, é outro massacre contra a classe trabalhadora, assim com a reforma da Previdência, que ainda via ser votada. Temer é o carrasco dos trabalhadores.

A reprovação de Temer atingiu o patamar de Dilma, às vésperas da votação do impeachment na Câmara. A população reprova Temer, as reformas trabalhista e previdenciária, e não tem esperança que o atual governo vá melhorar a vida das pessoas.

Diante desse quadro, Temer nem vai fazer pronunciamento em rede de televisão, quer evitar um panelaço. Vai limitar-se a postar um vídeo nas redes sociais, onde, é claro, vai vir com a lorota de que as reformas vão melhorar a vida dos trabalhadores e que a crise está terminando.

Em tempo: Daqui a pouco, às 10h30, vou fazer um live no Facebook falando do Dia do Trabalhador, sobre as reformas e lembrando a Carta-Testamento de Getúlio Vargas.

01/05/2017

09:00

Fala Garotinho - 1º de Maio de 2017



30/04/2017

15:58

Todos os caminhos da propina levam à ALERJ

Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro
Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro

Nas delações do ex-presidente do TCE e de seu filho consta que Jorge Picciani comandava o esquema da "caixinha da Fetranspor", e que era o presidente da ALERJ quem repassava a propina aos conselheiros do Tribunal de Contas.

Dois dos principais operadores do esquema de corrupção de Sérgio Cabral, Luiz Carlos Bezerra e Sergio de Castro Oliveira, o Serjão, presos na Lava Jato no Rio, eram lotados na ALERJ.

E agora a delação do ex-subsecretário de Saúde, Cesar Romero, braço-direito de Sérgio Côrtes, revelou que a atual chefe de gabinete do presidente da ALERJ, Fabiana Gil e a diretora de Recursos Humanos da Casa, Ana Paula Liberal recebiam mesada de R$ 5 mil do esquema de corrupção montado na Secretaria Estadual de Saúde.

Aliás, não vai demorar para a Lava Jato chegar a vários deputados estaduais do grupo de Sérgio Cabral.

30/04/2017

13:35

Garotinho: "Sim, eu sou rebelde"

Há anos ouço isso: "Garotinho arruma muita confusão. É rebelde demais. Ninguém controla." É verdade. Entre o caminho da covardia e da rebeldia, escolhi o segundo, mesmo sabendo ser o mais difícil, pois os poderosos adoram os políticos domesticados. As vaquinhas de presépio.

Ocorre que não são os rebeldes que criam injustiças no mundo, ao contrário, são as injustiças que geram pessoas rebeldes, que não aceitam conviver com tantas situações onde a mentira prevalece e o dinheiro compra consciências.

Entre ser alienado, acomodado, covarde, vendido ou corrupto, prefiro mesmo a rebeldia consciente, que é uma ideologia nova, nascida da indignação contra o estabelecido, contra 500 anos de espoliação dos pobres e trabalhadores.

Não confunda revoltado com rebelde.

A revolta pura e simples não muda o destino de ninguém. A rebeldia leva à reflexão e à ação, e ambas conduzem à transformação, que é diferente da mudança.

Sim, eu sou rebelde e não tenho medo de dizer e assumir isso.

30/04/2017

12:31

Avaliação de Temer está pior que Dilma antes de ser afastada

Michel Temer; abaixo matéria da Folha de S.Paulo
Michel Temer; abaixo matéria da Folha de S.Paulo

Não é à toa que já afirmei aqui no blog que o governo Temer é uma tragédia. Pesquisa do Datafolha, divulgada hoje, revela que Temer é aprovado por apenas 9%, enquanto 61% consideram seu governo ruim/péssimo. Em abril do ano passado, às vésperas de ser afastada da Presidência, Dilma tinha aprovação de 13% de aprovação e 63% de reprovação. E com as reformas trabalhista e previdenciária, com uma parte expressiva da sociedade civil organizada se opondo, a começar pela Igreja Católica, a tendência é só piorar.

Só para efeito de comparação, pouco antes do seu impeachment, Collor tinha os mesmos 9% de aprovação de Temer hoje, só a reprovação era mais elevada: 68%.

A situação chegou a um ponto que, segundo o Datafolha, chegou a 85% o índice dos brasileiros que defendem novas eleições, o que venho defendendo desde o impeachment de Dilma. Aliás, agora em maio acontecerá o julgamento no TSE da chapa Dilma - Temer. A verdade é que o governo Temer está no fundo do poço, e indiferente do resultado no TSE, não vai ter um final feliz, isso está mais do que claro.

30/04/2017

11:44

Supremo Tribunal Federal vai mudar o rumo da Lava Jato?

Eike Batista deixando Bangu para ir para casa cumprir prisão domiciliar
Eike Batista deixando Bangu para ir para casa cumprir prisão domiciliar

Esta semana a Segunda Turma do STF mandou soltar o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula, e o ex-assessor parlamentar do PP João Cláudio Genu, ambos condenados por Sérgio Moro na Lava Jato. E o ministro Gilmar Mendes concedeu habeas corpus a Eike Batista, depois que no início do mês deu o mesmo benefício ao ex-braço-direito do empresário, Flávio Godinho. O ministro Gilmar Mendes já havia se manifestado sobre as longas prisões preventivas dizendo que o STF tinha “encontro marcado com as longas prisões que vêm de Curitiba”. Ele não é o único ministro do Supremo a considerar que estaria havendo exagero, em alguns casos, nas prisões decretadas por Sérgio Moro. No caso de Bumlai e Genu, por exemplo, eles foram condenados em primeira instância, teriam à luz da lei o direito de recorrer em liberdade. Essas últimas decisões acenderam a luz de alerta na força-tarefa da Lava Jato. Mas não dá para saber se o que houve esta semana foram casos pontuais, ou se o STF vai ditar novo rumo à Lava Jato.

29/04/2017

13:23

Greve geral, Cabral, Palocci e a falência do Rio

A greve

A greve geral articulada pelas centrais sindicais não pode ser tratada pelo governo como fracasso. Além dos atos expressivos em algumas capitais, a greve atraiu apoios importantes, como a Igreja Católica, a OAB e centenas de entidades que se posicionaram contra as reformas trabalhista e previdenciária. O presidente Michel Temer com os seus raríssimos 4% de aprovação esperava por uma hostilidade maior em relação a seu governo, o que só não ocorreu porque boa parte da mídia escondeu o movimento e grande parte das centrais está dominada por partidos políticos, o que fez com que muita gente, apesar de ser contra as duas reformas, preferisse ficar em casa torcendo pelas manifestações. Também é importante ressaltar que mesmo quem combate essas reformas há muito tempo, como eu, não concorda em colocar fogo em carros e ônibus, ou destruir patrimônio público e privado. Isso acaba gerando antipatia por um movimento, cujas causas são amplamente aceitas pela maioria da população.

Cabral

O depoimento de Sérgio Cabral ao juiz Sérgio Moro não se sustenta minimamente. As provas documentais, fáticas, além do notório sinal exterior de riqueza dele e de sua quadrilha derrubam o seu cinismo sem muita força. Aliás, Cabral usa a mesma tática adotada por Collor para ser absolvido no Supremo Tribunal Federal depois de cassado pelo Congresso Nacional. A defesa de Collor alegou que suas despesas e aquisições de bens luxuosos eram pagas com sobras de campanha. Ocorre que no caso de Cabral existem tantos relatos e documentos provando que a origem do dinheiro era propina, que nem mesmo o mais inocente dos juízes acreditaria no seu conto da carochinha. Aliás, após a delação de Cesar Romero, contando detalhes de como era operado o esquema de propina comandado por Sérgio Côrtes na Secretaria Estadual de Saúde, espera-se para a próxima semana grandes emoções na Cidade Maravilhosa.

Palocci

Muito estranha a delação de Renato Duque, ex-diretor da Petrobras, considerado o mais fiel petista na diretoria da estatal, ter sido recusada. Ele se ofereceu formalmente para contar tudo o que sabe sobre o que se passou nos porões da maior estatal do Brasil. Só tem uma explicação para isso, ou o juízo já sabe o que Palocci vai contar e acha desnecessário ouvir Duque, ou então há alguma coisa esquisita no ar. Palocci, segundo se sabe, enviou um esboço da delação que pretende fazer enumerando casos que participou diretamente como ministro da Fazenda ou como arrecadador de campanha. O advogado que defendia Palocci, José Roberto Batochio, resolveu deixar o caso por considerar incompatível continuar participando do grupo de defende Lula, depois do que o ex-ministro vai falar. A amigos, Batochio, que já foi deputado federal pelo PDT-SP, usou uma expressão do tamanho da confusão que a delação de Palocci pode provocar: “Ele resolveu jogar m.... no ventilador”. Bem, isso é tão amplo, que cabe tudo dentro, ou todos.

Maldade do Moreira

Será que o governo federal quer mesmo aprovar alguma ajuda para o Rio? Algumas línguas ferinas dizem que Moreira Franco está adorando ver o circo pegar fogo. Ele, um dos conselheiros do presidente Temer, sempre detestou os atuais dirigentes do Palácio Guanabara, que nunca lhe deram a menor importância na seção estadual do PMDB. Pode ser que o sofrimento dos funcionários públicos estaduais seja mais longo do que imaginavam, pois agora estamos vendo que, além da incompetência e da corrupção, o governo do Rio está sem prestígio com o presidente Temer.

Pesquisa para inglês ver

Se a história é verdadeira ou não ninguém sabe, mas o ex-governador do antigo Estado do Rio, Roberto Silveira (pai do ex-prefeito de Niterói, Jorge Roberto Silveira), contava um fato engraçadíssimo. Ao ver que o resultado de uma pesquisa feita em sua cidade natal lhe era desfavorável mandou chamar o dono do instituto de pesquisa. Naquela época era muito comum pesquisadores contratados em Niterói, capital do então Estado do Rio, serem enviados até as cidades do interior para realizar as enquetes. Depois de analisar o roteiro usado pelos entrevistadores, o ex-governador descobriu que os estudantes-pesquisadores haviam realizado a pesquisa no munícipio vizinho, que tinha rixa antiga contra a sua cidade, e logicamente sobrou para ele.

Só um fato como esse para explicar o resultado da pesquisa que a Folha da Manhã divulga hoje sobre a avaliação do governo Rafael Diniz. São 82% de aprovação. Eu até tentei descobrir, através do Google, se existe mesmo o tal instituto que fez a pesquisa. Foi uma luta incansável e no final não achei. Pode ser que a pesquisa por engano tenha sido feita em São João da Barra, município vizinho de Campos. Lá os moradores têm motivos de sobra para elogiar o prefeito de Campos. Os melhores cargos, salários e posições na Prefeitura de Campos são indicações da prefeita de São João da Barra, Carla Machado. Os campistas não estão satisfeitos com Rafael Diniz, pode ser que os pesquisadores tenham errado a cidade, como no caso de Roberto Silveira.

29/04/2017

10:01

Temer conseguiu colocar a Igreja Católica contra o seu governo

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247

Por mais que o governo e boa parte da mídia queiram dizer que quem está insatisfeito com as reformas trabalhista e previdenciária são os sindicatos, está claro que a realidade é bem diferente. Pesquisas já vêm mostrando há algum tempo a indignação da maioria da população com as reformas propostas pelo presidente Michel Temer. O massacre proposto é tão grande que a Igreja Católica, que representa mais da metade dos brasileiros está se posicionando contrária às reformas. Para vocês terem uma ideia, 89 bispos assinaram manifesto contra as propostas do presidente Temer.

1. Dom Reginaldo Andrietta – Bispo de Jales-SP
2. Dom Odelir José Magri – Bispo de Chapecó-SC
3. Dom Antônio Carlos – Bispo de Caicó-RN
4. Dom Frei Rubival – Bispo de Grajaú-MA
5. Dom Fernando – Arcebispo de Olinda/Recife-PE
6. Dom Manoel João Francisco – Bispo de Cornélio Procópio e Admin Apostólico da Arquidiocese de Londrina-PR
7. Dom Gilberto Pastana – Bispo de Crato-CE
8. Dom Anuar Battisti – Arcebispo de Maringá-PR
9. Dom Manoel Delson – Arcebispo da Paraíba-PB
10. Dom Francisco Biasin – Bispo de Barra do Piraí/Volta Redonda-RJ
11. Dom Paulo Mendes Peixoto – Arcebispo de Uberaba-MG
12. Dom Adriano Ciocca Vasino – Bispo de São Félix do Araguaia-MT
13. Dom José Eudes Campos do Nascimento - Bispo de Leopoldina-MG
14. Dom José Maria - Bispo da Diocese de Abaetetuba-PA
15. Dom Vital Corbellini - Bispo de Marabá-PA
16. Dom Carlos Alberto – Bispo de Juazeiro-BA
17. Dom Flávio Giovenali – Bispo de Santarém-PA
18. Dom Celso Antônio – Bispo de Apucarana-PR
19. Dom Aloísio Jorge Pena Vitral - Bispo de Teófilo Otoni-MG
20. Dom Walmor Oliveira de Azevedo - Arcebispo de Belo Horizonte - MG
21. Dom João Justino de Medeiros Silva - Arcebispo Coadjutor eleito de Montes Claros, transferido de Bispo Auxiliar de Belo Horizonte - MG
22. Dom Joaquim Giovani Mol Guimarães-Bispo Auxiliar de Belo Horizonte - MG
23. Dom Edson José Oriolo dos Santos- Bispo Auxiliar de Belo Horizonte - MG
24. Dom Otacílio Ferreira de Lacerda- Bispo Auxiliar de Belo Horizonte - MG
25. Mons. Geovane Luís da Silva- Bispo Auxiliar eleito de Belo Horizonte - MG
26. Mons. Vicente de Paula Ferreira -Bispo Auxiliar eleito de Belo Horizonte - MG
27. Dom Guilherme Porto - Bispo de Sete Lagoas -MG
28. Dom José Aristeu Vieira - Bispo de Luz - MG
29. Dom José Carlos de Souza Campos - Bispo de Divinópolis - MG
30. Dom Miguel Ângelo Freitas Ribeiro - Bispo de Oliveira - MG
31. Dom Mario Antonio da Silva, Bispo de Roraima - RR
32. Dom Sergio Castriani - Arcebispo de Manaus - AM
33. Dom Jaime Vieira Rocha - Arcebispo de Natal - RN
34. Dom Zanoni Demettino Castro - Arcebispo de Feira de Santana - BA
35. Dom Jacinto Brito - Arquidiocese de Teresina – PI
36. Dom Roque Paloschi - Arcebispo de Porto Velho – RO
37. Dom Philip Dickmans – Bispo de Miracema – TO
38. Dom Egídio Bisol – Bispo de Afogados da Ingazeira – PE
39. Dom Paulo Francisco Machado – Bispo de Uberlândia – MG
40. Dom Guilherme Werlang – Bispo de Ipameri – GO
41. Dom Cláudio Sturm – Bispo de Patos de Minas – MG
42. Dom Luiz Flávio Cappio – Bispo de Barra – BA
43. Dom Dirceu Vegini – Bispo de Foz do Iguaçu – PR
44. Mons. Ionilton Lisboa – Bispo eleito da Prelazia de Itacoatiara – AM
45. Dom Francisco de Assis da Silva, Bispo da Igreja Anglicana do Brasil - Santa Maria-RS
46. Dom Francisco de Assis Dantas de Lucena, Bispo de Nazaré – PE
47. Dom Geremias Steinmetz – Bispo de Paranavaí – PR
48. Dom Genival Saraiva Franca – Adm. Apostólico da Paraíba – PB
49. Dom Leonardo Steiner, Secretário Geral da CNBB e Aux. De Brasília – DF
50. Dom Roberto Francisco Ferreíra Paz – Bispo de Campos dos Goytacazes – RJ
51. Dom José Belisário da Silva – Arcebispo de São Luis – MA
52. Dom Jaime Spengler – Arcebispo de Porto Alegre – RS
53. Dom Pedro Casaldáliga – Bispo Emérito de São Félix do Araguaia – MT
54. Dom Evaristo Spengler – Bispo do Marajó – PA
55. Dom Sebastião Lima Duarte – Bispo de Viana – MA
56. Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osório – RS
57. Dom José Alberto Moura – Arcebispo de Montes Claros – MG
58. Dom Antônio Muniz - Arcebispo de Maceió – AL
59. Dom Severino Clasen – Bispo de Caçador – SC
60. Dom Jesus María Cizaurre Berdonces – Bispo de Bragança – PA
61. Dom Vilsom Basso – Bispo de Caxias, nomeado para Imperatriz – MA
62. Dom Adelar Baruffi – Bispo de Cruz Alta – RS
63. Dom Eugênio Rixen - Bispo de Goiás – GO
64. Dom Irineu Andreassa - Bispo de Ituiutaba – MG
65. Dom André de Witte – Bispo de Ruy Barbosa – BA
66. Dom Júlio Endi Akamine – Arcebispo de Sorocaba – SP
67. Dom Moacyr Grechi – Arcebispo Emérito de Porto Velho – RO
68. Dom João Francisco Salm – Bispo de Tubarão e Presidente da CNBB Sul 4 – SC
69. Dom José Luiz Magella Delgado– Arcebispo de Pouso Alegre – MG
70. Dom Antônio Emídio Vilar - Bispo de São João da Boa Vista – SP
71. Dom Pedro José Conti – Bispo de Macapá – AP
72. Dom Nerí José Tondello – Bispo de Juína – MT
73. Dom José Valdeci Santos Mendes – Bispo de Brejo – MA
74. Dom Sebastião Bandeira – Bispo de Coroatá – MA
75. Dom Luiz Carlos Eccel - Bispo Emérito de Caçador – SC
76. Dom Pedro Carlos Cipollini - Bispo de Santo André – SP
77. Dom Giovane de Melo – Bispo de Tocantinópolis – TO
78. Dom Antônio Roberto Cavuto – Bispo de Itapipoca – CE
79. Dom Angélico Sândalo Bernardino – Bispo Emérito de Blumenau – SC
80. Dom Zenildo Luiz Pereira da Silva – Bispo Coadjutor de Borba – AM
81. Dom Élio Rama - Bispo de Pinheiro – MA
82. Dom Marco Aurélio Gubiotti – Bispo de Itabira-Coronel Fabriciano – MG
83. Dom Enemésio Angelo Lazzaris – Presidente Nacional da CTP e Bispo de Balsas – MA
84. Dom José Vasconcelos – Bispo de Sobral – CE
85. Dom João da Costa – Arcebispo de Aracaju – SE
86. Dom Juventino Kestering - Bispo de Rondonópolis/Guiratinga (MT)
87. Dom Armando Martín Gutiérrez - Bispo de Bacabal – MA
88. Dom Pedro Luiz Stringhini – Bispo de Mogi das Cruzes – SP
89. Dom Luiz Gonzaga, Bispo de Amparo – SP

28/04/2017

16:40

Protestos contra as reformas de Temer se espalham de norte a sul do país

Manifestação pela manhã no centro de Belo Horizonte
Manifestação pela manhã no centro de Belo Horizonte

É cedo para se fazer um balanço da greve geral, mas inegável que a adesão é significativa em muitas capitais, umas mais, outras menos. Não se pode negar que já houve casos de depredações, como também é incontestável que a grande mídia tenta desmoralizar o movimento e seu foco está voltado para noticiar os fatos negativos. Um fato que não dá para contestar é a revolta da população contra as reformas do governo Temer. Hoje pode estar sendo disparado o gatilho para uma nova onda de protestos que acuará Temer e pode abreviar o seu final.

O ministro da Justiça, Osmar Serraglio, falando em nome do governo, classificou a greve geral de "baderna generalizada. Vamos aguardar o final do dia.



28/04/2017

14:59

Esquema de Sérgio Côrtes se expandiu para Bombeiros, Comunicação e Obras

Cesar Romero, ex-subsecretário de Saúde do governo Sérgio Cabral
Cesar Romero, ex-subsecretário de Saúde do governo Sérgio Cabral

Na sua delação, Cesar Romero, ex-braço-direito de Sérgio Côrtes, já havia denunciado que a roubalheira do grande amigo de Cabral e seu secretário de Saúde tinha chegado ao Corpo de Bombeiros. No primeiro mandato de Cabral, a secretaria de Saúde incorporou a Defesa Civil. Mas Cesar Romero também revelou que havia esquema de desvios e propinas, comandado por Côrtes, que envolveu o presidente da EMOP, Ícaro Moreno Júnior e o subsecretário de Comunicação, Ricardo Cotta. Em suma, Sérgio Côrtes, hoje preso em Bangu 8, como tinha o apoio irrestrito de Cabral expandiu a corrupção para o Corpo de Bombeiros, EMOP e Subsecretaria de Comunicação.

28/04/2017

13:38

Manifestações em dia de greve geral

Além dos diversos protestos realizados por grupos em várias regiões do Grande Rio, na parte da tarde duas grandes manifestações estão programadas. Os servidores estaduais vão se concentrar às 15h, na porta da ALERJ, para protestar contra Pezão e cobrar o pagamento dos salários de março. Depois seguem para a Cinelândia para se juntar ao ato público das centrais sindicais, marcado para as 17h. A previsão é de grande adesão às duas manifestações.

28/04/2017

11:55

Encontro Marcado com Garotinho (Sexta - 28/04)

PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 ProximoUltimo