Visitantes online: 1394
logo topo

quarta-feira, 26 de abril de 2017

03/04/2017

08:54

Fala Garotinho - 3 de abril de 2017



03/04/2017

07:47

Operação Calicute: O efeito dominó

Reprodução da Época
Reprodução da Época

As operações derivadas da Calicute, que prendeu Sérgio Cabral, já fizeram um estrago no poder do Rio de Janeiro, principalmente a denominada "O quinto do ouro", que prendeu cinco conselheiros do Tribunal de Contas do Estado. A delação do ex-presidente do TCE também confirmou o envolvimento direto do governador Pezão na distribuição de propinas aos conselheiros. Tem ainda a delação da Odebrecht que atinge Eduardo Paes e Pedro Paulo. Mas neste momento estão em curso outras delações premiadas, como a de Hudson Braga, o Braguinha, que será um tiro no peito do governador. Além disso a condução coercitiva e a investigação de Jorge Picciani indicam que o MPF e a PF estão chegando na ALERJ. E Sérgio Cabral aponta a mira para o Tribunal de Justiça e o Ministério Público Estadual. Mais operações virão, outras delações surgirão e muita gente poderosa ainda será atingida. Na ALERJ, no TJ e no MP o clima é de perplexidade e terror. Mas de uma coisa não tenham dúvida, o PMDB-RJ será varrido do mapa do Rio de Janeiro.

02/04/2017

16:25

Os adoradores do bezerro de ouro

Nota da coluna de Ancelmo Gois, do Globo
Nota da coluna de Ancelmo Gois, do Globo

Hoje todos os colunistas da imprensa do Rio e comentaristas políticos da televisão jogam pedras em Cabral e Pezão e passaram a repetir o que venho dizendo há muito tempo. Na verdade, se vocês pensarem bem, quem foi conduzido coercitivamente pela Polícia Federal na operação "O quinto do ouro" foi o governador de fato. Sim, porque todo mundo sabe que Pezão hoje não manda nada, é governador só no papel, apenas para manter o foro privilegiado. O governador, quem gerencia o Estado, é Jorge Picciani, que teve a cara de pau de dizer no seu discurso de defesa, na tribuna da ALERJ, que nunca indicou uma só pessoa para algum cargo, apesar de ter escolhido metade dos secretários de Pezão.

E essa história do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Marco Antônio Alencar, filho do ex-governador Marcello Alencar, ter 30 cavalos, cada um valendo mais US$ 1 milhão segue a mesma linha das vacas de R$ 1 milhão do deputado Jorge Picciani. Como disse, em tom de gozação, se cruzarem geneticamente os cavalos do conselheiros com as vacas de Picciani vai nascer um bezerro de ouro.

Aliás, a passagem bíblica do bezerro de ouro funciona como uma metáfora da situação a que o nosso estado chegou. Na Bíblia, enquanto Moisés estava no Monte Sinai recebendo de Deus as tábuas sagradas dos dez mandamentos, os judeus fizeram um bezerro de ouro com joiasm, que passaram a adorar. Aqui no Rio, Cabral, Pezão, Picciani e a turma do PMDB são os adoradores do bezerro de ouro.

02/04/2017

14:03

Eduardo Paes tirou dinheiro da saúde para bancar festinhas com canapés e docinhos

Reprodução do Extra
Reprodução do Extra

Olha aí outro integrante quatro estrelas, outro general do PMDB-RJ e mais uma sangria dos cofres públicos, não é mesmo, Eduardo Paes? E o escândalo não é só gastar R$ 53 milhões em cinco anos, mais de R$ 10 milhões anuais, em festinhas e coquetéis de inauguração, com farta distribuição de canapés, salgadinhos e docinhos. Está na cara que - no mínimo - houve um tremendo superfaturamento que precisa ser investigado. É preciso fazer uma devassa. Paes chegou a tirar dinheiro da saúde, verba que poderia ser usada nas Clínicas da Família e nos hospitais, para bancar o regabofe. Que vergonha!



02/04/2017

12:29

Quem será?

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

Estamos todos curiosos em saber quem é o "poderoso desembargador do Rio de Janeiro". O fato é que esta semana dois fatos concretos abalaram muita gente poderosa de outros poderes estaduais. O primeiro foi a prisão de cinco conselheiros e um ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Aliás, ontem, o ministro Felix Fischer, do STJ, prorrogou por mais 5 dias a prisão temporária dos presos da Operação "O quinto de ouro", que venceria hoje. Outro fato é a citada negociação da delação premiada de Sérgio Cabral, que incluiria 97 nomes de juízes, desembargadores e integrantes do MP Estadual. Mas como disse aqui ontem, aliás, mais uma vez, era elementar que Cabral só manteve a impunidade por tantos anos porque contou com a colaboração de alguns integrantes de outros poderes.

E já que estamos falando do Judiciário fluminense, o ministro do STF, Dias Tóffoli deve decidir na segunda-feira sobre o pedido do Tribunal de Justiça do Rio para bloquear mais de R$ 200 milhões das contas do Estado, por não ter sido repassada a verba mensal constitucional (duodécimo), dinheiro utilizado para o pagamento dos salários de magistrados e serventuários.


02/04/2017

11:33

Escândalo: Cabral, o "rei de Bangu", manda no presídio e desafia a Justiça Federal

Reprodução da IstoÉ
Reprodução da IstoÉ

Verdadeiramente estarrecedora a reportagem da revista IstoÉ sobre a farra que Sérgio Cabral faz em Bangu 8. É mais que um tapa, é um soco na nossa cara. O maior ladrão da história do Rio de Janeiro, com a conivência de Pezão e do secretário de Administração Penitenciária, coronel Erir Ribeiro, ex-comandante da PM, na gestão de Cabral, desafia a Justiça Federal e continua cometendo crimes. Dorme na biblioteca, no ar condicionado, tem acesso a celular e internet, pede comida de restaurantes, enfiam uma sucessão de mordomias e privilégios que passam por cima da lei.

E como podem ver abaixo, o filho de Cabral, o deputado federal Marco Antonio Cabral (PMDB) ainda distribuiu convites de camarote no carnaval para a diretora, sub-diretora e chefe da segurança de Bangu 8.

É revoltante, a população está indignada. A família Cabral ainda acha que está acima da lei. Não tenho dúvidas de que diante desse escândalo, o juiz Marcelo Bretas tomará providências para a acabar com a farra de Cabral, o "rei da Bangu". Enquanto ele estiver em Bangu continuará tendo tratamento privilegiado.

Reprodução da IstoÉ
Reprodução da IstoÉ


01/04/2017

18:02

Pezão combinou pessoalmente o esquema de pagamento de propinas ao TCE

Manchete do Globo
Manchete do Globo

A delação do ex-presidente do TCE deixa claro que Pezão participou pessoalmente do esquema de pagamento de propinas aos conselheiros do tribunal responsável por fiscalizar seu governo, como mostra hoje o Globo. Houve reuniões na sua casa e no seu gabinete. Pezão é que indicava quem entregaria o dinheiro da propina dos conselheiros. Quem levava a o dinheiro vivo era subsecretário de Comunicação do governo, Marcelo Santos Amorim, o Marcelinho, que - vejam a coincidência - é casado com a sobrinha de Pezão, que foi criada por ele e a esposa. O outro era o secretário de Governo de Pezão, Affonso Monnerat, conduzido coercitivamente na operação "O quinto do ouro", na última quarta-feira. Havia esquema no TCE e com a Fetranspor. Pezão à frente de tudo.

Caiu a máscara de Pezão de vir com aquela resposta cínica: "Eu não conhecia esse lado de Cabral", referindo-se à roubalheira patológica, sim, o caso de Cabral envolve uma compulsão, roubar transformou-se num vício. Pezão não só sabia de tudo, como participou, estou cansado de repetir isso. E para nosso azar além de corrupto, ainda por cima é incompetente. Com esse somatório de "virtudes", além da "genialidade do mal" de Sérgio Cabral, está na cara que essa história iria terminar com o Rio de Janeiro destruído, não foi por falta de aviso. Vocês são testemunhas da minha cruzada pela verdade que venho lutando há mais de 10 anos, enfrentando e denunciando essa quadrilha.

Aliás, na delação do ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado tem um episódio curioso, que é emblemático de como a propina era assunto até de mensagens para Pezão, como mostra o Globo: "Certa ocasião, revelou Jonas, diante do atraso no repasse do dinheiro liberado pelo governo, o conselheiro (José) Graciosa teria enviado pelo aplicativo WhatsApp uma marchinha, dedicada a Pezão, com o refrão “Cadê o meu dinheiro?”.

01/04/2017

17:00

A derrocada de Aécio Neves

Reprodução da Veja online, com a capa da revista
Reprodução da Veja online, com a capa da revista

A confirmação dos depósitos de propinas pagas pela Odebrecht a Aécio Neves, numa conta bancária em Nova Iorque, que era operada por sua irmã, Andrea Neves, sua principal conselheira política é um tiro mortal na cabeça de Aécio Neves. As propinas eram relativas às obras de uma usina da CEMIG (empresa de energia elétrica mineira) e à construção da Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, que - vamos relembrar - tinha custo previsto de R$ 550 milhões e acabou custando R$ 1,7 bilhão, é o Maracanã de Aécio. Está bem claro que não se trata de doação eleitoral por caixa dois, é propina por obras, depositada em conta no exterior. Aécio pode esquecer o sonho da presidência da República.

Em tempo: Circula nas redes sociais uma imagem que retrata bem, usando a expressão do título desta postagem, a derrocada de Aécio.



01/04/2017

14:20

Garotinho na TV 247



01/04/2017

12:30

Delação de Cabral: “O quinto dos infernos”

A tão propalada delação premiada de Sérgio Cabral tem verdades, motivos e dúvidas. Vamos começar pelo motivo. Cabral desconfiava já há algum tempo que a não inclusão do nome de Regis Fichtner em qualquer operação ou investigação cheirava a proteção. Ou seja, o homem que o acompanha desde os tempos de deputado estadual, foi seu suplente de senador e seu chefe da Casa Civil, estaria entregando informações do grupo do qual fazia parte em troca de não ser investigado. No início da semana passada Sérgio Cabral teve certeza disso, e quem lhe contou foi um dos enviados, que foi especialmente a Bangu para detalhar o acordo de proteção a Regis Fichtner. Tomado de ira, entre outras palavras, referiu-se a Regis Fichtner como “ladrão fdp”, “mau caráter”, “traíra”. Disse mais: “agora vou f... todo o esquema dele e da família com a Justiça do Rio”.

Foi a partir daí que Cabral deu autorização para a negociação de sua delação, que está em fase de apreciação dos temas e nomes a serem delatados, já sugeridos por ele. Não são apenas juízes, promotores e magistrados, como alguns colunistas têm afirmado. Há vários capítulos dedicados a eles, mas também envolve sua relação com Jorge Picciani, Pezão, Eduardo Paes e outros nomes do PMDB. Há também um capítulo onde ele propõe entregar o nome do emissário petista que recebia parte das propinas de verbas federais enviadas para obras no Rio. Aliás, isso está anotado em uma das cadernetas apreendidas pelo Ministério Público Federal.

Muitas das afirmações de Cabral têm como ser provadas, são fatos incontroversos numa possível delação. Envolvem a citação de contas, aquisição de imóveis, acertos feitos na presença de outras testemunhas, e que serão facilmente verificados e comprovados. Há outros casos, inclusive envolvendo integrantes de tribunais superiores, que o ex-governador, agora hóspede em Bangu, conta histórias, mas não tem elementos materiais que possam incriminar os acusados ou dar veracidade a suas palavras. Teriam que haver investigações que pudessem comprovar ou não as gravíssimas acusações de Cabral.

O certo é que caiu na real pela traição de Regis Fichtner, aquele a quem chama de “corrupto dissimulado”, e que, segundo ele, vem recebendo “proteção de seus amigos”.

As autoridades estão divididas sobre a delação de Cabral. Uma grande parte quer que ele faça a delação e ela seja homologada. Já outro grupo acha “temerário” aceitar uma delação que vai colocar sob suspeita diversos integrantes dos maiores do poderes do Estado e até da República.

A operação no Tribunal de Contas do Estado foi denominada “O Quinto do Ouro”. A delação de Cabral, se for homologada, está sendo chamada de “O quinto dos infernos” porque vai encerrar a carreira de muita gente prematuramente, gente grande, poderosa, que segundo Cabral está num lago de enxofre.

Não será surpresa já que há dez anos venho dizendo que a proporção da corrupção era tão grande, que não seria possível sem a participação de figuras de outros poderes.

01/04/2017

10:22

Garotinho no programa Mariana Godoy Entrevista, da RedeTV!

Assistam abaixo minha entrevista no programa Mariana Godoy Entrevista, de RedeTV!, onde falo da falência do Rio de Janeiro, da roubalheira de Cabral e do PMDB, do governo Temer, das reformas trabalhista e previdenciária, e da política do Rio e do Brasil. E deixem sua opinião nos comentários.

Clique aqui e assista a minha entrevista na íntegra

Em tempo: Daqui a pouco vou falar da delação de Sérgio Cabral.

31/03/2017

16:31

Hoje à noite tem Garotinho ao vivo na RedeTV!

Cabral está fazendo delação premiada

Atenção: Segundo o colunista da Veja Reinaldo Azevedo, Sérgio Cabral na tarde de hoje prestou o primeiro depoimento da sua delação premiada. É uma bomba atômica. Está entregando 97 juízes, desembargadores e membros do MP Estadual. Será uma hecatombe que vai explodir no centro do TJ-RJ e do MP Estadual. Salve-se quem puder! Mas também posso antecipar, por informação que acabo de receber, que está entregando Regis Fichtner, que eu antecipei que o traiu prestando depoimento informal o entregando e a outras pessoas do esquema para se safar. Cabral está com a faca nos dentes. Amanhã cedo mais detalhes. E hoje não percam minha participação no programa de Mariana Godoy, na RedeTV!.



31/03/2017

15:15

Temer segue afundando

Dados oficiais do IBOPE
Dados oficiais do IBOPE

Hoje foi divulgada mais uma rodada da pesquisa IBOPE / CNI. Os números são arrasadores para Michel Temer. E tinha gente no Palácio do Planalto completamente iludida, achando que a liberação das contas inativas do FGTS iria melhorar o ibope de Temer. A verdade é analisando todas as pesquisas feitas desde que Temer tomou posse, uma após a outra, o resultado só piora cada vez mais. Só 10% aprovam o seu governo. O ruim / péssimo já chega a 55%. Só 14% acreditam que o governo vai melhorar, sendo que 79% não confiam no presidente. Temer está a um passo dos piores índices negativos de Dilma, próximo à votação do impeachment. E do jeito que as coisas vão a sua avaliação só vai piorar, ou seja, o governo Temer é uma tragédia.

31/03/2017

13:48

Depois de condenação de Eduardo Cunha, julgamento de Cláudia Cruz se aproxima

Cláudia Cruz em Curitiba em dia de visita a Eduardo Cunha
Cláudia Cruz em Curitiba em dia de visita a Eduardo Cunha

Ontem Eduardo Cunha foi condenado pelo juiz Sérgio Moro a 15 anos e 4 meses de prisão em regime fechado. Já sua mulher, Cláudia Cruz, é ré no mesmo processo, acusada de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Moro já abriu o prazo para o Ministério Público apresentar as alegações finais, e em seguida será a vez da defesa. Isso significa que ainda em abril deverá sair a sentença de Cláudia Cruz. E apesar disso, Cunha não dá sinais de aderir à delação premiada, nem para tentar salvar a mulher.

Em tempo: A defesa de Cláudia Cruz está pedindo ao juiz Sérgio Moro mais tempo para apresentar as alegações finais. A justificativa é que precisa ouvir uma testemunha que mora em Cingapura. Duvido que a malandragem cole.


31/03/2017

13:05

Servidores prestam solidariedade a subtenente dos bombeiros preso arbitrariamente por ordem de Pezão

Está aí mais uma covardia do governador Pezão. O subtenente do Corpo de Bombeiros, Mesac Eflaín está preso desde terça-feira porque disse numa entrevista que o Hospital Central da corporação, por falta de verba, não tem condições de atendimento. Ele falou a verdade e foi punido de forma vergonhosa com 10 dias de prisão, ficará detido até o próximo dia 6. É uma indignidade. Pezão deveria mandar prender é os ladrões que ainda estão no seu governo roubando, não um bombeiro, um servidor que se dedica à população, o que o governador não faz. Por isso registro aqui meu repúdio à ordem de Pezão e minha solidariedade ao subtenente Mesac Efraín.

31/03/2017

11:43

Garotinho está ao vivo respondendo perguntas no Facebook



PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 ProximoUltimo